Analógico

#StreetFighter30thAnniversary: Street Fighter e as suas diferentes artes marciais

A franquia da Capcom está comemorando 30 anos e nós vamos conhecer as principais artes marciais que já apareceram em seus jogos.

Street Fighter é uma das maiores franquias de games de luta da história. Esse ano, a “luta de rua” protagonizada por Ryu e Ken completa nada menos que três décadas e o GameBlast está usando o selo #StreetFighter30thAnniversary pra representar as matérias especiais que falam sobre a série. Mas para falar dessa consagrada franquia de luta, não podemos deixar de lembrar daquilo que a move: seus variados estilos de luta!


Ao longo desses 30 anos, muitos foram os personagens criados para os jogos. Muitos retornaram e outros acabaram caindo num limbo por vários anos. Vamos agora, então, resgatar essa história e relembrar todos os estilos de artes marciais que passaram pelos jogos da franquia ao longo dessas décadas?

“Mas boxe é arte marcial?”

Antes que venha alguém dizer “mas isso não é arte marcial!”, vamos às definições do termo, pra deixar tudo bem claro: artes marciais são disciplinas físicas baseadas na defesa pessoal e no combate desarmado, com métodos e técnicas de treinamento focados em filosofias de disciplina e respeito. Atualmente, para além das práticas de luta e defesa pessoal, as diversas artes marciais existentes também são praticadas na forma de esporte em todas as partes do mundo.

A arte marcial mais antiga existente até hoje é o kung fu (ou wushu), que data de mais de 5 mil anos de idade. Entretanto, ao contrário do que muitos por aí pensam, artes marciais não são somente orientais. A capoeira, o boxe e a luta greco-romana são três exemplos de artes marciais ocidentais que ganharam o mundo nas últimas décadas. Dito isso, vamos parar com os estudos e ir direto para a nossa lista!


Baraqah 

Essa arte marcial pouco conhecida surgiu no norte da África e atualmente tem se espalhado bastante pelo Oriente Médio. Com técnicas e movimentos considerados sagrados pelos Islâmicos, essa arte marcial se depara com bloqueios religiosos e culturais quando tenta ser disseminada com fins comerciais. Com movimentos leves e estrondosamente ágeis, o baraqah tem em sua base o uso de movimentos rápidos e bastante focais com os braços.

Em Street Fighter o estilo de luta chegou só recentemente com o lançamento do árabe Rashid. Seus poderes ligados ao vento são uma alusão à agilidade característica do seu estilo de luta. Velocidade essa que também é um atributo marcante do personagem durante as partidas, sendo uma ótima escolha para os amantes de lutas rápidas.


Boxe

Praticado por várias civilizações antigas, o boxe moderno se popularizou nos Estados Unidos no início do século XX, quando os conceitos atuais do uso de luvas e outras práticas mais seguras ainda não existiam. Antes disso, a prática era altamente violenta e muito sangrenta, com vários lutadores saindo terrivelmente feridos após um embate. Atualmente, o boxe é um dos estilos de luta mais respeitados e comercializados do mundo, se tornando, inclusive, uma modalidade olímpica.

Em Street Fighter podemos citar dois grandes personagens que usam este estilo de arte marcial: Balrog e Dudley. Balrog, o comparsa de Bison é poderoso e violento, fazendo alusão aos lutadores mais esquentados do boxe, tal como Mike Tyson, conhecido por polêmicas e perdas de paciência constantes. Já Dudley, seu rival, é um inglês inteligente e sagaz. Cresceu seguindo os passos do pai e conquistou tudo que ele não havia conseguido antes, se tornando, inclusive, um Sir por suas incríveis habilidades como pugilista. 


Caratê

O caratê é uma arte marcial japonesa milenar muito famosa que surgiu como uma derivação de técnicas de combate indígenas e chinesas. Sua principal característica é a variação de dezenas de escolas diferentes que, mesmo com focos distintos, procuram manter sempre um estilo mais rigoroso de pedagogia. Suas características principais, além dos movimentos duros e fortes, é o grande peso que a filosofia e a ética possuem durante os combates e a vida dos seus seguidores.

Muitos lutadores de Street Fighter utilizam de alguma escola do caratê, principalmente a chamada Shotokan. Os nossos queridos protagonistas Ken e Ryu são dois ótimos exemplos desse estilo de luta. Além deles, podemos citar também o terrível AkumaDan HibikiCody TraversSakura e o ancião Gouken. Além deles, indo para o estilo conhecido como Rindoukan, temos a jovem Makoto. Um elemento que pode ser considerável para o uso constante do caratê na franquia seja a popularização deste estilo de luta nos anos 80, época de surgimento do game.


Capoeira

Ao contrário do que muitos pensam por aí, a Capoeira não é simplesmente uma dança praticada por escravos brasileiros na época do Brasil imperial. Na verdade, a Capoeira é também tanto uma cultura própria quanto um estilo de luta. Atualmente, ela é mundialmente reconhecida como uma perigosa arte marcial brasileira que possui movimentos únicos sempre ritmados ao som de instrumentos musicais próprios.

Na franquia, Blanka é o único lutador conhecido que utiliza movimentos deste estilo de luta. Mesmo que o lutador bestial aparente ser incontrolável e tenha habilidades elétricas únicas, seus movimentos de luta são bem característicos desta arte marcial, principalmente pelo fato de ter vários golpes  solo que utilizam pernas e braços ao mesmo tempo.


Jiu-jitsu 

Focado principalmente em incapacitar e dominar o adversário, o jiu-jitsu surgiu no Japão entre os séculos XV e XVII, sendo uma das artes marciais mais novas se comparadas com outras milenares. Vários são os estilos de luta que derivaram ou então que pegaram movimentos emprestados do jiu-jitsu. Por consequência da sua popularização no mundo, cada localidade acabou desenvolvendo suas próprias modalidades, como no caso do Brasil, que tem um jiu-jitsu muito mais poderoso e impactante que em outros lugares.

Em Street Fighter, a brasileira estreante Laura Matsuda é a representante do jiu-jitsu brasileiro. A personagem utiliza no jogo uma variação do jiu-jitsu que combina aspectos do estilo original japonês com o estilo desenvolvido pela famosa família Gracie no Brasil. Caracterizado por movimentos com fortes, torções, alavancas e imobilizações, o jiu-jitsu de Laura também inclui fortes cotoveladas e o controle do chi, proporcionando a ela poderes elétricos.


Kung Fu (Wushu)

De longe a arte marcial mais antiga do mundo. O kung fu, também conhecido como Wushu no ocidente, é uma arte marcial chinesa muito popular até hoje. Suas formas diferenciadas ganharam a cultura pop ocidental e, atualmente, algumas de suas escolas são bastante conhecidas. Mesmo que alguns estudiosos datem o Kung Fu com cerca de 5 mil anos de idade, os primeiros registros vêm da dinastia Shang, iniciada em 1766 a.C.

Na franquia de games de luta, o kung fu é muito bem representado principalmente por Fei Long, personagem inspirado no grande lutador Bruce Lee, que antes de inventar seu estilo próprio de luta (o Jeet Kune Do) foi um exímio lutador de kung fu, que aprendeu tudo que sabia com o grandioso lutador Yip Man. Outros personagens da série que se utilizam desse estilo de luta são Chun-Li, Rufus, os irmãos Yun e Yang Lee, e o vilanesco Gen


Muay Thai

Também conhecido como “Boxe Tailandês”, o muay thai é uma arte marcial originada na Tailândia por volta do século XVI. Entretanto, somente no meio do século XX foi que o esporte ganhou o mundo e se popularizou em várias nações. Assim como o jiu-jitsu, várias foram as escolas distintas de muay thai que surgiram, inclusive a brasileira. Atualmente, o esporte é símbolo cultural e social da Tailândia, sendo marcante na identidade do país.

Na nossa adorada franquia de luta, Sagat é o principal representante da técnica. Mesmo com uma infância pobre, o tailandês cresceu forte e violento, ganhando o mundo das lutas através de suas habilidades impiedosas. Além dele, o lutador de rua Adon também é um bom exemplo do muay thai em Street Fighter.


Ninjitsu

A clássica arte ninja surgiu a partir da necessidade de se treinar espiões na época do Japão feudal (século VI). O ninjistu se caracteriza por técnicas mistas de sobrevivência e combate rápido, prezando pela leveza, esperteza, agilidade e força. Atualmente, esta arte marcial é utilizada principalmente como forma de de defesa pessoal e no treinamento do exército de alguns países.

Em Street Fighter, Ibuki é a principal personagem que representa o estilo de luta. A adolescente nascida em Kyoto é treinada como ninja desde pequena e tem sua vida dividida entre as lutas e o anseio por viver a adolescência como uma jovem normal. Além dela, também podemos citar Vega como um lutador que utiliza uma variação do ninjitsu clássico, misturando seus movimentos bcom práticas culturais da Espanha. Também podemos citar Guy como outro represente da técnica na franquia, mesmo que ele não apareça tanto quanto Ibuki nos jogos.


Sambo

Antes que você pense que isso é uma dança ou grupo musical, o sambo é uma arte marcial moderna que surgiu na extinta União Soviética, no início do século XX. Traduzido a grosso modo do Russo, sambo significa “autodefesa sem armas”, e tem suas origens principalmente no boxe e na luta greco-romana. Muitos confundem suas técnicas com o judô ou com a luta livre, por envolver grandes arremessos dos oponentes ao chão e golpes rasteiros muito impactantes.

O clássico lutador de Street Fighter que representa essa técnica de luta é ninguém menos que Zangief. Nascido no auge da Guerra Fria, o patriota Zangief lutava pesado e chegou a matar oponentes durante combates, quando simplesmente decidiu ir para a Sibéria treinar com ursos polares, o que lhe deu as grandes cicatrizes que exibe atualmente. Como os ursos claramente não davam conta do monstruoso russo, ele resolveu entrar para o Street Fighter em busca de algo mais desafiante. Ok, não é?


Sumô

Mesmo datando de vários séculos de idade, o sumô é considerado atualmente uma arte marcial japonesa moderna. Ficou conhecido por todo o mundo, mas somente no Japão é praticado de forma competitiva. Seus rituais e técnicas são originários da religião xintoísta e a vida dos rikishi (lutadores) é altamente regrada, com essas figuras inclusive indo viver em campos de treinamento sumô durante toda a vida.

Edmond Honda, ou simplesmente E. Honda, é o único representante desta arte marcial em Street Fighter. Natural de Osaka, no Japão, o lutador começou seus treinamentos como rikishi ainda criança e atualmente é um sensei hábil e poderoso, que luta para mostrar ao mundo como sua arte e honra são poderosas.


Taekwondo

O taekwondo é originalmente a fusão de três estilos de Caratê distintos (shotokan, o shudokan e o shitoryu). Enquanto a Coreia estava sob o domínio do Japão no começo do século XX, os jovens ricos do país eram enviados para a terra do sol nascente para aprenderem a lutar caratê. Ao voltarem para casa, eles uniam diversas outras artes e mudavam o que achavam necessário, como os nomes dos golpes. Com o tempo, se organizaram e transformaram tudo isso em uma única arte marcial: o taekwondo, que, atualmente, é inclusive um esporte olímpico.

Em Street Fighter apenas uma personagem representa o estilo de luta: Juri Han, também conhecida como Spider. Foi campeã nacional de taekwondo aos 15 anos e, desde lá, só cresceu no mundo das lutas, conquistando o mundo. Muito solitária e com um passado misterioso, não são muitas as informações sobre ela.


Mil estilos, mil culturas

Muitos outros personagens ficaram de fora dessa lista, junto de suas técnicas de luta igualmente não citadas. Grande parte deles não são considerados praticantes de uma arte marcial específica, como é o caso de Guile, treinado como combatente das forças especiais ou Dee Jay, lutador de um kickboxing não especificado. Enquanto outros são adeptos da luta livre como é o caso de El Fuerte e Poison. Além disso, temos a técnica do Kabaddi de Dhalsim, que mesmo sendo um esporte indiano, não chega a ser considerada uma arte marcial.

O que caracteriza Street Fighter é a incrível mistura de etnias, culturas e artes corporais. Mesmo com personagens muitas vezes bizarros e caricaturados até demais, o jogo foi responsável por disseminar pelo mundo uma variedade de estilos de luta e culturas que muitos jovens jamais haviam ouvido falar antes de jogar em suas versões. Que a franquia dure no mínimo mais 30 anos com excelentes títulos e cada vez mais significância no mundo dos e-sports.



Revisão: João Pedro Boaventura
Gilson Peres é Psicólogo e Mestrando em Comunicação pela UFJF. Está no Blast desde 2014, onde é Redator e Diretor. Começou sua vida gamer bem cedo no NES e hoje divide seu tempo entre games antigos e novos. Pode ser visto por aqui sempre escrevendo algum texto polêmico, instrutivo ou nostálgico. Geralmente é visto em alguma discussão no Facebook ou no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook