Valve remove 173 jogos do catálogo da Steam por conta de fraude de desenvolvedora

Todos eles eram do estúdio Silicon Echo, que fabricava seus jogos com baixo custo e recursos padrão da engine Unity.



Cento e setenta e três jogos foram removidos da plataforma Steam pela Valve, dona do serviço, após constatar que tais títulos são fraudulentos por utilizarem assets próprios da Unity, engine sobre a qual eles foram desenvolvidos (uma prática chamada de asset flipper). Todos são de responsabilidade do estúdio Silicon Echo Studios, que também atuava sob outros nomes para evitar suspeitas, como Zonitron Productions. 


O esquema consistia em produzir jogos a de baixos custo e qualidade e disponibilizá-los através da Steam Direct, serviço que disponibiliza os títulos diretamente na plataforma após o pagamento de uma taxa. Eles são produzidos com a função de servirem como uma espécie de ferramenta para facilitar a obtenção de cartas.

O youtuber SidAlpha foi responsável por montar um dossiê que catalogou os títulos da desenvolvedora em questão lançados nos últimos três meses. Segundo o levantamento, 10% de todos os jogos lançados na plataforma entre julho e agosto — o equivalente a 86 títulos — têm como origem o Silicon Echo.

A Valve já declarou ao Polygon em agosto que não apoia qualquer forma de trapaça envolvendo bots ou formas que facilitem a obtenção de cartas. Também ao Polygon, a empresa se posicionou a respeito dos jogos removidos nessa última limpa:
Sim, nós temos uma equipe monitorando as denúncias em tempo real e ela identificou fatos que levaram à remoção de alguns títulos de certas contas do Steamworks. Elas eram alvo de uma infinidade de reclamações e frutração de diferentes clientes e outros desenvolvedores. O que descobrimos é que esses vários atores eram, na verdade, uma única pessoa operando sob várias contas diferentes.

O que descobrimos é que uma série de ações extremas praticadas por esse indivíduo afetava negativamente o o funcionamento de nossa loja e nossas ferramentas. Por exemplo, ela estava vendendo uma série de produtos praticamente idênticos que impactava o funcionamento da loja e dificultava o sistema de busca para outros jogadores. Esse mesmo desenvolvedor também abusava do sistema de chaves e se na loja se apresentava de forma publicamente fradulenta.

Como resultado, removemos esses jogos da loja da Steam e encerramos qualquer relacionamento de negócios com eles.

A plataforma Steam é aberta, mas fazemos questão de pedir aos desenvolvedores para respeitar nossos clientes e políticas de uso. Distribuir jogos clonados ou manipular as ferramentas de nossa loja é algo que não podemos tolerar. Nossa prioridade é ajudar os jogadores a encontrar games com os quais eles se divirtam. 
Fonte: Polygon 
João Pedro Boaventura é jornalista formado pelo Mackenzie e está quase terminando sua pós-graduação para poder ser chamado de especialista em teoria da comunicação (como se isso significasse alguma coisa). Aficionado por conceitos teóricos, não vai perder uma oportunidade de usá-los para delimitar se algo é ou não um jogo. Se você realmente gosta das groselhas que ele escreve, pode ler mais um pouco de suas asneiras em seu blog particular, onde utiliza suas presas para destilar seu veneno e não deixar o ódio dentro de si morrer.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook