Jogamos

Análise: Super Man or Monster (PC) é caos e destruição ao estilo kaiju

Proteja ou destrua o mundo em um indie repleto de ação!

A produtora e distribuidora indie holandesa Xform é conhecida por seus jogos com visual retrô. Para o game de ação em terceira pessoa Super Man or Monster (PC), a Xform traz uma arte clássica de 8 bits em um ambiente em 3D com muita destruição ao melhor estilo dos monstros do universo cinematográfico japonês.

8 bits com cor ou sem cor?

Super Man or Monster é uma nova versão do jogo Man Or Monster (PC), lançado pela Xform unicamente para navegadores e com arte no estilo voxel. Diferente de seu antecessor, Super Man or Monster utiliza arte 8 bits e aposta na nostalgia para conquistar os jogadores com seu visual clássico da terceira geração de consoles, datada do início da década de 1980.


O jogo é bem colorido nos menus e na interface, o que favorece ao tom de nostalgia que o game quer passar. Contudo, tudo é mera ilusão, pois os cenários no qual acontecem a ação carecem de vida. As cidades disponíveis usam cores mais escuras, cinzentas ou opacas, o que não contribui para a intenção de diversão que o game almeja transmitir.

Apesar da arte em 8 bits estar bonita e coerente, Super Man or Monster não sabe fazer bom uso da paleta de cores. Ao optar por tons mais neutros, o interesse do jogador é diretamente afetado, pois depois de poucas missões, a sensação é de cansaço e desânimo frente a ambientes tão apáticos e sem vida.


Super-herói ou kaiju?

A palavra kaiju é mais conhecida pelos fãs de cultura japonesa, em especial admiradores de tokusatsus, os filmes e séries de efeitos especiais produzidos no Japão como Godzilla (Ishirô Honda, 1954) e Ultraman (Eiji Tsuburaya, 1966). No ocidente, a palavra também é usada para se referir a monstros. Super Man or Monster se apropria dessa concepção ocidental, mas também de características que relembram os kaijus clássicos do cinema e da televisão japonesa.

O jogador tem a possibilidade escolher de que lado do combate ficará: dos humanos, sendo um soldado, ou dos monstros, sendo uma variedade de criaturas destruidoras que vai de dinossauros a minotauros e lobos gigantes. A jogabilidade em terceira pessoa auxilia na sensação de estar dentro de um filme de kaijus, seja salvando ou destruindo o mundo.


Também há uma boa variedade de monstros desbloqueáveis e opções de armas e veículos de guerra para o soldado. A interface do arsenal, bem como dos monstros é repleta de bom-humor em suas descrições: algumas criaturas apresentam nomes que são paródias a ícones do cinema, da música ou dos games. Por exemplo, alguns dos monstros disponíveis são T-Wrecks, paródia de T-Rex; Grandmaster Flash, famoso DJ da década de 1980; Shadowclaw, personagem de World of Warcraft (PC), da Blizzard Entertainment; entre outras referências.

Os personagens escolhidos também possuem opções de customização como tamanho, cor e nome, bem como é possível desbloquear novos poderes ou comprar diferentes habilidades. No caso do soldado, o jogador pode entrar dentro de qualquer veículo de batalha adquirido para causar mais danos contra os monstros. Opções que balanceiam a dificuldade do jogo e obrigam o jogador a aprimorar seus personagens e fazer uso de novas técnicas para impedir ou causar destruição no mundo.


Mapa mundial, mas tudo igual

Apesar de Super Man or Monster dispor de um mapa mundial, cujas missões levam o jogador à várias cidades do mundo, como Paris, na França; Berlim, na Alemanha; Lisboa, em Portugal; ou Viena, na Áustria. O jogo não apresenta nenhuma novidade ou variações relevantes nos cenários. Todas as cidades parecem iguais, com exceção de um monumento histórico aqui ou ali.

O jogo falha em reconstruir ruas, prédios e marcos turísticos e históricos das principais cidades do mundo, transformando as missões em algo tedioso e repetitivo, pois a sensação do jogador é de estar jogando a mesma fase todas as vezes, apenas com a diferença entre dia e noite. Muito pouco para um game que se propõe a destruir ou salvar cidades por todo planeta.


Outro problema é o rugido dos monstros, o áudio é tão baixo que chega a ser inexistente. Super Man or Monster é um jogo que diverte em seus primeiros quinze minutos de gameplay, mas devido seus cenários limitados e apáticos, bem como problemas de áudio tornam a experiência facilmente esquecível.

Prós

  • Arte 8 bits clássica;
  • Bom nível de desafio;
  • Opção de jogar como humano ou monstro;
  • Paródias de ícones do cinema, música e games;
  • Personagens customizáveis;

Contras

  • Cenários com cores enfadonhas;
  • Pouca variação de cenários;
  • Repetitivo;
  • Rugido dos monstros com áudio defeituoso.
Super Man or Monster — PC — Nota: 6.0
Versão usada para análise: PC
Revisão: Bruno Alves
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook