Analógico

Estaria a série Sonic em constante "reboot"?

E se em todas as vezes que o ouriço viajou no tempo ele estivesse na verdade reescrevendo sua realidade?

Sonic é sem dúvida uma franquia muito amada e que até hoje, com mais de 25 anos de existência, conseguiu se manter viva apesar de seus altos e baixos. Recentemente os fãs do ouriço foram agraciados em 2017 com dois títulos: Sonic Mania (Multi), visando mais os fãs de longa data do velocista em seu estilo completamente clássico, e Sonic Forces (Multi), que segue o estilo dos jogos atuais com correria frenética e muita ação acontecendo em tela. Ambos tiveram boas recepções por parte de seus públicos, porém tanto Mania quanto Forces confundiram um pouco os analistas de timeline da série principal: Se Sonic Mania é a continuação de Sonic 3 & Knuckles (MD), onde entram os dois jogos do Sonic the Hedgehog 4 (Multi)? E onde foram parar todos os humanos do planeta já que Sonic Forces se passa na própria Terra?

Dúvidas e mais dúvidas rodeiam a cabeça dos fãs nesse ponto, já que a forma como os jogos dão continuidade não é tão complicado quanto uma timeline de franquias como The Legend of Zelda ou Bioshock. No entanto foi conversando com um colega (tão fã da série quanto este que vos escreve) que a seguinte hipótese foi levantada: E se na verdade a timeline durante todo este tempo tem sofrido alterações devido às viagens temporais realizadas por Sonic e companhia? E é justamente estas questões que iremos (ou no máximo tentaremos) resolver.

ATENÇÃO: Séries spin-offs como os jogos de Sonic Boom (Wii U/3DS) e de Sonic Story Books (Wii) serão desconsideradas dessa teoria, assim como possíveis jogos sem foco na história do cânone principal.



A Cronologia da série

Sim! A timeline de Sonic também
pode ser bastante confusa.

Dando uma rápida olhada nos jogos que cooperaram para todo o desenvolvimento da história até o momento, verificamos que tudo se inicia com SegaSonic the Hedgehog (Arcade) e em seguida temos os quatro principais jogos clássicos: Sonic 1 (MD), Sonic 2 (MD), Sonic 3 (MD) e Sonic & Knuckles (MD), com os jogos Sonic Chaos (Game Gear) e Sonic Triple Trouble (Game Gear) se sucedendo entre os períodos do segundo e terceiro jogo, e Tails Adventure (Game Gear) junto com as versões de Master System do Sonic 1 e 2 acontecendo respectivamente após os dois títulos de Mega Drive. Após isso vem a história de Knuckles' Chaotix (32X) e finalmente Sonic 4: Episode I e II, com Sonic CD (Sega CD) ocorrendo entre este meio tempo (segundo consta no website desse jogo) antes dos eventos do Episode Metal. Os demais jogos da série clássica podem facilmente se suceder após o fechamento de Sonic 4.

Após isso, algum tempo se passa até ocorrerem os eventos de Sonic Adventure (Dreamcast), Sonic Adventure 2 (Dreamcast), Sonic Heroes (Multi), Shadow the Hedgehog (Multi) e Sonic Battle (GBA), com os dois primeiros jogos da saga Advance acontecendo entre Adventure 2 e Heroes, e o terceiro após os eventos de Battle. Alguns acreditam que este arco é finalizado com Sonic Chronicles (DS), já que este possui elementos de vínculo com Sonic Battle e Sonic Advance 3 (GBA).

Por fim, a história procede logo em seguida por Sonic the Hedgehog (PS3/360), Sonic Unleashed (Multi), Sonic Colors (Wii/DS), Sonic Generations (Multi) e Sonic Lost World (Multi), com Sonic Rush (DS) seguido de Sonic Rivals (PSP) e Sonic Rivals 2 (PSP) ocorrendo após o jogo de 2006 e Sonic Rush Adventure (DS) se passando antes dos eventos do Unleashed. Assim, até o anúncio do título comemorativo de 2017, história terminaria em Sonic Forces (Multi).

Independente do tempo em que estiver, Sonic sempre correrá em busca de novas aventuras
Muito ainda é discutido sobre a posição de certos jogos na timeline (em especial os do período clássico), com alguns atribuindo que Sonic CD ocorre antes de Sonic 2 ou que Sonic Battle ocorre antes do jogo do Shadow, ou há até mesmo quem defenda que a trilogia Sonic Riders (Multi) se passe no cânone principal ou em uma timeline alternativa. No entanto são apenas devido a mini eventos que no final das contas não chegam a comprometer o andamento da cronologia. Infelizmente os novos títulos da saga praticamente chutaram a lógica aparentando excluir muitos eventos importantes para o andamento da timeline até então apresentada.
Um ótimo jogo para deleite dos fãs e confusão da cronologia

Mania parece excluir os acontecimentos de Sonic 4 bem como apresenta personagens que só vieram a ser conhecidos alguns jogos mais a frente (como os personagens Bean e Bark), além de retomar eventos e fases de Sonic CD que teriam ocorrido depois de Sonic 4. Já Forces nos apresenta um mundo bem diferente do que nos foi mostrado em Sonic Unleashed, praticamente habitado apenas por espécimes antropomórficas e sem nenhum sinal de humanos a não ser o Dr. Eggman, o que é bem estranho tratando-se de um título no qual o cientista dominou quase todo o mundo.

Mas há perguntas ainda mais intrigantes que estas se formos analisar a cronologia como um todo, como: Se uma parte da Lua foi destruída em Sonic Advenrture 2, como ela aparece inteira em Sonic Heroes? Porque alguns personagens tem uma personalidade tão alterada em títulos posteriores? Se as espécies animais de Sonic e humanos compartilha a vivência no mesmo planeta, porque em alguns títulos lugares clássicos são partilhados e em outros parecem ser completamente inexistentes? Como se pode ver, não é de agora que certos aspectos dos jogos nos deixam com uma pulga atrás da orelha.

Uma timeline cheia de alterações


Muitos podem não saber, mas boa parte da origem de certos eventos nos jogos e adições de personagens se devem a uma jogada da Sega em querer que as histórias de Sonic fossem unânimes em outras mídias onde ele era apresentado. Só na Década de 90, o ouriço teve três adaptações de animação nas TVs americanas, cada um com aspectos e histórias bem diferentes, sem falar nos quadrinhos do personagem que vez ou outra adaptava alguma coisa dos jogos, mas seguia um caminho completamente a parte. No final das contas, a empresa percebeu que era melhor deixar cada mídia com seus respectivos “universos” e resolveu centrar-se mais nas histórias dos jogos (tido como o principal cânone da franquia).
As animações japonesas foram as que mais se aproximaram da história dos jogos

Foi na era 3D que a confusão começou a tomar forma com a difícil tarefa de inserir Sonic em ambientes mais realistas, porém mantendo os aspectos surreais com o qual ele sempre veio se desenvolvendo. Nesse período tivemos o maior patamar de novidades para a série: mais personagens, mais enredos com tensões, mais tramas pessoais, mas possibilidades de exploração para a série. Algo que inicialmente foi muito bom, mas como o tempo acabou tomando muita distância do que os jogos era antigamente, o que levou hoje a Sonic Team a catalogar Sonic como o da “dimensão clássica” e o da “dimensão moderna”. Mas os dois não são o mesmo que iniciaram a jornada desde Sonic 1? Se pararmos pra ver por este ponto, sim! Então como apresentar através dos jogos a explicação de que tudo tomou uma direção tão confusa? E a resposta pode ser mais simples do que imaginamos: Viagem no tempo.
É Sonic. Pelo visto paradoxos de tempo-espaço em seu mundo nunca terão fim

Se analisarmos toda a timeline dos jogos veremos que as maiores alterações existentes na série podem ser facilmente interpretadas como colapsos de alterações no espaço-tempo, e, tendo em vista que Sonic é uma série que usou essa temática mais de uma vez, ela poderia ser a resposta para essas mudanças que muitos consideram “absurdas”. Resumindo: Todas as vezes que Sonic e companhia viajaram no tempo, causaram mudanças significativas para o universo dos jogos, porém ninguém as percebe já que eles também fazem parte dessa mudança, semelhantemente à obras como Efeito Borboleta e Stains;Gate. Vamos ver isso melhor nos três jogos até agora que possuem viagem no tempo (Sonic CD, Sonic the Hedgehog 2006 e Sonic Generations) e que alterações foram causadas na timeline em cada um deles.

Little Planet desaparece: surgem os Chao e humanos "realistas"


De início não temos nenhuma alteração drástica com o andamento dos jogos clássicos: Sonic e seus amigos flickys (os animaizinhos que aparecem nos jogos) vivem em South Island num mundo aparentemente semelhante a Terra (em outras mídias sendo chamada de Móbius) e vive periodicamente enfrentando Dr. Eggman Robotnik e salvando seus amigos do maligno cientista, o qual busca conquistar o planeta roubando as Esmeraldas do Caos.

A trama vai seguindo esse mesmo ritmo até chegar em Sonic CD, no qual a história não se passa mais no planeta natal de Sonic e Robotnik, mas sim em Little Planet, que possui joias semelhantes às esmeraldas, porém com o poder de viajar no tempo: as Time Stones. Tudo vai se desenrolando até o final, quando Sonic finalmente consegue libertar o pequeno planetoide do poder do vilão e restabelece um futuro bom para o mesmo.
Libertar Little Planet pode ter sido mais custoso do que parece

No entanto mexer com o poder das Time Stones trouxe algumas alterações despercebidas tanto pro nosso herói quanto para o vilão, pois, em suas próximas aventuras, Sonic e seus amigos se deparam com seres humanos e interagem com estes como se ambas as espécies já se conhecessem, o que pode ser justificado por Sonic e Eggman nunca aparentarem ter estranhado a existência um do outro (inclusive é onde conhecemos mais sobre o passado da família Robotnik). Assim como este humanos, Sonic e seus amigos tomaram um aspecto mais realista bem como a paisagem do planeta se mostrou mais próxima do que conhecemos no mundo real, mesclando lugares clássicos, como Angel Island e Ice Cap, com um design mais próximo da realidade.
As novas criaturas que passaram a fazer parte desse mundo 

Além disso, há uma nova espécie coexistindo com eles: os Chao, criaturinhas parecidas com os flickys, mas que não possuem aparência animal, sendo bem singulares em sua anatomia. Após a alteração do tempo-espaço, a cronologia os colocou como uma raça existente desde os tempo antigos, quando habitavam o templo da Master Emerald guardada pelos ancestrais de Knuckles. É a partir desse primeiro “reboot” também que entidades cósmicas, como Chaos e Mephiles, começaram a interferir no percurso da humanidade (certamente sabendo que havia algo errado com a realidade, e para isso precisavam fazer alguma coisa a respeito). O mundo segue com estas modificações naturais até que uma nova alteração ocorresse, o que se sucede no jogo de 2006.

A morte de Solaris: surgem os Wisps e humanos cartunescos


Em Sonic 2006, Mephiles une-se a Iblis criando a deidade Solaris. Sonic juntamente com Shadow e Silver conseguem contê-lo e a Princesa Elise o destrói anulando possíveis paradoxos que as viagens no tempo com o Chaos Control tenham realizado. Mais uma vez uma nova alteração universal ocorre, desta vez levando as Esmeraldas do Caos a terem sido guardadas tempos atrás em templos de culto a Gaia. No entanto civilizações antigas como a dos ancestrais de Knuckles não aparentam terem sofrido alterações, assim como os Chao não desapareceram (o fato de Cheese ainda aparecer ao lado de Cream comprova isso).
A luta contra Solaris mais uma vez trás alterações para este universo

De cara a mudança mais visível está nos humanos, que aparentam ter agora um semblante mais cartoon (diferentemente do design realista de antes). O planeta também sofreu algumas alterações após as intervenções no espaço-temporal, como a “ausência” de lugares já conhecidos e um mundo muito mais próximo da Terra que conhecemos tanto em sua geografia quanto em lugares que mantêm os aspectos de seus respectivos países.

Bem como antes, aqui também surge uma nova espécie, porém não pertencente ao planeta Terra. Trata-se de seres alienígenas chamados Wisps, os quais são feitos de pura energia podendo compartilhá-la com outros seres que tenham algum tipo de habilidade especial, servindo como um amplificador para estas. Algo que se pode notar também é com respeito a personalidade de alguns personagens: Tails, que antes já havia superado suas fraqueza, parece ter regredido a um aspecto medroso diante de certos perigos; Amy, embora ainda muito apaixonada por Sonic, apresenta ser mais madura perante situações arriscadas.
Wisps, os "mascotes" da vez!

Também é a partir daqui que os antigos e desconhecidos universos começam a coexistir de modo paralelo ao novo, o que pode explicar a questão de Blaze ter se originado em outra dimensão após o final de Sonic 2006 ou até mesmo de Sonic, Tails e Robotink da era clássica estarem tão diferentes em diversos aspectos de suas “versões mais velhas”, embora ainda compartilhassem o mesmo passado. Assim o mundo se mantém estabilizado após mais uma alteração temporal até os eventos de Sonic Generations.


Derrota de Time Eater: surge a Phantom Ruby e seres animalescos no lugar dos humanos


Em Generations nosso herói em suas versões clássica e atual tem de enfrentar um novo inimigo: Time Eater, o qual possui controle sobre todo o espaço-tempo que já existiu, que existe e que ainda há de existir. Os dois Sonics em suas super formas derrotam o terrível ser e depois são enviados para seus respectivos presentes, e é justamente aqui onde as mudanças ocorrem de modo mais crítico.

Logo de cara é possível perceber que o mundo atual de Sonic, apresentado em Sonic Forces, praticamente extinguiu a existência dos seres humanos (com exceção do Eggman) e os substituíram por seres antropomórficos. Ok, alguns poderiam até dizer que os humanos não foram de fato substituídos e que apenas houve um gradativo aumento das espécies de Sonic e companhia pelo mundo, no entanto isso não muda o fato de que nem sequer temos sinais de que eles ainda existem nesse novo universo. Eggman dominou 99% do mundo e os únicos que vemos enfrentando sua tirania são “furries”?
Pelo visto a situação do mundo ficou bem mais catastrófica. Será que a tendência é piorar?

Aliás outra coisa que mudou novamente foi a geografia do planeta, completamente diferente da Terra que conhecemos, agora o mundo parece ter expandido lugares clássicos como Green Hill (que era parte da região de South Island) e Chemical Plant (que antes era uma pequena área de West Island), além de apresentar uma nova linguagem que não é o alfabeto tradicional, como pode ser visto em letreiros e outdoors espalhados pelas cidades. Wisps parecem ter se espalhados mais pelos universo, estando presente em diversos planetas (suas aparições em Lost World e no planeta de Sonic comprovam isto).

Mas certamente o que mais chama a atenção nesse universo repaginado é a presença de uma nova joia: a Phantom Ruby, que ao que tudo indica sempre esteve soterrada em Angel Island desde eras antigas. Ela tem o poder de criar realidades ilusória na mente das pessoas. O mais intrigante é que a vemos pela primeira vez no jogo Sonic Mania, que devido a isto realiza uma ligação com Sonic Forces no qual Phantom Ruby é o principal objeto da trama.
Infinite, usando o poder da Phantom Ruby, pode alterar toda a realidade ao seu querer

O problema é que Sonic Mania, segundo seu manual, ocorre algum tempo depois dos eventos de Sonic & Knuckles. Até aí não teria nada demais, porém a ocorrência de seus eventos neste período anula a existência de Knuckles' Chaotix, Sonic the Hedgehog 4 ou mesmo Sonic CD da timeline principal, distorcendo elementos que teriam de ocorrer anteriormente a este título. Isso nos faz indagar que, após o retorno do Sonic Clássico ao seu tempo atual, ele tenha seguido um caminho diferente após os eventos de Sonic & Knuckles, vivenciando a história de Sonic CD anteriormente a este e agora trilhando em uma timeline completamente à parte da que foi apresentada anteriormente. Isso inclusive explicaria porque o Sonic gordinho de olhos pretos não é mais chamado de “Sonic Clássico” por Tails e os demais, mas sim de “Sonic de outra dimensão”. A explicação mais sensata é que o final de Sonic Generations tenha dividido a cronologia em duas partes, como se fossem universos paralelos mas com uma mesma origem.

Apenas teorias e nada mais que teorias!


Por mais que alguns defendam posicionamentos diferentes ou tenham seu próprio headcanon sobre os seguimentos da série principal, sempre vale lembrar que tudo o que foi apresentado nessa matéria é apenas uma teoria criada a partir de elementos existentes nos principais jogos da franquia. Nada é oficial no andamento dessa ideia e sempre poderá haver algum “furo de roteiro” aqui ou ali, sem falar que responder todas as questões levantadas em uma série com mais de 30 títulos em sua timeline principal e mais de 25 anos de existência não é tarefa fácil.
O que esperar do futuro? Sonic em um mundo a lá Terminator?

Pode até ser que a Sonic Team tenha idealizado algo mais coeso para todos os títulos apresentados até o momento, e quem sabe em algum futuro distante todos esses porquês possam ser respondidos de forma lógica. Mas até lá nada impede que os fãs tenham a sua própria visão de como as coisas funcionam no universo da série e assim continuem a elaborar suas mirabolantes respostas diante de tudo o que nos foi apresentado até hoje. Futuros títulos confirmariam isso ou revelariam algo completamente diferente do que foi proposto aqui? Como já dizia a banda Crush 40 em sua música tema para Sonic Unleashed, “endless possibility! (possibilidades sem fim!)”.


Revisão: Luigi Santana
Áquila Braga escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook