Fail

Star Wars 1313 (Multi) — O jogo do Boba Fett jamais lançado

Há muito tempo, numa galáxia muito distante, vários jogos de Star Wars viam a luz do dia, mas aí tudo isso mudou quando a nação da Disney atacou.


Star Wars é uma das maiores e mais amadas franquias de entretenimento de todos os tempos. A saga começou nos cinemas, lá no ano de 1977, e desde então já foram nove filmes que marcaram para sempre a cultura pop. O sucesso não parou por aí e logo começaram a surgir livros, quadrinhos e até jogos para expandir o universo da série.


Tudo isso era supervisionado pela própria LucasFilm, diretamente por sua subsidiária — o estúdio LucasArts. Foi desse estúdio que surgiram os jogos mais clássicos da franquia, sendo responsável por jogos como o Star Wars Battlefront (Multi) original, Star Wars: Rogue Squadron (N64/PC) e o controverso Star Wars: The Force Unleashed (Multi). Eles tinham acabado de adquirir a licença para usar a Unreal Engine 3 quando o fatídico dia chegou.

Em 30 de outubro de 2012, a Disney anunciou a compra da LucasFilm e com ela os direitos sobre a franquia Star Wars. Com um plano muito bem definido para o futuro de Star Wars, que ressurgiu com o filme Star Wars: O Despertar da Força (2015), a empresa cancelou tudo da franquia que estava em produção na época o que acabou incluindo o promissor Star Wars - 1313, planejado para Playstation 4, Xbox One e PC. Para celebrar mais um Dia de Star Wars, relembre com a gente aquele que é o maior jogo de Star Wars jamais lançado. Que a Força esteja com você! 

Seja bem-vindo ao Nível 1313!


Esse tem o poder da Força!


Star Wars 1313 (Multi) foi anunciado na E3 2012 e pegou todos de surpresa com sua história sombria e gráficos realistas. O jogo iria se passar no planeta de Coruscant, velho conhecido dos veteranos da série por ser a sede da República na trilogia prequel, mas em um lado da cidade nunca antes visto. Se nos filmes vemos os níveis mais altos, agitados e tecnológicos, o jogo iria nos levar ao obscuro submundo da cidade-planeta — mais especificamente o nível 1313. Isso marcaria uma mudança brusca de tom para os fãs da época, acostumado com os filmes mais leves e para toda família. Foi uma mudança muito bem recebida pelos fãs se tornando um dos jogos mais aguardados da saga.

O protagonista seria um caçador de recompensas tentando ganhar a vida de um jeito moralmente duvidosos. Pelos poucos trailers disponíveis, dá para perceber que a jogabilidade seria bem focada num estilo de ação mais cinematográfica que estava em ascensão na época. O jogo chegou inclusive a ser chamado de “Uncharted do universo Star Wars” por diversos membros do projeto, o que dá uma ideia geral do que eles estavam tentando alcançar com o jogo.

Imagine que o Nathan Drake decidiu sair pelo espaço como um caçador de recompensas e você tem uma ideia do que era Star Wars 1313
Assim como na série Uncharted, o combate do jogo seria em terceira pessoa com uma forte dependência de cobertura e o jogador teria a sua disposição o arsenal de um verdadeiro caçador de recompensas (blasters, granadas de concussão e tudo que tem direito), como o próprio Boba Fett em Star Wars: O Império Contra Ataca (1980). Falando no Boba Fett, ele teria um papel importante na trama servindo como mentor do protagonista. A adição do personagem foi feita mais adiante no projeto por uma exigência direta do próprio George Lucas que confiava bastante no jogo e queria torná-lo mais comerciável.

Estou com uma sensação ruim...


O ano foi passando e as notícias do jogo eram cada vez mais escassas. O trailer da E3 ainda era a única prévia disponível do jogo e o pouco que foi mostrado ainda dava o que falar. O trailer já incluía o Boba Fett, mesmo que sem sua icônica armadura mandaloriana, e contava com gráficos tão impressionantes que fez com que muitos acreditassem que só consoles de nova geração seriam capazes de rodar o jogo. Mesmo sem um novo trailer, tudo parecia estar indo bem no desenvolvimento já que os produtores mostram cenas dos bastidores de tempos em tempos. Foi quando tudo parecia bem que tudo começou a dar errado.



No final de 2012, a LucasArts foi comprada pela Disney pela aquisição de sua proprietária, a LucasFilms, num acordo de 4.05 bilhões de dólares. A notícia pegou todos de surpresa e os fãs de Star Wars foram a loucura com as possibilidades de novos filmes para a franquia depois de quase uma década. Lembro que um representante da Disney chegou a assegurar que todos os empregados da LucasFilms e suas subsidiárias continuariam nos mesmos cargos, mas é claro que não foi bem assim que aconteceu.

Em março de 2013 começaram os rumores de que todos os projetos da LucasArts estariam em hiato até que a Disney decidisse o que iria fazer com os jogos da franquia. Naquele momento ela já havia anunciado que planejava começar uma nova trilogia de filmes que se passaria após os eventos da trilogia original e que todos seus esforços estavam voltados para este projeto. Ela também garantiu que todos os produtos de Star Wars lançados pela marca Disney a partir da aquisição fariam parte do cânone, o que incluiria as animações, livros e também jogos.
As artes conceituais de Star Wars 1313 mostravam fortes influências de Neuromancer e outros clássicos do cyberpunk


Um mês depois, a Disney fechou oficialmente a LucasArts cancelando todos os cinco projetos de Star Wars que o estúdio produzia na época. A LucasArts continuou como uma distribuidora, lançando jogos menores como o Angry Birds: Star Wars (Multi) da Rovio. Já o brilhante Star Wars 1313 nunca veria a luz do dia.

Uma nova esperança

O tempo passou e os fãs foram aos poucos aceitando a morte prematura de um jogo que prometia ser a melhor experiência single-player da franquia. Apesar de ter inúmeros jogos lançados, aquele seria o primeiro jogo realmente focado em história desde Star Wars: Knights of the Old Republic II (PC/XB).




A licença de Star Wars foi entregue exclusivamente a EA que trabalharia junto com a Disney para trazer jogos que tivessem alguma relevância para o novo universo da franquia. Dessa parceria surgiu o novo Star Wars Battlefront (Multi) que foi recebido com certo receio pela crítica e pelos jogadores. Pensando em aproveitar o hype por Star Wars que ressurgiu com O Despertar da Força, na E3 2016 a EA decidiu revelar todos os seus projetos relacionados a Star Wars em produção com um rápido vídeo de bastidores na sua conferência de imprensa. Foi no meio desses novos jogos anunciados que surgiu no coração de fãs uma nova esperança.

Entre alguns jogos mobiles e um papo sobre DLC para Star Wars Battlefront, pudemos ter um vislumbre do novo projeto da Visceral, mesmo estúdio por trás da trilogia Dead Space (Multi). Era um novo jogo de Star Wars para a nova geração com um foco na história.


Vemos por apenas alguns segundos o seu protagonista emergindo em uma cidade meio suspeita com bandeiras do Império. Quem nos apresentava o novo jogo era ninguém menos que Amy Hanning, roteirista da franquia Uncharted. Foi aí que as peças começaram a encaixar e os fãs começaram a surtar nas teorias dizendo que o novo jogo da Visceral era nada mais nada menos que o finado Star Wars 1313.

É uma armadilha!

O pior é que não dava para culpar os fãs: todas as evidências apontavam para que o novo jogo da Visceral fosse mesmo em alguma forma fruto de Star Wars 1313. A começar pela contratação de Amy Hanning. Se você lembra bem, Star Wars 1313 era conhecido internamente como o “Uncharted do universo Star Wars” e não era coincidência Amy Hanning ter sido contratada para este projeto.

Ela estava trabalhando no roteiro de Uncharted 4: A Thief’s End (PS4), jogo que fechava a história de Nathan na franquia, quando foi chamada pela EA e largou tudo para realizar o seu sonho de escrever uma história de Star Wars. Claramente a oferta da EA deve ter sido muito boa, provavelmente porque eles precisavam muito de uma especialista em Uncharted para que seu jogo desse certo.
Bastaram poucos segundos para atiçar de vez a imaginação dos fãs

Além disso, menos de um ano antes, a presidente da LucasFilm, Kathleen Kennedy, fez questão de falar com todas as letras em uma entrevista que a Disney não havia esquecido de Star Wars 1313. Segundo ela, o jogo já estava muito avançado para simplesmente descartar tudo.

Na época, muitos fãs continuaram incrédulos, até que o jogo da Visceral surgiu com uma premissa muito similar. Uma das poucas coisas que se sabia sobre o jogo é que ele era focado no single-player e protagonizado por um caçador de recompensas, assim como Star Wars 1313. As expectativas estavam cada vez maiores para enfim podermos jogar o jogo de Star Wars que sempre pedimos. As coisas pareciam estar se encaminhando, quando Mass Effect Andromeda (Multi) aconteceu.

A Ameaça Fantasma

Mass Effect Andromeda teve seu lançamento muito apressado pela EA, já que o desenvolvimento sempre atrasava. O jogo foi lançado ainda cheio de bugs e foi duramente criticado pelos fãs. A Bioware, estúdio responsável pelo jogo, teve que lançar diversas correções e pela repercussão negativa acabaram cancelando todos as futuras expansões do jogo. Foi aí que a EA decidiu de vez apostar em jogos multiplayer, como Star Wars Battlefront II (Multi).
Um jogo sozinho conseguiu tornar loot boxes ilegais na Bélgica, mas ainda assim parece ser o futuro de Star Wars na EA

Pouco antes do lançamento de Star Wars Battlefront II, que já se envolvia em bastante polêmica por seu sistema de microtransações, a EA decidiu fechar bruscamente a Visceral. O seu projeto de Star Wars foi cancelado e foi dito que ele seria retrabalhado por estúdios internos da EA para se adequar a uma experiência mais voltada ao multiplayer online. Nada de jogo focado em single-player. Nada de Star Wars 1313.

Com todos os problemas que Star Wars Battlefront II trouxe não só para a EA, mas para a Disney e a indústria de jogos como um todo, é bastante incerto o futuro dos jogos da franquia. Independente do que o futuro nos aguarda, só podemos esperar que um dia possamos finalmente viver nos jogos uma história emocionante numa galáxia muito muito distante.
Sempre há uma nova esperança para os fãs de Star Wars
Revisão: Gilson Peres
Gabriel Mattos escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook