Análise: Game of Thrones: The Ice Dragon (Multi) é um grito congelado na garganta

Confira o final de temporada de um game que não faz feio quando comparado à série de TV.


Depois de cinco capítulos cheios de intrigas, diálogos afiados, sangue e traições (prato cheio para qualquer fã de Game of Thrones), uma parte da trágica história da família Forrester chega ao fim. O penúltimo episódio foi um soco no estômago dos jogadores e o que acontece logo após não será menos doloroso. É este o momento de descobrir o que irá acontecer com essa pequena casa de Westeros e todos os envolvidos em sua elaborada rede de intrigas, sangue e disputas por poder.

Mistérios e decisões

Apesar de se tratar do último episódio do game, eu já sabia que essa não era a última vez que eu iria ouvir falar dos Forrester antes mesmo de começar a jogá-lo. Isso porque, a poucos dias do lançamento desse capítulo, a Telltale anunciou que seu jogo de Game of Thrones teria uma segunda temporada. Portanto, o título dessa análise cai como uma luva para essa parte da história. Saber que, depois de tudo que acompanhei ao lado desses personagens, eu não veria a história deles ter um fim definitivo (e muito menos uma solução para os problemas que os cercavam) era como um grito de desespero congelado na minha garganta, ansioso pelo que estava por vir.
Finalmente, a North Grove!

Mas deixando de lado o que o futuro reserva para os Forrester, vamos nos concentrar nas impressões que este último capítulo deixou. O que se nota logo nos primeiros momentos de gameplay é que a história vai ser construída pelas decisões e ações rápidas do jogador. Praticamente não existe espaço para investigação do cenário ou parar para pensar no que se deve fazer. Por um lado, isso é positivo, pois mantém um ritmo constante bem fluido da história e prende a atenção do jogador. Por outro, deixa aquela sensação de “pressa”; parece que tudo está indo rápido demais, apenas para que tudo possa terminar em pouco tempo.

O maior trunfo de The Ice Dragon é se diferenciar dos outros episódios da série por sua imprevisibilidade. Game of Thrones já é conhecido por sua trama cheia de reviravoltas, mas o episódio consegue se superar ao tomar caminhos totalmente inesperados. Além disso, o jogador pode finalmente vislumbrar as consequências das escolhas feitas em episódios anteriores, um elemento até então ausente na série. Acredite: você irá se arrepender de uma de suas decisões passadas, seja qual for.
De ursos à mortos-vivos, esse episódio tem tudo!

Uma estrada perigosa pela frente

Sem revelar muitos spoilers, posso dizer com segurança que teremos muitos jogadores de caras assustadas e queixos caídos ao final desse capítulo. Da forma que somente Game of Thrones consegue, a trama dá um giro completo, gerando uma crescente ansiedade no espectador e a descarregando de forma abrupta no final do espetáculo. No fim, a história dos Forrester é muito similar à dos Starks, pelo menos no diz respeito à tragégia. A diferença é que, até o momento, ninguém sabe como ela vai terminar. Claro, torcemos pelo melhor; mesmo que, no universo de Martin, finais felizes parecem impossíveis.
O futuro não será fácil.

A pior sensação que fica ao fim do episódio é em relação principalmente à personagem de Mira em Porto Real. A garota sempre foi um elemento “apagado” ao longo da temporada, protagonizando situações que pareciam não ter nenhuma relevância para a história principal. O que se esperava é que tudo não passasse de um conhecido elemento de enredo, em que um personagem realiza ações sem sentido aparente e no final elas são cruciais para o desfecho da trama. No entanto, esse não parece ser o caso. Espero que ela receba um pouco mais de atenção dos autores na próxima temporada, pois, caso contrário, será facilmente esquecida.

O final dessa temporada de Game of Thrones conseguiu transmitir aquele sentimento que qualquer fã sente ao final de um episódio da série: o gostinho de “quero mais”. No entanto, a falta de explicação em certos detalhes da história nos faz questionar se as respostas realmente irão aparecer na pŕoxima temporada. Fica a impressão de que muitos elementos não passaram de “fillers” (preenchimentos de história ou “encheção de linguiça”) para construir uma relação mais próxima do jogador com as personagens, mesmo que em detrimento da trama.
Pode parecer, mas ainda não é o fim da Casa Forrester.

Prós

  • Momentos emocionantes;
  • Consequências das escolhas do jogador realmente importam.

Contras

  • Detalhes mal-explicados da história.


Game of Thrones: Episódio 6 - The Ice Dragon — Multi — Nota: 8.0

Revisão: Bruno Alves
Luís Antônio Costa é graudado em Ciência da Computação pela UFRGS. Apaixonado por games desde que ganhou seu primeiro Master System e conheceu Sonic, também é amante da ciência e um devorador de livros. Além do GameBlast, também faz alguns textos para o Medium e pode ser encontrado no Facebook e Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais