Jogamos

Análise: Naval Action (PC) é um realista simulador de combates marítimos

Prepare os canhões e transforme-se no terror dos sete mares.

Levantem a âncora e baixem as velas, marujos! Estamos prontos para iniciar a mais realista aventura pelos sete mares. Mais do que um jogo, Naval Action é um simulador da vida a bordo de imponentes embarcações durante a época das grandes navegações. Projeto do estúdio Game-Labs, o título está em early access no Steam e tem potencial de ficar ainda melhor. Porém, no estado atual em que já se encontra, pode ser considerada uma das melhores experiências em batalhas navais.


O realismo é realmente levado a sério e simplesmente pressionar os botões do teclado e mouse aleatoriamente não é o suficiente para se sair bem. Ter conhecimento sobre naus marítimas, força do vento e ângulos corretos para disparo dos canhões é fundamental para que seu navio não vá parar no fundo do oceano. Os controles são complexos e capazes de afastar aqueles jogadores mais casuais ou que não tenham profundo interesse na temática do título.

Planeta água

O jogo é um MMO marítimo no estilo sandbox. O início da aventura se baseia em navegar pelos mares do Caribe, cruzar com outras embarcações e aportar em diferentes países para conseguir equipamentos que melhorem o barco. O começo até pode parecer meio monótono, mas é fundamental se preparar bem antes de envolver-se em combates de verdade. Jogadores experientes sempre terão armas poderosas que podem facilmente afundar aqueles que não se organizaram adequadamente.

As viagens entre um porto e outro são os momentos ideais para apreciar os belos gráficos do título. O ambiente foi todo trabalhado com capricho, e simples detalhes, como a espuma do mar batendo contra os navios, chamam a atenção. Se os cenários são bonitos, os modelos dos navios precisam de mais atenção dos desenvolvedores, alguns ainda parecem estar inacabados. Outro ponto que merece um polimento melhor é a interface do usuário, que é bem feia, apesar de ser funcional.


You are a pirate

Antes de assumir o timão, o jogador deve escolher qual será seu destino. É possível navegar como oficial da marinha, representando as bandeiras de algum país, ou ser um pirata e não seguir nenhuma regra. Essa opção é importante e determinará como será seu relacionamento com os demais jogadores. Por exemplo, quem opta por representar a Grã-Bretanha terá os outros navios ingleses e as embarcações norte-americanas como aliados. Os alvos a serem abatidos serão os franceses e os piratas.

O modo hard de Naval Action é hastear a bandeira negra com o símbolo de caveira. Aqueles que optam pela pirataria podem atacar qualquer outro barco, mas também estarão na mira de todos os demais. Durante os momentos em que joguei, experimentei os dois lados. A ação como um fora da lei foi bem mais divertida, já que não saber de onde pode vir o próximo tiro deixa tudo mais tenso e complexo. Minha percepção é que grande parte da comunidade do jogo também pensa assim, e muitos também usam a bandeira pirata.


Preparar os canhões

Quando se ancora o navio nos portos, é possível candidatar-se para realizar missões que oferecem ouro e experiência como recompensa. Apesar de existirem objetivos para cumprir, o interessante mesmo é navegar livremente até encontrar inimigos para afundar. Os duelos não se resumem a um contra um e, em algumas batalhas, você pode ter ajuda de aliados e lutar ao lado deles contra um inimigo sozinho. Porém, também existirão os momentos em que seu navio estará em desvantagem.

Os combates são completamente imersivos e realistas. Para sair com a vitória, é recomendável ter cautela e conhecer bem o funcionamento de toda sua embarcação. A paciência é outra chave para o sucesso, pois ao invés de descarregar os canhões no inimigo logo de cara, o ideal é dar apenas um tiro e ver se ele acerta o alvo. Caso negativo, é melhor fazer os ajustes de ângulo e força antes de acender todos os pavios. As embarcações não tem uma barra de vida, mas sim componentes e tripulação que devem ser destruídos de maneiras diferentes.

Nas batalhas, é recomendável ter um pouco de conhecimento sobre navegação. Saber sobre aderência, funcionamento das velas e cálculos de jardas é uma vantagem preciosa. Quanto maior e mais equipado for seu navio, mais informações sobre ele serão necessárias. Por exemplo, quando estiver sob a mira do inimigo, é fundamental saber a velocidade máxima que pode ser atingida e quais as manobras evasivas que o barco realiza. Pequenos detalhes do cenário também influenciam nos confrontos, sua mira pode estar perfeita, mas se uma onda balançar o navio no momento do disparo, o tiro vai acabar caindo bem mais longe do que deveria.




Os desenvolvedores estão trabalhando arduamente nos sistemas de combate, algo que pode ser comprovado pelas listas de atualizações. O resultado de toda essa atenção é facilmente comprovado, com coisas que parecem pequenas, mas que fazem toda a diferença. A maneira que a fumaça dos canhões, às vezes, ofusca a visão e cria alguns segundos de dúvida se o alvo foi atingido ou então a visão gratificante de estilhaços voando e o mastro da embarcação inimiga caindo são detalhes que tornam as batalhas épicas e emocionantes.

Além de ter atenção com os rivais, é importante manter o controle do navio durante as batalhas. Mais de uma vez eu entrei, sem querer, no meio de um tiroteio entre meu aliado e nosso inimigo, também não foram raras as ocasiões em que rumei na direção de outras embarcações, correndo o risco de colisões. Existe uma maneira de avisar aos demais jogadores sobre choques que parecem prováveis, assim, os capitães conseguem realizar manobras evasivas

Vencer os confrontos resulta no acúmulo de ouro e mercadorias que podem ser comercializadas nos diferentes portos. Entretanto, não vá sair vendendo todo seu material logo de cara, o valor dos itens varia em cada país e o melhor a fazer é uma pesquisa antes de fechar negócios.


Vamos navegar

Apesar de estar em early access, Naval Action é um projeto que merece atenção. Ainda existem pontos a melhorar no jogo, porém, no geral, é um interessante simulador. As batalhas não são tão cinematográficas como as de Assassin's Creed IV: Black Flag, com suas tempestades e tufões, porém são muito mais reais e imersivas. Os controles complexos e o excesso de realismo afastam alguns jogadores, mas aqueles que se interessam pela vida marítima devem dar uma chance ao jogo.

Prós

  • Combates complexos e imersivos;
  • Belos gráficos;
  • Comunidade de jogadores está em crescimento.

Contras

  • É preciso ter conhecimento básico sobre navegação;
  • Monótono em alguns momentos;
  • Interface do usuário precisa de uma boa melhoria.
Naval Action — PC — Nota: 7.0
Revisão: Luigi Santana
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais