Jogamos

Análise: Burnout Paradise Remastered (PS4/XBO) — uma remasterização modesta de um dos melhores jogos de corrida

Mesmo sem grandes mudanças, o game de 2008 se mostra divertido em sua simplicidade mesmo após 10 anos desde seu lançamento original.


Burnout Paradise (Multi) foi lançado originalmente em 2008, sendo o quarto jogo da franquia produzido pela Criterion Games. Sucesso absoluto, uma versão remasterizada chega aos consoles da atual geração para sanar um pouco a vontade daqueles que anseiam por um novo jogo da franquia.


Bem-vindos à Paradise City

Burnout Paradise é um jogo de corrida em mundo aberto. Ao invés de recorrer a circuitos fechados ou mesmo limitações de percurso dentro das corridas, o game deixa que o jogador decida qual o melhor caminho a ser seguido na hora de completar um evento. Para ajudar na navegação, entretanto, temos a presença de um minimapa no canto inferior direito da tela e um auxílio de placas na parte superior que indicam as melhores rotas a serem tomadas. Conforme passamos tempo percorrendo a cidade, vamos conhecendo-a e percebendo referências de localização, descobrindo atalhos e formando nossas próprias rotas. É importante o auxílio que o jogo traz, mas é possível jogar sem ele.

Uma das características mais legais de Paradise é o fato de que a própria cidade e sua composição funcionam como um personagem dentro do jogo, criando desafios e servindo de aliada. A inteligência artificial não é ruim, mas pode ser facilmente vencida a partir do momento em que o jogador se acostuma com os controles fáceis e simples do título e com as rotas dos eventos e os inúmeros atalhos, mas o tráfego do jogo sempre estará lá para dar uma pitada de nervosismo a cada curva e a cada reta em alta velocidade que percorremos.



Temos eventos espalhados por toda a cidade, sendo eles de cinco tipos diferentes. Races, que são corridas de um ponto a outro; Stuntman, em que o jogador deve percorrer a cidade realizando manobras para acumular pontos e bater a meta exigida; Road Rage, cujo objetivo do jogador consiste em eliminar outros corredores pela cidade e bater o número de eliminações exigidas; Marked Man, em que o jogador precisa ir de um ponto a outro enquanto sobrevive às investidas de carros inimigos mais fortes e agressivos do que o normal; e Burning Routes, que são eventos especiais que devem ser completados com carros específicos, e completá-los rende uma versão aprimorada do veículo utilizado.

Burnout Paradise não possui uma campanha ou qualquer tipo de história. Estamos aqui pela adrenalina proporcionada por sua excelente sensação de velocidade e batidas absurdas típicas da franquia. Para incentivar o jogador a completar seus eventos, o game possui um sistema de habilitação, indo da D até a Burnout Elite. Para subir de nível nela, precisamos completar eventos e, a cada nível de habilitação, novos carros são adicionados ao Ferro-Velho do jogo, onde podemos escolher qual possante iremos pilotar. Além disso, novos veículos podem ser encontrados percorrendo Paradise City, e se fizermos com que batam, serão adicionados à nossa coleção.

Além de todos os eventos espalhados em cada esquina e veículos dirigindo por Paradise City, podemos encontrar também cercas amarelas que indicam atalhos e billboards com o nome do jogo para serem destruídos. Temos ainda a chance de bater os tempos estabelecidos nas ruas e avenidas da cidade, deixando nossa marca registrada tanto em modo off-line quanto on-line. Aliado a isso, o modo Showtime permite que usemos nosso veículo para destruir veículos alheios em busca das melhores pontuações, em um modo divertido e simples que ajuda a diversificar aquilo que o jogo apresenta através de suas corridas. Todas essas ações, quando completadas, acrescentam à porcentagem total do jogo, e para os “complecionistas”, atingir 100% do jogo levará boas horas.

Bela coleção de veículos

Burnout Paradise, apenas em seu jogo base, possui um total de 76 veículos disponíveis para os jogadores, divididos em três categorias: Stunt, com bons veículos para manobras e acúmulo de pontos; Agression, com os mais resistentes a dano; e Speed, cujos carros são focados em velocidade e seu sistema de nitro é o único que pode ser usado para se conseguir um Burnout. Um Burnout é obtido ao se usar uma barra de nitro por completo sem sofrer acidentes, e então a barra se preenche automaticamente. Os carros de Stunt e Agression exigem manobras e eliminação de carros para que suas barras de nitro permaneçam cheias.



Burnout Paradise Remastered traz em seu pacote todas as DLCs lançadas para o jogo original, expandindo o número de carros e trazendo veículos especiais com pequenas características diferentes, como sistema de nitro modificável e até mesmo motos. Além dos novos veículos, temos também uma nova área adicionada através da expansão Big Surf Island que, embora seja muito parecida com o cenário do jogo base, possui em sua composição um alto número de rampas para manobras, assim como uma boa quantia de novos eventos, atalhos e billboards para serem encontrados e destruídos.

Percorrendo Paradise City com os amigos

Burnout Paradise pode ser jogado por até oito pessoas em modalidades on-line. Os jogadores podem se enfrentar em desafios variados de cooperação e rivalidade, bem como em eventos como os presentes no modo off-line, como Races e Road Rages. Até que os eventos sejam iniciados pelo host da partida, é possível ficar percorrendo Paradise City e completando atalhos e blillboards que não foram encontrados no modo off-line. A espera pelo início de eventos é a parte mais cansativa. Diversas vezes eu caí em salas em que o host ficava apenas perambulando pela cidade e não iniciava nada, nem eventos, nem desafios. Quando finalmente decidiram jogar algo, tudo correu bem e as competições foram bastante divertidas, proporcionando uma experiência levemente mais desafiante do que jogando contra a inteligência artificial.

Remastered apenas

Burnout Paradise Remastered chega aos consoles da atual geração com visuais não tão melhorados quanto se espera de um jogo lançado em 2008. O seu principal chamativo fica por rodar em resolução 4K no PlayStation 4 Pro e no Xbox One X e, ainda que seja lindo ver que o game roda bem nessa resolução a 60 quadros por segundo, é possível encontrar algumas poucas texturas de baixa qualidade aqui e acolá. Além disso, pouco foi melhorado: não há aumento no nível de detalhes das texturas, apenas uma qualidade de iluminação e sombras melhoradas.

Burnout Paradise Remastered (PS4/XBO) é a chance dos apaixonados pela franquia rejogarem um dos melhores games de corrida já lançados e uma oportunidade de novatos conhecerem essa excelente franquia. Sendo uma versão completa com bastante conteúdo e horas de diversão, peca apenas por não trazer melhorias técnicas significativas, principalmente para aqueles que ainda não têm acesso ao 4K.

Prós:

  • Jogabilidade simples e divertida em uma cidade aberta à exploração;
  • Vasta seleção de veículos;
  • Uma boa quantia de eventos e desafios que garantem muitas horas de jogo;
  • Pacote completo com todas as DLCs.

Contras:

  • Não possui melhorias técnicas relevantes;
  • Modo on-line é apenas ok.

Burnout Paradise Remastered — PS4/XBO — Nota 9.0
Versão utilizada para análise: PS4

Revisão: João Pedro Boaventura

Análise produzida com cópia digital cedida pela Electronic Arts
Francisco Camilo é formado em Serviço Social pela PUC-MG e até hoje não entende a verdadeira razão de ter feito tal curso. Apaixonado pelo mundo dos jogos eletrônicos, tem em sua mente um futuro ideal cuja existência é incerta e o leva a questionar se o que imagina é parte de um sonho ou ilusão. Pode ser encontrado aqui principalmente em análises e buscando troféus na PlayStation Network.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook