Game Music

De Banjo-Kazooie a Mario + Rabbids: Conheça o compositor Grant Kirkhope

Com seus ritmos inconfundíveis e variedade de estilos, Grant Kirkhope é um dos compositores mais renomados dos videogames.

Responsável pela trilha sonora de diversos jogos, Grant Kirkhope cativou o coração de inúmeros jogadores em sua carreira na Rare e como compositor independente. Banjo-Kazooie (N64), GoldenEye 007 (N64), Viva Piñata (X360), Civilization: Beyond Earth (PC) e até os recentes Yooka-Laylee (Multi) e Mario + Rabbids: Kingdom Battle (Switch) foram alguns dos títulos para os quais Kirkhope emprestou seu talento musical (e, às vezes, até a voz). Confira a trajetória desse incrível compositor.

De banda em banda

Como muitos outros compositores de videogames, Grant Kirkhope começou sua carreira em bandas por volta dos 20 anos de idade. Nascido em 1962 na Inglaterra, Kirkhope tocou trompete na banda Zoot and the Roots e no grupo The Big Bad Horns, que tocava junto à banda Little Angels, nos anos 1980 e 1990. Little Angels chegou a se reunir em 2012, porém Kirkhope não esteve presente.
Após esbanjar talento no trompete, Kirkhope contribuiu com a guitarra em duas outras bandas: Syar e Maineeaxe. Foi embalado nos solos de guitarra que conheceu Robin Beanland, que trabalhou junto a Kirkhope em GoldenEye 007. Grant Kirkhope chegou ao estúdio britânico de jogos, Rareware, pouco depois da Maineeaxe, aos 33 anos de idade. E o primeiro título em que trabalhou, Killer Instinct Gold (N64), reflete justamente o talento musical que vinha desenvolvendo, pois contribuiu com o trompete e a guitarra da trilha sonora.

Artista raro

O título que levou o nome de Kirkhope ao estrelato nos videogames foi Banjo-Kazooie. Envolvido com o game desde seu protótipo de SNES, Project Dream, Kirkhope é responsável pelas músicas viciantes da aventura de Banjo. Seu estilo musical, composto por ritmos simples para cada mundo que vão variando conforme o jogador visita áreas diferentes, não foi a única coisa com a qual Kirkhope contribuiu. O compositor também dublou os personagens Bottles, Mumbo Jumbo e os adoráveis Jinjos.
Durante a era N64, Kirkhope compôs músicas para vários outros jogos da Rare. Alguns seguiam o mesmo estilo musical de Banjo-Kazooie, como a sequência Banjo-Tooie e o gigantesco Donkey Kong 64, com o icônico DK Rap. Para outros títulos, Kirkhope explorou estilos diferentes, como em GoldenEye 007 e Perfect Dark, provando a versatilidade do artista. A última trilha sonora que compôs para um jogo de uma plataforma Nintendo antes de a Rare ser comprada pela Microsoft foi Star Fox Adventures (GC).

Do lado verde da força




Como talvez você já saiba, a Rare foi comprada, em 2002, pela Microsoft, desfazendo a grande parceria que mantinha com a Nintendo. Grant Kirkhope acompanhou o processo, trabalhando então em vários títulos lançados para Xbox e Xbox 360, como Grabbed by the Ghoulies (XB) e Banjo-Kazooie: Nuts and Bolts (X360). Nesse último, Kirkhope até revisitou seus primeiros trabalhos em Banjo-Kazooie através de remixes orquestrados.
Viva Piñata (X360), entretanto, talvez tenha sido o ponto mais alto de sua carreira nos consoles da Microsoft. O título vibra ao som do inconfundível estilo de Kirkhope. Foi por Viva Pinãta que o compositor recebeu o prêmio BAFTA (British Academy of Film and Television Arts) em 2007. O sucesso veio junto com uma grande decisão: deixar a Rare. Em 2008, Grant Kirkhope se desligava do estúdio para começar a trilhar o caminho de freelancer.

Um bico ali, um prêmio aqui

Em sua carreira independente, Grant Kirkhope não ficou para trás, trabalhando em inúmeros títulos para diversas plataformas. Do PS3 ao iOS, Kirkhope esteve por trás de muitas excelentes trilhas. Com Kingdoms of Amalur: Reckoning (Multi), Kirkhope foi indicado ao prêmio International Film Music Critics Association Award (IFMCA) em 2012. Já Civilization: Beyond Earth (Multi) lhe fez conquistar não apenas o prêmio IFMCA, mas também os prêmios da American Society of Composers, da Authors and Publishers (ASCAP), da Cue Awards e de outras instituições.
Além desses trabalhos premiados, Kirkhope também trabalhou nas trilhas de jogos que talvez você não saiba de sua participação. Dentre eles, temos Castle of Illusion Starring Mickey Mouse (Multi), Yaiba: Ninja Gaiden Z (Multi) e Ghostbusters (Multi).

Kirkhope raíz

Nos últimos anos, temos tido uma revitalização dos grandes jogos de aventura e exploração 3D. Yooka-Laylee, o sucessor espiritual de Banjo-Kazooie, foi o pontapé inicial dessa nostálgica tendência. Para desenvolver esse título, inúmeros ex-funcionários da Rare foram reunidos, dentre eles compositores renomados como David Wise, Steve Burke e, é claro, Grant Kirkhope.
Envolvido com o Project Ukelele desde o início, Kirkhope é responsável pelo inconfundível ritmo de Banjo-Kazooie na trilha sonora. Apesar disso, é também notável uma mudança de estilo na trilha de Yooka-Laylee, que algumas vezes opta por canções menos repetitivas e mais cinemáticas. Outro título de aventura 3D em que Kirkhope está envolvido é A Hat in Time (Multi), que foi lançado hoje mesmo para PC, PS4 e XBO.

Unindo universos


E chegamos a um título em que Grant Kirkhope também trabalhou recentemente: Mario + Rabbids: Kingdom Battle (Switch). Segundo o compositor, o convite para trabalhar na trilha sonora veio do próprio diretor Davide Soliani (aquele que não segurou as lágrimas na E3 2017), que também é fã de Banjo-Kazooie. Para Kirkhope, foi emocionante participar diretamente de um jogo de Mario. Ele contou ao site Nintendo Life sobre o desafio e o orgulho de retrabalhar as músicas de Koji Kondo, como o tema do castelo de Peach.

Kirkhope também revelou alguns detalhes interessantes sobre o desenvolvimento de Mario + Rabbids. Segundo ele, a Nintendo escolheu a Ubisoft para essa tarefa por conseguir tocar em gêneros e estilos de jogo que a Big N em si não tinha muita experiência. Apesar da liberdade dada pela Nintendo à Ubisoft, a Big N supervisionou o projeto do início ao fim para garantir que Mario se encaixasse devidamente no game. Segundo Kirkhope, o plano com a trilha sonora era fazer algo meio orquestrado e meio sintetizado, comparando-a com a de Super Mario Galaxy (Wii).

Futuras notas

Grant Kirkhope é, sem dúvidas, um dos compositores mais importantes dos videogames. Sua carreira ajudou a definir gêneros e estilos e foi responsável por encantar muitos jogadores. E ele parece longe de aposentar seus instrumentos, pois já temos mais algumas trilhas sonoras saindo do forno. Lobodestroyo (Multi) e Hex Heroes (Multi) são os próximos projetos do compositor. Que possamos ver (ou melhor, ouvir) ainda mais jogos fruto do esforço desse grande artista!

E você, leitor? Quais memórias gamísticas o nome de Grant Kirkhope lhe fazem lembrar? Conte-nos suas experiências com as músicas desse gênio!
Revisão: Luigi Santana
Capa: Rafael Neves
Rafael Neves é quadrinista e estudante de medicina da UFBA. Jogos fizeram parte dessa vida desde os seus primeiros anos, embalando muitos dos mais fortes laços de amizade e histórias de vida. E esse legado desembocam nas matérias que escreve aqui no Blast e em sua HQ, The Legend of Link.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook