Top 10

Os jogos mais bizarros lançados nos últimos anos

Confira a lista com 10 bizarrices dos games que foram lançadas na última década.




Você acha que já viu de tudo no mundo dos games? Tem certeza? Independente de sua resposta, este texto apresenta uma lista de games bizarros que inclui animais destruindo cidades, comida que se movimenta em busca de “um sonho”, cirurgias malucas envolvendo pessoas e até mesmo alienígenas, seres inesperados que vivem como humanos, memes que se tornam games de terror e simuladores que reproduzem a monotonia da vida de forma tão real que chega a ser assustador.

10. Goat Simulator


Este é talvez um dos simuladores mais populares já lançados. A proposta do jogo é simples e remete à seguinte pergunta: “como seria se você fosse uma cabra?”. O game foi lançado em 2014, e seu objetivo é causar o maior dano possível a uma cidade na pele de um mamífero ruminante.
O sucesso foi tanto que a Steam lançou posteriormente duas expansões: Goat MMO Simulator e GoatZ. Sobre a primeira, as produtoras Coffee Stain Studios e Double Eleven aumentaram a diversão e a zueira de Goat Simulator acrescentando um modo online. Já GoatZ é uma expansão que faz uma paródia com os jogos survival de zumbis.



9. I am Bread

Já imaginou ser um pão e vivenciar uma saga para se tornar deliciosa torrada? Este é o resumo de I am Bread, game da Bossa Studios lançado em 2015. No jogo, você precisa controlar um pão até chegar na torradeira, mas, para isso, você não deve deixá-lo cair no chão ou passar por lugares sujos. Caso isso aconteça, ele perderá a“gostosura”. No topo da tela tem um marcador que a cada vez que o pão cai no chão, pontos são perdidos. Quando a pontuação chega a zero, você perde o jogo. É válido ressaltar que os controles de movimento do pão são bem ruins, o que torna o jogo um pouco irritante e até mesmo engraçado.
Além da ideia absurda de controlar um pão, o jogo também possui um enredo bizarro que envolve um paciente de terapia chamado Sr. Murton que acreditava que todas os problemas e desordens em sua casa eram causados por um determinado pão. Há alguns indícios de que I am Bread é um prequela de Surgeon Simulator, o nosso próximo jogo da lista.



8.Surgeon Simulator


O simulador de cirurgias foi desenvolvido por Tom Jackson, Luke Williams e James Broadley, todos também da Bossa Studios, a mesma desenvolvedora de I am Bread. O jogo foi lançado em abril de 2013. Trata-se de um jogo em primeira pessoa e nele você controla um cirurgião, mais especificamente a mão de um, em seu ofício. Seu objetivo é fazer diversos procedimentos cirúrgicos como, por exemplo, um transplante de coração. O que torna o jogo divertido é a dificuldade em controlar as mãos da personagem Nigel Burke, o cirurgião. Cada tecla corresponde a um dos dedos e isso faz com que seja quase impossível segurar qualquer objeto pequeno e simples como uma seringa.
Para tornar o jogo ainda mais bizarro, os desenvolvedores lançaram três interessantes expansões. A primeira delas traz a possibilidade de se realizar uma cirurgia em Heavy, personagem de Team Fortress 2. Em seguida, temos a expansão Code Name Trisha. Nela, Burke realiza uma cirurgia em um alienígena. E, por  fim, influenciada pelas eleições americanas, a Inside Donald Trump. Não é preciso dizer que nessa última é possível realizar uma cirurgia no então candidato à presidência dos Estados Unidos.



7. Octodad: Dadliest Catch


O jogo da Young Houses tem um enredo simples: Você é um polvo que vive em um mundo humano. Para que ninguém descubra sua “verdadeira natureza”, você usa roupas e faz coisas que os humanos fazem. Uma delas é se casar. Sim, você se casou com uma linda e incrível mulher e possui dois filhos. Mas as coisas não são tão simples assim. Você precisa manter as aparências e não deixar que ninguém desconfie que você é na verdade um polvo.
Seu objetivo no jogo é realizar diversas atividades na casa como arrumar o quarto, fazer compras, preparar o café para as crianças, limpar o jardim etc. Porém, você possui oito braços e deve controlar cada um deles, o que não será tarefa fácil. Os controles dos membros do octodad são muito difíceis e quanto mais você deixar o lugar bagunçado, mais as pessoas vão desconfiar que você não é um humano.
O game ainda tem uma opção interessantíssima: o modo multiplayer. Sim, é possível que dois jogadores controlem o octodad. Cada um fica responsável por um conjunto de membros superiores e inferiores e isso torna o jogo mais desafiador e também muito mais hilário e bizarro.



6. Vitas Castle of Horror


“Chandra brambra chandra chandra bendram oh oh oh oh oh oh oh”
Quem não conhece o meme do cantor russo Vitas e seus incríveis agudos? É verdade que ele atingiu seu ápice em meados dos anos 2000, mas a internet e a zueira o tornou famoso aqui no Brasil recentemente. Após o “boom” dos memes envolvendo o cantor, surgiram pedidos para que ele viesse ao Brasil e também um jogo chamado Vitas Castle of Horror.
A ideia por si só é bem bizarra. Você é uma personagem em primeira pessoa que está em um castelo com vários quartos. Ao andar pelo local você vai ver várias fotos de Vitas e seus trajes característicos. Seu objetivo é pegar a roupa de seu meme mais conhecido, em que ele canta 7th Element, e depois sair do castelo. Porém, Vitas está ali também e não vai te deixar sair ileso. 
O castelo do horror de Vitas é engraçado e ao mesmo tempo te dá uns bons sustos com o cantor partindo loucamente atrás de você. Não é preciso dizer que quando Vitas te encontra, é gameover. Um detalhe importante e bizarro: é possível perceber a presença do russo, pois ele sempre está cantando uma de suas músicas. Isso  te dá uma chance para se esconder, ou não…



5. Getting Over It with Bennett Foddy


Lançado em 2017, Getting Over It with Bennett Foddy é um jogo da Humble Bundle e criado por Bennett Foddy. Nele você controla um homem sentado em um caldeirão com uma marreta. Seu objetivo é escalar todo o cenário. Caso caia de um lugar muito alto, você deve recomeçar a subida. O game não possui nenhuma opção de salvamento e, para acompanhar seu sofrimento, há as narrações bizarras do próprio criador, Bennett Foddy. 
Alguns críticos consideram o jogo como o mais estranho lançado no ano passado e podemos acrescentar também a alcunha de game mais irritante e frustrante. Afinal, basta jogarmos por alguns minutos ou então ver os diversos gameplays de youtubers passando muita raiva a ponto de quase quebrarem o computador.



4. Went for the Bus Simulator


Você já deve ter passado ou ainda passa por uma situação como essa: ficar sozinho no ponto de ônibus, aguardando-o chegar, certo? Agora imagine que você está em um lugar deserto e só há uma parada de ônibus e você tem de ficar ali por horas. Isso é o que ocorre em Went for the Bus Simulator, um simulador de espera de ônibus.
O que torna o jogo tão bizarro e o coloca no Top 4 dessa lista é que o ônibus nunca vem, ou seja, você vai ficar esperando enquanto estiver jogando, o que é algo bem plausível de acontecer e que nos causa até um pouco de medo e desconforto.



3. Line Simulator


O que seria pior do que esperar um ônibus? Esperar em uma fila. Sim, Line Simulator é um simulador de espera de filas. O jogo foi desenvolvido por Jacque Rabie com recursos captados no Kickstarter e foi lançado em 2015. Segundo o autor do game, a ideia era criar um divertido simulador de filas (divertido? oi?), já que as pessoas adoram estar em filas para irem a shows, comprarem comida em fast-foods etc. Bizarro parece ser pouco para definir este game!



2. Rock Simulator


Se você é um grande fã e apreciador de pedras, Rock Simulator é o jogo ideal para você. Lançado em 2014, Rock Simulator é um game do gênero simulador em terceira pessoa em que você assume a figura de uma pedra em um mundo aberto. O jogo foi desenvolvido pela Strange Panthers, um estúdio independente que teve a ideia de parodiar o famoso gênero de jogos de simulação. 
O que é possível fazer no jogo? Ora, você tem todo um belíssimo cenário com incríveis texturas. Tudo isso sob a perspectiva de uma pedra, é claro. Achou estranho? Espere para ver o primeiro de nossa lista.



1. Drowning Simulator


Drowning Simulator não é só bizarro. Ele é insano. Imagine uma pessoa que caiu em alto mar, afogando, suplicando por ajuda e ao mesmo tempo engolindo água o tempo todo e tentando sobreviver? O simulador de afogamento da Markiplier Games foi lançado em 2015 com a promessa de ser dramático e ao mesmo tempo cômico (se é que isso é possível). E, para tornar o jogo ainda mais estranho, acrescente uma pitada de realismo. Sim, isso mesmo. O jogo foi todo filmado com atores, isto é, nada de gráficos toscos ou 3D bem produzido, o que nos daria certo conforto por ser algo “de mentirinha”. É preciso dizer que atuação é impecável, o que não é necessariamente algo bom, pois torna as coisas mais angustiantes ainda. 










E aí, o que achou desse Top 10? Tem algum outro jogo bizarro lançado que não mencionamos aqui? Diga-os aqui e quem sabe não possamos fazer uma nova lista. Afinal, a mente humana é bizarra e produz seus efeitos em todas as áreas e os games não poderiam ficar de fora. E o que nós fazemos com toda essa bizarrice? Mais listas, é claro.

Revisão: Bruno Alves
Rafael C. Oliveira é goiano e já foi astro do rock (no Guitar Hero), líder de uma grande civilização (no Age of Empires) e bem casado (no The Sims). Ele diz que está escrevendo um livro de ficção científica numa tentativa de fazer novos amigos assim. Você pode tentar convencê-lo de desistir dessa ideia absurda no Twitter ou Facebook dele.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook