Blast from the Past

Catherine (PS3/X360), quebra-cabeças da sedução

Falaremos sobre um excelente jogo que contém vários desafios e uma história de amor nada convencional

Catherine (PS3/X360) chegou para nós no dia 26 de julho de 2011, desenvolvido e publicado pela Atlus, empresa conhecida pela série Shin Megami Tensei. O jogo possui temas adultos explorados de forma criativa e interessante, forçando os jogadores a fazer escolhas para o protagonista, Vincent, e assim, ajudá-lo a acabar com os pesadelos que o assombram.

Uma história sobre amor

Catherine conta a história de Vincent Brooks, um homem que aparentemente está feliz com sua condição financeira e amorosa. Nosso protagonista namora há anos com uma mulher que conheceu no colégio, Katherine, e ambos vivem um relacionamento estável, que a moça deseja progredir, deixando Vincent confuso e inseguro.

Bebendo certa noite em seu bar favorito, Vincent conhece Catherine, uma bela jovem, e, após uma noite de conversas, acorda em casa com ela dormindo ao seu lado. Durante esse tempo, ele percebe que começa a ter pesadelos macabros, e um estranho boato, sobre pessoas que morrem em sonhos morrerem de verdade, começa a circular.


A história do jogo é excelente, possuindo vários pontos altos e atingindo seu grande potencial. Lidando seriamente com temas como infidelidade, amor, relações e sexualidade, com uma mistura de terror e suspense, Catherine consegue capturar nossa atenção e ajudar Vincent nessa difícil escolha. Apesar das imagens insinuantes, utilizadas para divulgá-lo, o jogo não possui nudez.os temas abordados.

Vida social e puzzles macabros

Catherine é um jogo de plataforma com quebra-cabeças, sendo a história principal dividida entre tempo de dia e os pesadelos. Durante o dia, Vincent se encontra na maior parte no bar, Stray Sheep, onde pode conversar com seus amigos ou outros clientes, salvar o jogo, enviar mensagens através de seu celular ou escutar música em jukebox que contém trilhas de outros jogos da Atlus, além de pedir drinques e até jogar um minigame, chamado de Rapunzel.


À noite, ele é teleportado para torres, nos quais se desenrola a maior parte do jogo. Nesses estágios, Vincent, deve empurrar blocos e escalá-los de forma rápida para evitar cair e morrer. A cada final de torre, nosso herói deve enfrentar um chefe, que representa um de seus medos cotidianos, como a chegada de um bebê. Durante a noite também vemos um grande número de carneiros antropomórficos, que representam os homens que buscam sair desses pesadelos.

Essa mudança de realidade permite a nós, jogadores, uma melhor imersão, pois, enquanto na pele do protagonista conversemos com os demais personagens, aprendendo sobre a história que nos é apresentada, além de decidirmos as respostas dadas por Vincent e o caminho que ele irá percorrer, enquanto, à noite, completamos os desafios e nos aproximamos do final da história.

Armas contra os pesadelos

Durante sua escalada, Vincent pode contar com a ajuda de diversos objetos, como molas, que auxiliam sua locomoção pelos blocos. Além disso, ele se move em uma maior velocidade dependendo do nível de álcool que ele tiver ingerido durante o dia, permitindo-o superar os obstáculos com mais facilidade.

Entre as missões de cada pesadelo, existe uma plataforma, que permite ao herói se comunicar com outras ovelhas, dessa forma, aprendendo técnicas de escalada mais poderosas para auxiliá-lo na jornada. Nesta mesma plataforma, o herói, pode utilizar as moedas que coleta enquanto escala, para comprar itens raros de uso único.


Em dificuldades menores, o jogador, possui a habilidade de desfazer o último movimento feito, apertando o select. Essas táticas foram inseridas no jogo pela empresa junto ao modo “Super Easy”, por reclamações de jogadores sobre a dificuldade apresentada durante a escalada. Mesmo com essas facilidades o jogo continua divertido e interessante, agradando todos os gostos.

A cada fase podemos verificar a resposta dada por outros jogadores online, vendo a quantidade de pessoas que escolheu cada opção. Ele também possui um modo chamado torre de babel, que permite a dois jogadores subirem a torre juntos e um coliseu, que coloca dois jogadores competindo para chegar ao topo da torre. Apesar de simples são bem divertidos e oferecem ao jogador mais algum tempo de jogo após o término do jogo.

Caotico ou Leal?

Uma das mecânicas que mais marca o jogo é seu sistema de escolhas, que dá ao jogador um certo “controle” sobre o destino de Vincent. O famoso sistema de Karma, permite a ele ganhar pontos positivos ou negativos baseados nas respostas e atitudes que o herói irá tomar, dando ao jogador a chance de obter um dos oito finais presentes no jogo.

São três finais para Katherine, três para Catherine e dois para Vincent, de forma onde alguns deles se completam, somando no outro. Apesar disso eles são bem interessantes e acrescentam a história do jogo, oferecendo um final digno para o desempenho e as respostas dadas pelo jogador durante cada momento importante.

Gráficos e trilhas que seduzem

O jogo possui 34 tracks, criados por Shoji Meguro, conhecido pelas trilhas sonoras da franquia Shin Megami Tensei, principalmente a série Persona. As belas músicas criadas por Meguro conseguem transmitir as emoções dos personagens presentes em cena e se mesclam bem com os remixes de musicas de vários outros artistas.

O belo design de seus personagens, foi feito por Shigenori Soejima, que trabalhou na série Persona. Além dos personagens o design do bar é belo e aconchegante e demonstra o cuidado tomado pela equipe. Até mesmo o design dos desafios, que inicialmente, parecem simples, escondem detalhes interessantes e criativos.

Vale a pena?

Catherine: Full Body (PS4/PSVita), foi anunciado para os fãs, com um remake do jogo, contendo mais conteúdo, que varia desde o desenvolvimento da história dos personagens até um maior número de finais. Novos modos para o jogo estão sendo criados, sendo um deles mais voltado para a competição entre jogadores. O jogo que estava 50% pronto em 2017 tem previsão de lançamento para esse ano.

Catherine inovou em sua categoria, seja por sua complexa história ou na simplicidade de seus desafios, deixando sua marca. Os pesados temas debatidos fazem contraste com a jogabilidade apresentada, dando um equilíbrio na obscura história proposta pela Atlus, oferecendo um jogo criativo e divertido, que pode ser apreciado por jogadores de todos os estilos.


Revisão: Bruno Alves

Antonio Stark escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook