Ansioso por Stranger Things 2? Experimente esses onze games

Quais jogos estariam na lista de desejos de Mike, Lucas, Dustin e Will?

“A escuridão se alastra à beira da meia noite. Criaturas rastejam a procura de sangue para aterrorizar a vizinhança.” É com os trechos de Thriller (Michael Jackson) que a Netflix empolga os fãs com a chegada da segunda temporada de Stranger Things em 27 de outubro. Até lá, preparamos uma lista com onze jogos que, por razões diversas, vão te colocar no clima para assistir a essa mistura de terror, humor e aventura.


Earthbound

Um grupo de crianças do milênio passado aventurando-se para salvar o mundo de uma ameaça sobrenatural. Alguém falou em Stranger Things? Não, em Earthbound (SNES)! A franquia Mother como um todo lembra muito a série da Netflix, esbanjando carisma, um humor único e pura nostalgia, mas é Earthbound que se destaca. Juntar-se às crianças Ness, Paula, Jeff e Popo em sua (improvisada) batalha contra a invasão alienígena de Gygas pode ser uma boa maneira de se preparar para a próxima temporada de Stranger Things. Trata-se de um RPG incrível e ímpar para Super Nintendo.
Earthbound pode ser jogado no SNES, está disponível no SNES Classic Edition e ainda pode ser baixado pela eshop do Wii U e New 3DS. Se quiser uma experiência completa, experimente também o primeiro título da franquia, Earthbound Begginnings (NES). Como ele não foi lançado originalmente fora do Japão, a versão traduzida lançada na eshop do Wii U é uma verdadeira benção para quem curte a série Mother.

Silent Hill

Com quatro jogos principais e outros cinco derivados, a franquia Silent Hill é uma das maiores representantes do gênero de terror nos videogames. Os games, como um todo, envolvem uma cidadão comum explorando algum mistério na macabra vila Silent Hill. Lá, uma névoa constante lhe colocarão no clima do Mundo Invertido e a sensação de vulnerabilidade perante as grotescas criaturas do lugar lhe farão sentir como Will frente o Demogorgon. Dos jogos dessa lista, é o que provavelmente mais lhe causará susto e pânico.
Mundo Invertido?
A franquia está espalhada por vários jogos para inúmeros consoles: do PS1 ao PSVita. Os títulos são, em geral, fenomenais para quem curte o gênero. Se quiser ir sem erro, escolha os três primeiros jogos principais.

Zombies ate my Neighborhood

Se quiser dividir uma luta pela sobrevivência numa invasão zumbi ao lado de um amigo ou amiga, Zombies ate my Neighborhood (Multi) é uma excelente pedida. No controle de duas crianças, os jogadores devem explorar jardins durante a noite para, além de detonar zumbis asquerosos, resgatar cidadãos, que parecem estar totalmente aéreos ao fato de mortos-vivos terem dominado a vizinhança. Com uma jogabilidade semelhante a Zelda:  Link to the Past (SNES), Zombies ate my Neighborhood mistura elementos de ação com pequenos puzzles para manter a aventura sempre interessante. 
Os visuais cartunescos e a sátira constante a filmes de terror com certeza lhe colocarão no clima para a segunda temporada de Stranger Things. Nostalgia é o nome do meio desse jogo, a começar pelo óculos 3D azul e vermelho do protagonista. Além de nos cartuchos originais de SNES e Sega Genesis, é possível encontrar Zombies ate my Neighborhood no Virtual Console do Wii.

Limbo

Um menino em um mundo escuro, vazio e enevoado, enfrentando desafios que o matariam ao menor contato. Essa poderia ser a história de Will Bayers no Mundo Invertido, mas é a de um garoto sem nome que enfrenta uma floresta hostil e sem vida para salvar suam irmã. Em Limbo (Multi), temos uma das melhores representações de um mundo vazio e obscuro, como a própria ideia do limbo. Prepare-se para morrer muitas vezes tentando resolver os muitos enigmas que o título reserva.
"R-U-N"
Para embarcar nessa solitária jornada, basta procurar por um dos muitos lançamentos que Limbo recebeu. Disponível para X360, XBO, PS3, PS4, PSV, PC, iOS e Android, Limbo é facilmente o jogo mais acessível dessa lista. Se o game lhe encantar, dê uma olhada em Inside, outro título do mesmo estúdio com temática semelhante.

The Legend of Zelda: Majora's Mask

“Você tem 72 horas”. É com essa frase, aparentemente de um filme de terror, que começamos cada ciclo de três dias em Zelda: Majora’s Mask (N64). Para muitos uma representação dos estágios do luto, Majora’s Mask é a mais sinistra das aventuras de Link. O jovem é levado ao mundo paralelo Termina, onde uma gigantesca e mal encarada lua ameaça chocar-se contra a cidade Clocktown em poucos dias. Para evitar a catástrofe, Link deve recrutar gigantes protetores de Termina, cada um em um dos igualmente macabros ambientes desse outro mundo. Durante a jornada, Link deve recuperar dezenas de máscaras, cada uma com uma história mais aterrorizante, triste ou bizarra do que a outra.
Termina esconde tantos segredos macabros quanto Hawkins
Zelda: Majora’s Mask pode ser encontrado em sua versão original de N64, que também pode ser baixada pelo Virtual Console do Wii e Wii U. Uma ótima versão remasterizada também foi lançada para 3DS. Se curtir a ideia de mundos paralelos em Zelda, Twilight Princess (GC/Wii), A Link to the Past (SNES) e A Link Between Worlds (3DS) podem ser ótimas pedidas.

Super Mario Galaxy

Em Stranger Things, aprendemos um bocado de coisa sobre múltiplos universos, forças eletromagnéticas e telecinese para resolver um mistério mortal. Que tal pegar esses pilares da ficção científica e transformar numa adorável aventura de Mario pelo espaço sideral? Atração gravitacional, andar de cabeça para baixo e viajar a outros universos são elementos do incrível Super Mario Galaxy (Wii). Aposto que Lucas, Dustin, Mike e Will adorariam caçar as centenas de estrelas dessa jornada.
Super Mario Galaxy está disponível em mídia física no Wii e para download no Wii U. Se a primeira aventura não for o bastante, você pode jogar também Super Mario Galaxy 2 (Wii), uma excelente sequência.

Axiom Verge

Axiom Verge (Multi) é uma excelente releitura dos títulos metroidvania, especialmente Super Metroid. Abusando de uma atmosfera sci-fi, o jogo nos coloca na pele do cientista Trace, que vai parar num mundo alienígena, Sudra. Lá, ele deve não apenas sobreviver às hostis ameaças extraterrestres, como também clarear suas memórias sobre a vida na Terra e como foi parar em tão inóspito ambiente.
Os visuais e a trilha sonora de Axiom Verge dão uma incrível sensação de estar explorando o Mundo Invertido, e a sensação de isolamento e perigo constante são perfeitos para simular o que Will Bayers deve ter experienciado lá. Felizmente, Trace conta com uma infinidade de armamentos para sobreviver em Sudra. Axiom Verge está disponível para download no PS4, XBO, PC, Wii U e, a partir do dia 5 de outubro, também no Switch.

O Mundo Invertido em pixels

South Park

Quatro crianças contra outra ameaça espacial. Dessa vez, são os quatro meninos boca-suja de South Park, e o perigo extraterrestre é um grande cometa maligno que, ao passar próximo da Terra, dá início a várias “coisa estranhas”. Entre as bizarrices estão perus mutantes e alienígenas, tudo com muita referência na série televisiva. Com bastante névoa dos mapas do jogo para lembrar o Mundo Invertido e crianças lutando com armas improvisadas, South Park é uma pedida para entrar no clima de Stranger Things.
Para jogar esse clássico, é preciso ir atrás de suas versões de N64 ou PS1. Há também uma versão de PC. Se realmente curtir o jogo, o modo multiplayer também vale a pena ser experimentado.

Metroid Prime 2: Echoes

A missão de Samus Aran no planeta Aether esconde um elemento até então desconhecido pela caçadora: uma dimensão paralela. Em Dark Aether, tudo é escuro, gosmento e mais hostil: até a atmosfera inflige dano continuamente. Para impedir que a escuridão de Dark Aether alastre-se para Aether e para pôr um fim nos experimentos dos Space Pirates com Metroids e a substância radioativa Phazon, Samus deve encarar ambientes sombrios atrás da luz que ainda existe no planeta. Ta aí uma aventura que lhe fará conhecer algo bem próximo do Mundo Invertido.
Metroid Prime 2: Echoes (GC) pode ser encontrado em sua versão original para GC ou como parte da coletânea Metroid Prime Trilogy (Wii). O pacote com os três Metroid Prime também foi liberado para download no Wii U.

Ni no Kuni: Wrath of the White Witch

Na primeira temporada de Stranger Things, acompanhamos Joyce tentando resgatar seu filho Will em outra dimensão. Em Ni no Kuni, por outro lado, embarcamos na jornada do jovem Oliver por um mundo fantástico para salvar sua mãe. O mundo de Ni no Kuni é muito mais colorido e alegre do que o Mundo Invertido de Stranger Things, mas guarda incontáveis perigos e não deixa de ser também uma versão distorcida do mundo real. A razão desse jogo estar aqui também é pelo forte apelo emocional dado à relação mãe e filho nas duas obras, porém em perspectivas diferentes.
Além disso, Ni no Kuni é uma homenagem aos clássicos RPGs dos anos 80 e 90, o que pode lhe aproximar do que as crianças de Stranger Things adoravam fazer no porão de Mike. Ni no Kuni está disponível para PS3 e DS, embora infelizmente a versão de DS não tenha sido localizada por essas bandas. Se a aventura lhe cativar, fique de olho na sequência Ni no Kuni II: Revenant Kingdom, que chega em janeiro do ano que vem para PS4.

The Last of Us

A jornada de Joel e Ellie pelos escombros dos Estados Unidos durante um apocalipse zumbi foi coroada como um dos melhores games de todo os tempos. Não foi por menos que os irmão Duffer, criadores de Stranger Things foram atrás desse sinistro título da Naughty Dog atrás de inspirações para a criatura que aterroriza a cidade de Hawkins na série. A semelhança entre o Demogorgon de Stranger Things e o zumbi Clickers é imensa! Eles se parecem fisicamente, sonoramente e até despertam a mesma sensação de pavor e cautela ao se aproximarem!
The Last of Us foi lançado originalmente para PS3. Uma versão remasterizada desse clássico também está disponível para PS4. Se curtir o título, experimente também a série Uncharted, também da Naughty Dog. Alguma relação com Stranger Things? Talvez a inspiração mútua para o protagonista Nathan Drake e o delegado Hopper: Indiana Jones. 

Menção honrosa: Dragon's Lair

Para finalizar essa lista, por que não experimentar o título que Dustin, Mike, Lucas e Will curtem na própria segunda temporada? Dragon’s Lair (Multi) conta uma clássica história de um cavaleiro ao resgate de uma princesa das garras de um impiedoso dragão, porém o ponto alto do jogo são seus visuais. Em vez de personagens representados por sprites, como era comum na época, Dragon’s Lair optou por animações, como um desenho animado. O efeito é surpreendente, e até inacreditável para um jogo tão antigo. Quem sabe jogando não descobrimos alguma pista do enredo dessa segunda temporada, assim como a partida de Dungeon’s & Dragon do primeiro episódio revelou detalhes do que estava por vir?


Pessoalmente, eu nunca joguei Dragon's Lair, então não posso falar muito sobre a experiência a ponto de recomendá-lo como um jogo, mas sim como uma curiosidade a quem curte Stranger Things. Acredito que o ideal seria experimentar Dragon’s Lair em sua versão original em LaserDisc, mas também há versões para inúmeros consoles, do NES ao DSi. Os animadores por trás do título, Don Bluth e Goldman, estão produzindo um filme sobre o game.
E assim termina nossa lista de experiências gamísticas para quem é fã de Stranger Things. Sugere mais algum título para quem está louco pela segunda temporada?
Capa: Rafael Neves 
Rafael Neves é quadrinista e estudante de medicina da UFBA. Jogos fizeram parte dessa vida desde os seus primeiros anos, embalando muitos dos mais fortes laços de amizade e histórias de vida. E esse legado desembocam nas matérias que escreve aqui no Blast e em sua HQ, The Legend of Link.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook