Discussão

PlayerUnknown's Battlegrounds (XBO/PC) e alguns desafios de seu futuro

Uma das maiores surpresas de 2017 segue seu caminho de sucesso, mas ainda possui uma longa estrada à frente.


O sucesso e crescimento de PlayerUnknowns’s Battlegrounds não acontecem por qualquer razão. A proposta simples de sobrevivência do game aliada a uma jogabilidade sólida e sem firulas torna-o acessível à grande maioria dos jogadores. A tensão dentro das partidas é aprazível, e os conflitos, mesmo sendo como uma forma de sobrevivência e na maioria das vezes evitados, são excelentes de se engajar. Com trinta milhões de jogadores no PC e três milhões no Xbox One, PUBG segue fazendo história como um battle-royale. Mesmo com bugs e problemas técnicos diversos, o recém-lançado jogo da PUBG Corporation tem recebido merecido destaque, e agora é hora de pensar no futuro.


Há boas possibilidades de evolução para PUBG. Uma delas, e possivelmente uma das mais óbvias, seria a expansão de seu território para outros consoles, como PlayStation 4 e o Switch. Embora uma versão de PS4 nunca tenha sido descartada, também não se pode considerá-la como uma certeza, principalmente pelo fato de a Microsoft dar suporte de marketing e lançamento da versão de Xbox One. Recentemente houveram rumores de que a própria MS estaria cogitando adquirir o estúdio de PUBG e colocá-lo em seu time de estúdios first-party. Um rumor, é verdade, mas que pode se concretizar devido ao poder aquisitivo da empresa, o sucesso do game no Xbox One e a aparente boa relação com a PUBG Corporation.

Manter um público interessado e fazê-lo retornar para um jogo e investir-lhe seu precioso tempo é uma tarefa árdua. Recentemente tivemos o anúncio do fechamento de pelo menos dois jogos com foco em jogabilidade online, ambos recentes: Paragon (PS4/PC), da Epic Games, e Gigantic (XBO/PC), da Perfect World Entertainment. O lançamento constante de novos conteúdos se torna ainda mais importante quando a jogabilidade de um game é voltada a modos online. PUBG conta, por enquanto, com apenas dois mapas, e mesmo que leve tempo para conhecê-los por completo, a comunidade sempre irá desejar por novas localidades e cenários diferentes e únicos para serem explorados. Como o game demanda um pensamento mais estratégico dos jogadores e preza por um bom balanceamento, é de se esperar que a produtora não apresse seus novos mapas, deixando-os em desenvolvimento e em período de testes por um tempo considerável, o que é louvável, mas ao mesmo tempo cria uma ansiedade naqueles que possam estar enjoados do que já jogaram.



A introdução de novas modalidades de jogo pode vir a ser também um refresco para os jogadores de PlayerUnknown’s Battlegrounds. Não devemos esperar modos tradicionais como Mata-Mata em Equipe ou Capture a Bandeira, afinal eles podem acabar quebrando a premissa do gênero battle-royale, mas seria possível adaptar algumas modalidades para tal. Temos modos em dupla e para equipes de quatro jogadores, mas que tal times maiores digladiando entre si? Reduzir o tamanho dos mapas e colocá-los em áreas confinadas e apertadas poderia ser também uma boa alternativa para ampliar o nível de tensão no jogo e torná-lo um pouco mais frenético do que é em seus modos principais. E se pensarmos em um Mata-Mata em Equipe no qual, ao se eliminar o outro time por completo, os jogadores restantes do time vencedor precisem se matar para que reste então apenas um vencedor? Ideias e conceitos apenas, mas que, se bem trabalhados, podem agregar um valor imenso ao game.

Uma excelente maneira de promover mudanças é dar voz aos jogadores através dos canais de feedback, e a PUBG Corporation pode muito bem utilizar tais canais não apenas para saber sobre os defeitos a serem consertados ou sobre cheaters dentro das partidas. É a chance de descobrir o que os jogadores desejam para seu game. Será então preciso filtrar e então considerar quais demandas serão atendidas, ao mesmo tempo em que não desviem de suas próprias prioridades. A comunicação entre desenvolvedores e jogadores é fundamental para um jogo online.

Contendo um sistema de lootboxes com diversos itens cosméticos, é certo dizer que sempre teremos novidades esperando dentro de cada caixa adquirida. Não se engane, afinal esse sistema preza, principalmente, pelo retorno financeiro que ele proporciona, mas isso não significa que os jogadores não possam gostá-lo. Talvez não seja a principal razão para o retorno de muitos, mas há um certo charme na curiosidade de se abrir uma caixa e no desejo de ter um item em específico que pode fazer com que os jogadores decidam continuar em PUBG.


PlayerUnknown’s Battlegrounds (XBO/PC) é um sucesso inquestionável e merecedor de tal sucesso, mas, assim como a grande maioria dos jogos, tem muito espaço para evolução, e tal evolução torna-se primordial para manter seus jogadores interessados. E além de ter de ser melhor do que si, PUBG precisa manter sua qualidade sempre em crescimento para bater de frente com outros jogos de qualidade que venham a utilizar seu conceito de battle-royale. As possibilidades são muitas e as incertezas existem, mas PlayerUnknown’s Battlegrounds tem a base que precisa para ser duradouro e seguir cativando seu fiel público ao mesmo tempo que chama a atenção de novas audiências.

Revisão: Luigi Santana
Francisco Camilo é formado em Serviço Social pela PUC-MG e até hoje não entende a verdadeira razão de ter feito tal curso. Apaixonado pelo mundo dos jogos eletrônicos, tem em sua mente um futuro ideal cuja existência é incerta e o leva a questionar se o que imagina é parte de um sonho ou ilusão. Pode ser encontrado aqui principalmente em análises e buscando troféus na PlayStation Network.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook