Jogamos

Análise: Trailblazers (Multi) tem ótima proposta desperdiçada

O game se beneficiaria mais se não levasse a si mesmo tão a sério.


O gênero de corrida é um dos mais populares e antigos nos videogames. Com novos títulos de franquias consagradas sendo lançados a todo momento, o espaço para inovação acaba se tornando limitado. Trailblazers (Multi) utiliza de forma eficiente esse espaço, mas peca ao não focar em uma diversão, de fato, descompromissada.

A Copa Trailblazers

O universo finalmente está em paz e o que mantém suas diferentes raças em tal estado pacífico é o torneio esportivo Trailblazers, focado em corridas com veículos flutuantes. A história de Trailblazers é contada através de diálogos durante uma campanha dividida em capítulos. Temos a oportunidade de controlar todos os personagens em seus respectivos veículos, todos com características e potencialidades únicas. É como um grande tutorial e, além de ensinar o jogador os conceitos mais básicos do jogo, também dá a chance de conhecer cada personagem de forma individual e seu envolvimento no contexto geral da história.

Nada aqui é de fato memorável, exceto o design cartunesco dos personagens. O game não possui diálogos dublados, e mesmo que consigamos distinguir características e traços de personalidade de cada personagem através da leitura, a falta de vozes não permite que o elenco atinja um charme maior dentro da história. Mesmo o panorama geral da trama é bem simples, servindo apenas como um motivo para colocar o jogador para correr em suas pistas. A falta de vozes é ainda mais acentuada ali pela metade da campanha, quando tudo começa a parecer extremamente arrastado e insosso. As pistas e as modalidades começam a se repetir e, o que outrora fora agradável, acaba se tornando tedioso.



Cada corrida presente nos capítulos da campanha de Trailblazers possui três objetivos que dão tokens para o jogador quando completados. Para avançar, é preciso cumprir ao menos um objetivo dos três disponíveis. Muitos são extremamente simples, como completar uma volta em primeiro lugar ou finalizar a corrida em uma determinada posição, enquanto outros oferecem uma boa dose de desafio e dor de cabeça para serem completados, especialmente com a IA agressiva e desafiadora do game. A corrida em si, aqui, acaba ficando em segundo plano. Cumpra um objetivo, termine na última colocação e ainda assim tudo ficará bem.

Pintando e acelerando

Acelerar apenas não basta, e é aqui que entra a maior inovação do game no gênero de corrida. É possível pintar a pista e criar uma trilha com as cores do seu veículo e time. Correr nessas trilhas fornece um boost de aceleração e velocidade, e usá-las é fundamental para chegar entre as primeiras colocações. Mas não pense que a corrida se tornará fácil, pois da mesma maneira que o jogador pinta, os oponentes fazem o mesmo. Além de podermos deixar rastros, temos a opção de um “ataque de tinta”, que pode ser usado quando a barra de tinta está completa, lançando uma linha frontal e que faz qualquer veículo inimigo rodar caso seja atingido.

Cada veículo em Trailblazers é único, contando com atributos próprios. São três atributos principais: Manuseio, Trilhas e Impulsionado. Veículos leves são focados em aceleração e manuseio, enquanto veículos pesados são ótimos para criar trilhas de tinta, visto que sua carga de tinta é maior, permitindo criar trilhas mais extensas antes de ter de esperar a barra se encher novamente. Nas corridas em equipe, ter um time com habilidades mistas e balanceadas é fundamental para a vitória, especialmente em eventos de pontuação.


Infelizmente, Trailblazers é extremamente punitivo em seu sistema de pontuação. Derrapar, correr em alta velocidade em trilhas e pintar a pista sempre gera pontos, e o jogador pode conectar todas as manobras, criando combos e gerando multiplicadores. Porém, qualquer esbarrão, mínimo que seja, faz com que o jogador perca seus pontos. É frustrante, visto que isso atinge até mesmo partes da pista que são elevadas, como rampas. Além disso, há trechos estreitos e com pouco espaço para manobra. Incontáveis vezes me vi perdendo uma boa quantia de pontos porque esbarrei a beiradinha de meu carro em uma barreira lateral da pista, ou mesmo por trombar com companheiros de equipe. Embora eu entenda o conceito de criar um desafio maior e exigir mais da habilidade dos jogadores, pontuar em alta velocidade é algo extremamente difícil e nada divertido. Em um jogo cuja natureza é voltada para o “arcade”, era de se esperar uma diversão mais descompromissada e um pouco menos punitiva.

Mesmo com as características únicas de cada carro, o game poderia oferecer um sistema de customização visual dos veículos e de suas características, dando maior liberdade ao jogador para criar um veículo que satisfaça de forma completa seu estilo de jogo. Talvez em uma sequência? Quem sabe.

Diversidade de pistas e modos de jogo

As corridas em Trailblazers ocorrem em diversas localidades fictícias da galáxia. Os circuitos são cheios de opções de caminhos e atalhos, dando maior margem de escolha para os corredores. São dez pistas no total, indo de grandes centros urbanos e pântanos, até áreas desérticas. Todas são únicas e bem distintas, mas não diria que alguma delas chega a ser memorável. Todas elas são oferecidas em modo reverso, espelhado e também em modo reverso espelhado, dando, assim, uma imensa variedade de pistas para os jogadores, ainda que nos mesmos cenários.

Os modos de jogo oferecidos são: Corrida em Equipe, Teste de Tempo, Batalha de Parceiros, Todos Contra Todos e Perseguição de Portal. Corrida em Equipe é uma corrida em times de três corredores que exige trabalho conjunto em busca da melhor pontuação ao final da corrida; Teste de Tempo é uma prova de velocidade, em que o vencedor é aquele com o menor tempo cronometrado para completar a corrida; Batalha de Parceiros, com times de dois corredores em busca da maior pontuação; e Perseguição de Portal, cujas trilhas de tintas só podem ser criadas ao atravessar portais espalhados pela pista.



O game pode ser jogado por até seis jogadores online em partidas solo ou de equipe. Também é possível ser jogado por quatro jogadores em multiplayer local, neste que é o modo mais interessante para ser jogado com amigos. O modo online, por sua vez, parece extremamente vazio, e tive muita dificuldade de encontrar partidas mesmo tendo habilitado o cross-play entre PS4 e PC.

Trailblazers (Multi) é um bom jogo de corrida arcade, com uma proposta sólida, simples e, no geral, bem executada. O foco no trabalho em equipe e os embates entre os “pintores” de pistas são interessantes e dão um ar de novidade muito bem-vindo no gênero de corrida. Ainda assim, Trailblazers desperdiça seu potencial com um sistema de colisão extremamente punitivo, não priorizando a diversão. Sua campanha possui personagens legais e interessantes, mas a falta de vozes torna tudo cansativo e arrastado com pouco tempo de jogo. Uma diversidade grande de modos de jogo e pistas, aliada com a possibilidade de multiplayer local para até quatro pessoas tornam o game uma opção válida para uma tarde de diversão entre amigos.

Prós

  • Personagens curiosamente divertidos;
  • Mecânica de pintura de pistas;
  • Variedade de pistas;
  • Divertido em multiplayer local.

Contras

  • Modo história arrastado e sem dublagem de vozes;
  • Sistema de pontuação extremamente punitivo;
  • Poderia contar com customização de veículos e habilidades.
Trailblazers — PS4/XBO/PC — Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Ana Krishna Peixoto
Análise produzida com cópia digital cedida pela Rising Star Games 
Francisco Camilo é formado em Serviço Social pela PUC-MG e até hoje não entende a verdadeira razão de ter feito tal curso. Apaixonado pelo mundo dos jogos eletrônicos, tem em sua mente um futuro ideal cuja existência é incerta e o leva a questionar se o que imagina é parte de um sonho ou ilusão. Pode ser encontrado aqui principalmente em análises e buscando troféus na PlayStation Network.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook