Blast Test

Star Wars Battlefront (Multi) e seu realismo fantástico

Jogamos o novo jogo da franquia e as impressões são bem positivas.



O próximo grande shooter da DICE, Star Wars Battlefront, sucessor (quase) espiritual da série de jogos com o mesmo nome que fez muito sucesso no começo dos anos 2000, teve seu beta aberto para o público do dia 8 de outubro até dia 13. Jogamos ele e temos muito o que conversar.

Numa galáxia distante, mas familiar

O novo Battlefront não ignora as raízes da série. Ainda presente a luta de esquadrões com a temática do grandioso universo de Star Wars, o jogo consegue capturar a essência que fez os jogos anteriores serem incríveis ao mesmo tempo que consegue ser algo único. O primeiro dos três modos disponíveis no beta, Survival , é o clássico modo Horda, tão presente nos shooters hoje em dia.

Graças ao motor gráfico incrivelmente competente e um conhecimento bem amplo do universo da série, o que seria um repetitivo lugar comum do gênero acaba virando algo novo e diferente. O mapa, situado em Tatooine, planeta natal de Luke Skywalker, está recriado perfeitamente. Qualquer comparação entre uma imagem da representação no jogo e nas telas lhe mostrará a atenção a detalhes incrível que a equipe da DICE teve. As classes de inimigos, bem variadas, já fazem você ter que apresentar uma estratégia bem variada. Desde os bike scouts até os stormtroppers, cada inimigo tem uma forma diferente de se comportar, porém sem deixar que o gameplay fique equilibrado. Quando os chefes aparecem, os AT-ST, poderosos walkers imperiais, o choque é tremendo. São inimigos muito fortes, inteligentes e, mesmo no nível fácil, conseguem lhe dar problemas.

No beta, o modo survival estava travado até a sexta onda. No jogo completo, esse número sobe para 12.

Capturando a bandeira, sem ser uma bandeira


O segundo modo disponível no beta é também figurinha carimbada em shooters: Drop Zone, o modo “capture a bandeira” do jogo. Nele, as bandeiras são pods de fuga que estão caindo em Sullust, e tanto os rebeldes como as tropas imperiais estão correndo para capturá-las. No fim, ganha quem capturar mais pods.
Na falta de uma base nuclear com vazamento, temos Sullust.
Este modo é o mais comum dos três, trazendo poucas diferenciações dos shooters comuns e sendo situado no mapa mais genérico presente na demonstração. É um bom lugar para praticar, já que aqui as três classes de armas disponíveis (rifle, pistola e sniper) têm grande utilidade se bem usadas.
Dos modos com multiplayer online, este é o mais equilibrado também, já que ambos os lados não têm nenhuma vantagem sobre o outro. É o modo mais “Call of Duty”, por assim dizer.

A grande ofensiva de Hoth


O maior modo também é o mais legal. Assault on Hoth é uma enorme batalha em que 40 jogadores podem participar. Caso seja rebelde, prepare-se para morrer muito. Se for imperial, aproveite seus AT-ATs.
Tropas Imperiais correndo em Hoth.
Hoth, o planeta de gelo que aparece no começo do Episódio V, passa a mesma sensação de desolação que o filme queria transmitir. Imenso e com uma geografia bem robusta, não tem como se sentir confortável jogando nele. Mais uma vez, as três armas podem ser usadas tranquilamente, mas o ideal é que você não seja um lobo solitário aqui. A cooperação é muito importante, principalmente no lado da aliança rebelde.

Os imperiais já começam a partida com seus AT-ATs, enormes walkers com poder de fogo imenso, em campo. Com um tiro, conseguem tranquilamente matar um soldado. O objetivo do modo, de proteger a base rebelde ou destruí-la, por causa das limitações de nível presentes na demonstração, não permitem que ele seja muito equilibrado. A aliança não tem muito o que fazer contra os AT-ATs.

Este modo é o único no beta em que podemos fazer uso de naves e heróis. As naves passam uma sensação ótima de dominação sobre os soldados comuns e, no caso da aliança, são das poucas coisas que permitem uma luta mais justa contra os At-ATs. E os heróis… bem, se você achava que Force Unleashed passava uma sensação verdadeira de ser um usuário da força, é que não teve a oportunidade de usar Darth Vader ou Luke Skywalker nesse jogo. Os dois são incrivelmente poderosos, com tropas sendo nada mais que pequenas pedras no caminho quando se está no controle de um deles. Refletir tiros, decapitar stormtroopers, enforcar tropas rebeldes… É um ótimo senso de recompensa para quem conseguiu usá-los e uma ótima caracteristica para os outros jogadores, que enxergam uma nova peça no cenário e não sabem lidar de uma forma direta.

Impressões positivas de uma galáxia com muito a oferecer

O beta conseguiu tirar boa parte do medo que muitos (inclusive eu) tinham em relação a essa nova empreitada. A impressão geral é que é um jogo polido e muito bem feito, que em uma demonstração curta já consegue passar muita diversão. Agora, é esperar a versão completa para ver quais surpresas a mais a DICE preparou para nós.

Star Wars Battlefront será lançado dia 17 de Novembro para PS4, Xbox One e PC.

Revisão: Vitor Tibério
Capa: Nívia Costa
Dácio Augusto é estudante de Gestão Financeira na Fatec e redator no GameBlast. Cercado de jogos desde pequeno, foi crescendo e aprendendo a fazer avaliações mais lúdicas do que objetivas.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais