Jogamos

Análise: Lumines Remastered (Multi) — ritmo e estilo em um puzzle viciante

A nova versão do jogo é baseada no primeiro título da série, porém conta com várias novidades agradáveis.


Criada por Tetsuya Mizuguchi, produtor da franquia de ritmo Space Channel 5, a série Lumines é conhecida por combinar puzzles de juntar blocos com música. Depois de versões para inúmeros consoles, a franquia retorna com Lumines Remastered. O nome infere que esta é uma remasterização do primeiro título de PSP, mas na verdade não é bem isso: o jogo oferece uma experiência nova, com conteúdo dos dois primeiros títulos e algumas novidades.

Blocos e música

Lumines usa um conceito parecido com o de outros clássicos, como Tetris. Controlamos quadrados compostos de quatro pequenos blocos coloridos e o objetivo é montar quadrados da mesma cor na área de jogo. A principal diferença, aqui, é que os blocos só desaparecem após a passagem de uma linha vertical que se move da esquerda para a direita. Há, também, peças especiais capazes de limpar vários blocos pequenos ao mesmo tempo.

As partidas acontecem em skins diferentes. Cada uma delas apresenta visual e música distintos. Além disso, a trilha sonora é parte integrante do sistema de jogo, pois a linha vertical se move no ritmo da música. Sendo assim, diferentes tipos de composições afetam drasticamente o andamento da partida: músicas agitadas tornam difícil fazer grandes combinações; já faixas mais calmas podem deixar a área de jogo cheia de blocos, pois eles são removidos mais lentamente.


A premissa é fácil de entender, no entanto, Lumines exige muita técnica e velocidade do jogador. Para conseguir altas pontuações, é necessário ser muito rápido e preciso, montando muitos grandes blocos por cada passagem da linha vertical. Além disso, precisamos ficar atento à área de jogo, tentando evitar situações difíceis de serem resolvidas. O título conta com um tutorial com dicas valiosas e técnicas avançadas, recurso ideal para novatos ou para quem quer melhorar suas pontuações.

No começo jogar Lumines é um pouco complicado, mas com um pouco de treino já é possível fazer sequências de jogadas complexas — é muito recompensador conseguir montar muitos blocos em uma única passagem da linha de tempo. Algo legal vem do fato de que o ritmo influencia também na jogada: em muitos momentos eu me guiei somente pelo som para saber onde e quando colocar os blocos. O sistema de jogo é ao mesmo tempo acessível e profundo, capaz de agradar jogadores de diferentes níveis de habilidade.


Muita cor e estilo

Lumines monta uma experiência pulsante e colorida com a combinação de ritmo, visual, música e até mesmo vibração do controle.

Um detalhe muito legal no título é seu visual e engenharia de som. As skins mudam completamente a área de jogo com aparências e música, sempre montando uma atmosfera energética e estilosa. Além disso, todas as ações feitas no jogo complementam o áudio de alguma maneira: rotacionar e mover os blocos geram sons, já combos adicionam uma nova camada de instrumentos à trilha sonora. Isso traz uma sensação de estar contribuindo ativamente para a música, fazendo com que a experiência seja mais imersiva. O foco da trilha sonora é música eletrônica, por mais que existam algumas poucas faixas de outros estilos.

Uma novidade curiosa em Lumines Remastered é a possibilidade de fazer o controle vibrar no ritmo da música. O resultado é bem legal, pois traduz muito bem as batidas das composições, ajudando a sentir ainda mais a atmosfera do visual e trilha sonora — fiz questão de ajustar esse recurso para o máximo. Além disso, há a opção de ativar a vibração em vários controles diferentes: a ideia é sentir a música em outras partes do corpo fora as mãos. A experiência sensorial proporcionada por esse recurso reforça a experiência de imersão do título.


Muitas maneiras de jogar

Lumines Remastered tem grande variedade de conteúdo espalhado por vários modos. Alguns deles, inclusive, utilizam a fórmula de maneiras únicas. Somente as músicas do primeiro título estão disponíveis, mas há modalidades que só foram introduzidas em Lumines II.

O modo principal é o Challenge, que te desafia a jogar as várias skins em sequência com dificuldade crescente. É importante jogá-lo até o fim, pois é por meio dele que desbloqueamos boa parte das músicas. Ele também tem algumas variações, como um modo infinito. Já o Skin Edit permite escolher até dez músicas para jogar em sequência. Por fim, há o Time Attack, cujo desafio é conseguir a maior pontuação possível em três diferentes intervalos de tempo.

Uma outra dupla de modalidades explora as mecânicas de maneiras diferentes. No Puzzle o desafio é montar ilustrações com os blocos. São 100 estágios de dificuldade variável — você começa fazendo uma simples cruz e termina construindo animais complexos. Já o Mission exige que limpemos a tela em uma quantidade limitada de movimentos, e este modo não estava presente na versão original de PSP.


Por fim, temos o modo VS. Nele, enfrentamos outro jogador em batalhas por território: fazer combos diminui a área de jogo do oponente. É possível jogar contra o computador ou contra outra pessoa — infelizmente não há modo online, o que é no mínimo estranho se levarmos em consideração que outras versões do jogo apresentavam esse recurso.

Existem alguns incentivos para experimentar todos os modos. Ao completar certas tarefas, avatares para o perfil são desbloqueados. Mais de 40 criaturinhas estão disponíveis, e muitas delas são bem difíceis de obter. Os avatares são visualmente legais, porém é um incentivo não muito interessante, pois a função deles é puramente cosmética. Para aqueles que gostam de competição, há leaderboads online — exímia técnica é essencial para figurar na lista.


Um puzzle ímpar e viciante

Lumines Remastered conquista com mecânicas simples, mas repletas de possibilidades. Além disso, a atmosfera oferece uma experiência imersiva ao combinar visual impactante, trilha sonora energética e mecânicas de ritmo. A remasterização apresenta conteúdo dos dois primeiros títulos, resultando em um pacote com variedade de modalidades. O único defeito notável é a ausência de multiplayer online, por sorte os modos solo são robustos. Estes aspectos tornam Lumines Remastered um ótimo puzzle e também um bom retorno da série.

Prós

  • Sistema de jogo profundo capaz de agradar jogadores casuais e dedicados;
  • Visual estiloso e impactante;
  • Trilha sonora variada e bem integrada nas mecânicas de jogo;
  • Opções de vibração do controle ajudam na imersão da experiência;
  • Muito conteúdo distribuído em diferentes modos de jogo.

Contras

  • Ausência de multiplayer online;
  • Alguns desbloqueáveis desinteressantes.
Lumines Remastered — PC/PS4/XBO/Switch— Nota: 9.0
Versão utilizada para análise: PC
Revisão: Ana Krishna Peixoto
Análise produzida com cópia digital cedida pela Enhance
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de boardgames, game music, fotografia e livros. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos e também pode ser encontrado no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook