Jogamos

Análise: Sega Genesis Collection (PS4/XBO): revisitando os bons tempos de Mega Drive

Nova coletânea traz mais de 50 jogos da época do Mega Drive.

Quando comecei a rascunhar essa análise, me veio à mente como a Sega talvez seja uma das empresas que mais mantém vivo seu antigo catálogo. Evidente que outras desenvolvedoras também fazem esse tipo de trabalho, mas vejo a casa do Sonic como uma das mais focadas em não deixar o próprio legado morrer. Ou ao menos parte dele.


Isso se confirma no mais novo lançamento nesse sentido, a Sega Genesis Collection para PS4 e XBO, a maior reunião de títulos do saudoso Mega Drive em um único pacote até o momento, reunindo 53 jogos e mais alguns recursos adicionais.


A primeira coisa a se falar aqui é sobre a lista em si. A variedade de títulos é grande, com games dos mais diversos estilos, faltando somente jogos de esportes e de corrida. Também não espere encontrar jogos de outras distribuidoras, como Capcom, Konami, EA ou qualquer outra. Todas as pérolas são genuinamente da casa.

Levando isso em conta, muitos dos clássicos Mega Drive estão presentes: Sonic, Sonic 2, as trilogias Golden Axe e Streets of Rage, Shinning Force 1 e 2, Phantasy Star 2, 3 e 4, Ristar, Gunstar Heroes, Wonder Boy, Toe Jam & Earl, Shadow Dancer entre outros. É muita coisa que merece bastante tempo para ser apreciado. Particularmente, já estou me preparando para revisitar Shinning Force 2 e Phantasy Star IV. Confira a lista completa:



Mesmo com tantos nomes, algumas ausências da própria Sega são sentidas como Sonic 3, Super Hang-On, OutRun e Ecco The Dolphin. Infelizmente, não temos como saber por que esses títulos não entraram, é uma pena.

Vectorman 2

Gotta Go Fast

Seguindo adiante, vamos focar no tratamento dado a esse lançamento. Aliás, vale aqui um adendo: essa Sega Genesis Collection saiu só para consoles mas todos os novos recursos de interface foram implementados na versão PC da Sega Mega Drive & Genesis Classics através de um update gratuito.

Pois bem, o primeiro desses novos recursos é o suporte a multiplayer online para dois jogadores nos jogos que suportam um segundo player. Os usuais placares de pontuação e desafios também se fazem presentes.

Crack Down
Os recursos que mais me chamaram a atenção, contudo, foram outros. Um deles é a possibilidade de avançar e retroceder os jogos, tal qual um vídeo. Assim, você pode tentar refazer um pulo caso tenha errado ou então acelerar o passo em jogos mais parados (turma do RPG, estou olhando para vocês). Outra adição interessante é o Modo Espelho que, como indica, inverte totalmente os jogos, o que pode render novos desafios para aqueles jogos que você conhece de olhos fechados.

Configurações habituais de emuladores também estão presentes. Há um número decente de opções de filtros visuais e modos de tela, além de cada jogo poder ser salvo a qualquer momento (são quatro slots além do Quick Save).

As opções de configuração de tela e filtros de emulação.
Quanto à emulação em si, no geral funciona bem, mas não está livre de defeitos, ainda que mínimos — eu tive dois momentos específicos, jogando Shadow Dancer e Sonic 3D Blast, em que os jogos deram ligeiras travadas, coisa de meio segundo, talvez menos. Nada que comprometa, felizmente.

Shinning Force II

Sega does...

O espírito da nostalgia que essa coleção traz é bem forte e pode ser percebido a todo momento. Todo o menu principal simula um quarto de criança nos anos 90, com a prateleira de fitas, uma TV de tubo e diversos detalhes que fazem referência aos ícones da Sega. Porém senti falta de um cuidado maior na apresentação dos jogos em si.

A lista de games fica em uma prateleira, como se estivessem em caixinhas de Mega Drive. Porém só podemos ver a lateral delas e, uma vez selecionada, já vamos direto pro jogo. Seria muito bacana poder visualizar a arte completa das caixas e até ter uma pequena bio sobre cada um deles, o que ajudaria especialmente quem não conhece os jogos do pacote. Em última instância, poderíamos ter até os manuais originais disponíveis.

Alguns jogos trazem a opção de alternar a região do game, como Ristar que podemos jogar a versão japonesa ou americana.
Aproveito aqui também para fazer um comentário não sobre esse lançamento específico, mas sobre essas coletâneas em geral. Por mais que eu adore o fato da Sega não esquecer do Mega Drive, já era hora de ela dar mais amor aos seus outros consoles, que mereciam algo nessa mesma linha. Tem tanta coisa boa que só ficou no Saturn e no Dreamcast.

Siga a Sega

Coletâneas da Sega que trazem os clássicos da era do Mega Drive não são novidade, o que de forma alguma é algo ruim. Esse mais recente lançamento faz muito bem a lição de casa, trazendo mais de 50 jogos e com opções bacanas de emulação e extras interessantes, como o multiplayer online e o modo Espelho.

Tropeços existem, como a falta de alguns jogos da própria Sega na lista (cade Sonic & Knuckles??!!) e a falta de conteúdos extras, que inclusive já foram disponibilizados em coletâneas anteriores.

Ainda assim, é um pacote bem bacana e vale a pena para todos os fãs da Sega que existem por aí.

Prós

  • Mais de 50 jogos;
  • Função Avançar/Retroceder e Modo Espelho;
  • Multiplayer online;

Contras

  • Falta de alguns clássicos da própria Sega;
  • Sem extras dos jogos ou mesmo informações básicas.

Sega Genesis Collection — PS4/XBO — Nota: 8.0
Versão usada para a análise: PlayStation 4

Revisão: Renata Bottiglia
Análise produzida com cópia digital cedida pela Sega

Flávio Augusto Priori é formado em design de jogos e tenta ganhar a vida com esse negócio chamado video game. Para ele Metal Gear é a melhor série já feita e ainda acredita na volta da SEGA. Escrevia para o saudoso Minha Tia Joga LoL e hoje pode ser achado no Facebook e no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook