Jogamos

Análise: Kingdom Come: Deliverance (Multi), nobres, sangue e horas de treino

Vamos explorar o belo reino da Bohemia, enquanto buscamos vingança e nos tornamos excelentes cavaleiros.

Kingdom Come: Deliverance (Multi) é um jogo que foi lançado no dia 13 de fevereiro, desenvolvido pela Warhorse Studios e publicado em parceria com a empresa Deep Silver. Ele possui foco na história e eventos reais que ocorreram no período, sendo um RPG em primeira pessoa. Além disso, o jogo é ambientado também com um mundo aberto bem interessante.

Pego entre a disputa de reis

O jogo conta a história de Herny, que logo se vê em meio a uma disputa pelo trono do reino da Bohemia. O rei Sigsmundi, após capturar seu irmão, Wenceslas IV, toma controle do reino a força. Para impedir insurgências contra seu reinado o vilão começa a destruir os vilarejos e matar todos os homens leais a seu irmão, espalhando o medo e a insegurança. Durante o ataque em sua vila, nosso jovem herói vê seus pais sendo mortos pelos soldados de Sigsmundi. E enquanto corre por sua vida, Henry, jura vingança e começa sua jornada.

A medida que a história se desenrola, criamos empatia por Henry, observando seu crescimento de um plebeu do interior para um famoso cavaleiro ou um poderoso assassino. Além de possuir uma excelente narrativa, a história do jogo retrata bem os eventos históricos os quais representa, encaixando bem com a jogabilidade apresentada pelo jogo e se mesclando com o cenários apresentado.


As missões são bem diversificadas, retratando bem a época na qual se passa e a ascensão de Henry. Porém, muitas vezes somos surpreendidos com bugs, alguns bem simples como delay no carregamento dos personagens e outros, mais chatos, como o personagem ficar preso entre paredes invisíveis, muitas vezes forçando o jogador a recarregar no último ponto em que salvou, o que pode ser frustrante, pois os salvamentos automáticos são raros e as outras formas de salvar exigem que o jogador utilize um álcool extremamente caro ou dormir em uma taberna ou bordel.

De peão a cavaleiro

Henry é o filho de um famoso ferreiro que agora vive em uma pequena vila no reino da Bohemia. Após perder seus pais no ataque de Sigsmund, ele logo se vê numa jornada de vingança, se tornando um servo e escalando seu caminho para a nobreza. Apesar de não possuir nenhuma habilidade específica, o herói permite ao jogador ganhar níveis a medida em que usa as habilidades do personagem, o que influencia na utilização de armas, armaduras e outros aspectos da jogabilidade.


Outra forma de se ganhar experiência ou níveis é através da leitura. Porém, Henry, só pode utilizar este artifício após o jogador completar uma missão que permite ao herói aprender a ler. Em determinados níveis o jogador ganha pontos e pode escolher um dos talentos oferecidos relacionado a habilidade melhorada, ficando ainda mais poderoso.

Além disso, a aparência de Henry influencia diretamente em seus diálogos, fazendo com que o homem precise tomar banho, lavar suas roupas e remenda-las para receber um tratamento melhor dos NPC. Além do estado em que a roupa se encontra, a cor também influencia em alguns momentos, como usar roupas de cores escuras a noite permite o personagem ser mais ou menos furtivo.


Henry pode equipar 16 itens, entre armas e equipamentos, que oferecem status diferentes, aumentando ou diminuindo pontos de carisma, mobilidade, etc. As roupas utilizadas mudam a aparência do personagem. Alguns equipamentos utilizados pelo herói, como elmos, oferecem mais proteção mas podem prejudicar a visão. Além disso, ele pode mandar itens para seu cavalo, diminuindo o peso carregado.

Uma bela Bohemia

Para completar essa interessante história medieval, somos agraciados com um extenso e belo mapa que nos permite uma boa imersão no jogo. Os cenários e vestimentas presentes no jogo, são retratados da melhor forma possível pela equipe, trazendo uma boa variedade de lugares e situações. Mas apesar dos incríveis gráficos apresentados temos pouca variedade dos NPC, que possuem rostos bem semelhantes entre si. Inclusive muitos utilizando vestes repetidas. Além do bug, já citado, que ocorre nas texturas, temos uma tela de carregamento bem demorada e que podendo irritar os jogadores.


Já a trilha sonora surpreende, trazendo estilos musicais da época. Somos surpreendidos em alguns momentos com a cantoria e algumas danças divertidas. Além disso o som do ambiente dá um toque a mais na imersão, permitindo que os sons de batalhas sejam escutados e que animais sejam ouvidos enquanto caminhamos pelo mapa.

Treine duro para os combates

Kingdom Come: Deliverance oferece um grande número de mecânicas interessantes, que permitem ao jogador uma experiência fluida e divertida. Apesar de apresentar alguns problemas, sua mecânicas tornam o jogo mais imersivo. O jogo inicialmente parece bem difícil, possuindo mecânicas intimidadoras e complicadas, que após dominadas acabam tornando-o mais fácil e divertido, mas que não o deixam menos desafiador.


A medida que interagimos com personagens durante o jogo, temos a opção de escolher uma forma de persuasão, que acaba sendo relacionada ao carisma, status social, força ou pagando a pessoa. Cada uma dessas opções influencia o comportamento dos NPC de uma forma, além de permitir que Henry ganhe experiência e possivelmente níveis nas habilidades. Como foi dito acima, a aparência do herói também influencia bastante nessas opções.

O ciclo de dia e noite é bem presente e influencia o jogo, fazendo com que o jogador possa perder algumas missões ou irritar os NPC por não estar presente no lugar e na hora marcada. Além disso, caso não descanse, Henry começa a ficar cansado, diminuindo sua energia e deixando a câmera embaçada, às vezes até caindo de exaustão. Isso aumenta nossa imersão no mundo, questionando o momento certo de dormir.


Além de sono, nosso herói, pode ter diversos buffs ou debuffs, relacionado a diversos fatores, como comer muito ou comer pouco, sofrer machucados em algum membro entre outras coisas. E isso influencia muito na jogabilidade, pois se estivermos fartos estaremos mais lentos, se bebermos muito podemos nos tornar viciados, o que aumenta a imersão e faz a empatia com o herói aumentar.

Num mundo onde não existe magia ou itens mágicos, o jogador é forçado a aprender as regras, para sobreviver no mundo hostil em que foi inserido. Porém, após dominadas, elas recompensam o tempo gasto pelo jogador. O combate se torna fluido e tático, exigindo paciência e um bom domínio das técnicas oferecidas, assim não basta o jogador ter apenas uma grande quantidade de itens melhores para ser um personagem forte. É preciso outros elementos mais estratégicos para isso, o que é uma boa característica para um RPG.


As mecânicas de combate funcionam muito bem, mas algumas precisam de ainda mais tempo e paciência para serem dominadas, como a arqueria, abrir fechaduras ou roubar estranhos na rua. O que pode ser frustrante para os jogadores casuais, mas um desafio para aqueles que buscam dificuldade.

Além dos itens se desgastarem com o uso, alguns alimentos possuem rápida deterioração, necessitando que o jogador se alimente rapidamente. Para conseguir novos itens ou reparar os antigos, temos a opção de barganhar com os vendedores, muitas vezes permitindo ao jogador economizar algumas moedas, mesmo que seja pouco, elas poderão ser úteis no futuro.


Essas excelentes mecânicas, permitem a criatividade do jogador, recompensando boas formas de se superar os desafios apresentados. Além disso, estas mecânicas tornam o mundo um lugar “vivo”, com senso de urgência para algumas missões oferecidas, nos obrigando a escolher com cuidado e nos prepararmos para as consequências de nossas escolhas.

Vale a pena?

Apesar disso, alguns bugs, característicos de mundos abertos, acabam ocorrendo com bastante frequência. Enquanto alguns, não atrapalham a jogabilidade e diversão, outros, podem frustrar o jogador, que precisará recarregar um ponto de carregamento já antigo. O jogo chegou até mesmo a travar uma vez outra, me fazendo perder uma boa quantidade de tempo investido, fazendo com que fosse necessário reiniciar o jogo.


Kingdom Come Deliverance (Multi) é um excelente jogo para os fãs de RPG, principalmente para aqueles que buscam bons desafios e gostam de uma boa história. As mecânicas apresentados pelo jogo necessitam de um bom tempo de aprendizagem e paciência, para fazer com que o jogo acabe se tornando mais divertido. Inicialmente um jogo difícil e aparentemente linear, ele surpreende com suas mecânicas e busca uma sincronia imersiva do jogador, além de criar a empatia com nosso herói. Kingdom Come: Deliverance deixa uma boa impressão e mostra a dedicação da Warhorse Studios para com seu novo título.









Prós

  • Excelentes mecânicas;
  • Boa imersão;
  • História realista e interessante;
  • Bom nível de dificuldade;
  • Missões criativas;
  • Mundo aberto realista.

Contra


  • Algumas mecânicas não funcionam;
  • Bugs;
  • Design repetitivo para os NPC’s.


Kingdom Come: Deliverance (PS4/XBO/PC) - Nota 7.5
Plataforma utilizada - PS4
Revisão: Gilson Peres
Antonio Stark escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook