Jogamos

Análise: Street Fighter 30th Anniversary Collection (Multi) relembra os bons tempos dos fliperamas

Coletânea traz versões originais dos arcades da época de ouro de Street Fighter.

Existem alguns jogos e séries na história dos videogames que são icônicos. São nomes que redefiniram conceitos ou trouxeram ideias inéditas para o mercado. Nesse panteão de “deuses” dos games, um deles é a série Street Fighter, que completou 30 anos de vida em agosto de 2017.


Muito além do inegável legado que Street Fighter trouxe ao introduzir novas mecânicas e ideias em seus jogos, o principal impacto que a série da Capcom trouxe foi social, construindo uma legião de fãs, que se reuniam aos montes nas saudosas casas de fliperama. Quem já não é tão novinho assim e gostava de passear por casas de arcade (ou botecos sujos) na década de 90 sabe que o jogo de luta da Capcom era uma verdadeira instituição.


Nas minhas distantes memórias me lembro claramente como eu adorava (e ainda adoro) a intro de Super Street Fighter II, com o Ryu se preparando para soltar um Hadouken — muito disso pelo anime que passava no SBT. Como sempre fui bem ruim, procurava as máquinas mais vazias e torcia para ninguém chegar. Mas se chegasse, fazia pose de entendido e ia pro combate. Geralmente eu acabava perdendo, mas isso só me motivaria a melhorar, ao menos enquanto eu tivesse dinheiro para as fichas.

Cadê esse tal de Sheng Long?

É com esse espírito em mente que para celebrar os 30 anos de Ryu e companhia temos a Street Fighter 30th Anniversary Collection. Trazendo os principais jogos da “era de ouro” da franquia em suas versões originais de arcade. Como a lista é grande, vou aqui enumerá-los em ordem cronológica.
  • Street Fighter
  • Street Fighter 2: World Warriors
  • Street Fighter 2: Champion Edition
  • Street Fighter 2: Hyper Fighting
  • Super Street Fighter 2: New Challengers
  • Super Street Fighter 2 Turbo
  • Street Fighter Alpha
  • Street Fighter Alpha 2
  • Street Fighter Alpha 3
  • Street Fighter 3: New Generation
  • Street Fighter 3: Second Impact
  • Street Fighter 3: Third Strike
Como disse acima, todos os jogos estão em sua versão para arcades, através de emulação, exatamente como eram nos fliperamas, para o bem ou para mal. Mas de maneira geral, exceto pelo primeiro Street Fighter, todos envelheceram bem. Quanto à execução, os jogos rodam sem qualquer engasgo ou carregamento e mesmo o processo de alternar entre um jogo e outro é instantâneo.

Curiosidade: somente SF 3: Second Impact traz a opção de tela wide de forma nativa.
No quesito visual as opções são as básicas: é possível alterar o aspecto da tela entre 4:3 com bordas nos quatro lados, só nas laterais ou widescreen, que só estica os gráficos (e pessoalmente não recomendo). As alternativas de filtros gráficos são bem limitadas. A interface geral do game não é ruim mas poderia ser melhorada, especialmente nas telas de versus por exemplo.

Fechando essa parte, falemos dos modos de jogo, que não são muitos. Além do Modo Arcade, todos os títulos possuem um Modo Versus off-line. Um modo de Treinamento também está disponível mas se aplica somente a quatro títulos: SF2: Hyper Fighting, SSF2 Turbo, SF Alpha 3 e SF 3: Third Strike.

Todos os jogos da coleção possuem uma bio bem completa, com curiosidades da produção e os famosos "segredos".

Só não vale desligar a máquina

Um ótimo recurso dessa coletânea é a inserção das partidas online, permitindo batalhas ranqueadas e casuais. Contudo a jogatina online se aplica somente a quatro dos doze jogos do pacote, exatamente os quatro citados no parágrafo anterior. Eu gostaria que o Alpha 2 tivesse on-line? Gostaria, mas entendo a escolha que fizeram, de usar os jogos mais "completos" de cada arco.

No que eu pude testar sempre foi rápido achar uma batalha e geralmente ela rolava sem muitos problemas. Além dos modos de busca, você também pode jogar o Modo Arcade enquanto espera um oponente, tal como é possível fazer nas edições recentes de Street Fighter. Ponto negativo fica por conta do jogo não te informar o nível da conexão do seu oponente, mesmo havendo esse filtro nas opções de matchmaking.

Modo treinamento

Vá para casa e seja um homem de família

Uma coletânea dessa seria interessante só pelos jogos mas felizmente a Capcom fez um belo trabalho não só em relembrar os jogos mas a própria história. Cada título tem um texto contando sobre o histórico do jogo, o contexto da época, curiosidade e até mesmo algumas dicas para liberar personagens e lutas secretas (e todas funcionam, vale mencionar).

Também disponível temos uma sessão na qual é possível ver os perfis de todos os personagens que já apareceram nos jogos. Além das informações costumeiras também é possível visualizar cada frame de cada golpe especial. Um recurso bacana, no qual é possível ver os detalhes de cada animação.

Único ponto negativo desse modo é que nem todos os movimentos estão disponíveis para visualização.
Há um grande acervo de artworks e rascunhos não só dos jogos disponíveis mas de outros da série, desenhos para revistas, artes promocionais etc.As músicas dos games também estão todas disponíveis para serem apreciadas.

Arte promocional de Street Fighter 2 confirmando que o Blanka é o melhor boneco
Por fim, os menus e textos históricos estão todos em português enquanto os jogos estão em inglês. A tradução no geral é boa, mas aponto aqui um pequeno erro: na hora de indicar algum botão nas informações sobre dicas é usada a notação em inglês, o que pode gerar uma pequena confusão, já que nas configurações os nomes estão traduzidos.


As bordas da tela usam a mesma imagem para cada série. Poderiam ter colocado um fundo para cada títulos, não?

Falando em controles, achei que faltou a opção para configurar algum botão como três de soco e três de chute. Em alguns jogos isso ajudaria um pouco, especialmente quem joga no controle normal.

Você sabe quem vamos buscar, né?

Essa coletânea de 30 anos de Street Fighter traz um pacote de jogos bastante interessante, principalmente no aspecto histórico, quando pensamos que vários desses títulos não eram facilmente encontrados hoje em dia.

Alguns “poréns” existem, é claro. Podemos questionar porque a Capcom não optou por trazer versões melhoradas lançadas nos consoles, como a SF3: Third Strike Online Edition (PS3/X360) ou SF Alpha 3 Max (PSP) por exemplo. Embora ter essas edições fosse muito interessante, o objetivo aqui foi retomar especificamente as versões arcade, respondendo essa questão. Quem sabe em outra coletânea?

De modo geral, o pacote oferecido aqui é bem bacana e vale bastante a pena, seja para os velhos ratos de fliperama, ou para quem não pegou a boa época dos arcades mas quer ter por perto os grandes jogos da série, e sem torrar uma grana com fichas.

Prós

  • Versões fiéis aos arcades;
  • Emulação bem feita, sem carregamentos;
  • Grande material histórico, como textos e imagens;

Contras

  • Interface geral muito simplória;
  • Falta de possibilidade de configurar botões de 3 socos/chutes;

Street Fighter 30th Anniversary Collection  — PS4/XBO/Switch/PC —  Nota: 8,5
 Versão usada para análise: PlayStation 4

Análise feita com cópia digital cedida pela Capcom

Flávio Augusto Priori é formado em design de jogos e tenta ganhar a vida com esse negócio chamado video game. Para ele Metal Gear é a melhor série já feita e ainda acredita na volta da SEGA. Escrevia para o saudoso Minha Tia Joga LoL e hoje pode ser achado no Facebook e no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook