Jogamos

Análise: Sonic Mania (Multi) é pura nostalgia e revitaliza a franquia com sucesso

Depois de um período conturbado de novidades fracassadas, Sonic finalmente volta às origens com um jogo próprio para fãs.

Não é novidade para ninguém que a franquia do ouriço azul não estava em seu melhor momento nos últimos anos. Com jogos próprios medianos ou até ruins, como a série spin-off Sonic Boom (Multi), a era 3D do mascote da SEGA não estava indo bem. Mas em 2011 a empresa já havia tido um gostinho da estratégia que daria certo com a franquia em Sonic Generations (Multi) e é nessa lógica que temos finalmente Sonic Mania (Multi), um retorno digno às origens da série que ignora alguns jogos para ressuscitar a qualidade dos anos dourados de Sonic em suas aventuras.

O retorno ao 16-Bits

O que chama atenção e atrai já de cara em Sonic Mania é o seu visual totalmente retrô. O retorno à era dos 16 Bits é muito benéfico  ao ouriço e é feito  de forma muito boa. Mesmo que o visual seja old school, a quantidade de informação, cores e detalhes na tela são muito gratificantes e enchem nossos olhos de informações. Os movimentos estão fluidos e a movimentação agrada bastante.



Como se trata de um jogo em 16 Bits na era do 4K, isso é recompensado com fases bem mais complexas do que aquelas que víamos na época do Mega Drive. É interessante ver também como praticamente não há telas de carregamento, mantendo um ritmo de jogo constante entre as fases e, principalmente, entre os dois atos de uma mesma fase. Ao mesmo tempo, isso exige uma força de vontade muito maior do jogador para pausar o game e ir fazer outras coisas, pois o ritmo é sempre acelerado.

Além dos visuais, a trilha sonora é igualmente brilhante. Com músicas originais remixadas e outros temas originais, a qualidade do áudio de Sonic Mania agrada muito. Isso principalmente por fazer algo que permeia praticamente o jogo todo: combinar apelos à nostalgia com elementos novos que dão um ótimo senso de continuidade e/ou atualização para Sonic.


Desafios dignos do ouriço azul

Para os apaixonados pelo estilo de nível de dificuldade dos jogos mais antigos, Sonic Mania será um prato cheio. O jogo mantém a alta velocidade que é a principal bandeira da franquia desde o seu surgimento, bem como os level designs complexos cheios de passagens alternativas e segredos a serem descobertos.

Entretanto Mania eleva bastante essa dificuldade em alguns pontos, principalmente por introduzir chefes no final de cada ato das fases. Esses chefes, vale a pena ressaltar, esbanjam criatividade e desafios. Nenhum é vencido do mesmo modo e alguns fazem até referência a outros jogos antigos, como Dr. Robotnik's Mean Bean Machine (Multi). 



Outro ponto que merece ser lembrado também são as fases bônus e os colecionáveis presentes ao longo das fases. Com transições para câmeras em 3D pixelado, as fases que permitem acumular mais anéis e coletar os diamantes de poder são desafios a parte bem mais difíceis do que a fase tradicional. Isso faz com que o fator replay se torne quase uma necessidade, além, é claro, de ser incrivelmente difícil coletar tudo que o jogo possui.

Sobre o nível de dificuldade, um ponto negativo é importante de ser assinalado. Algumas decisões de obstáculos de fases acabam sendo punitivos, o que mostra algumas falhas no design delas. Espaços vazios convidativos a serem explorados que levam para a morte, espinhos que impedem o jogador de correr em linha reta e plataformas colocadas em posições estranhas são detalhes que podem passar despercebidos por alguns, mas que podem ser altamente frustrantes dependendo de quem está jogando.


O retorno do trio original

Outro fator muito elogiado em Sonic Mania é o retorno da opção de escolha entre os três personagens principais da série: Sonic, Tails  e Knuckles. Elemento ausente há muito tempo em jogos da franquia e que os fãs sentiam falta. Aqui, assim como em jogos antigos como Sonic 3 & Knuckles (Mega Drive), é possível jogar com um dos três separadamente ou com a dupla Sonic e Tails  em conjunto.

A possibilidade de usar um dos três protagonistas à escolha do jogador dinamiza mais ainda a jogatina. Isso porque as habilidades distintas de cada um dão a eles acesso a partes do cenário impossíveis de se alcançar para os demais. Além de tornar a experiência de jogo variada, isso aumenta mais ainda o fator replay que comentamos ali em cima.


Os altos e baixos do multiplayer

Sonic Mania possui dois modos que podem ser contados como multiplayer, ambos no modo local. Um deles é o chamado versus, modo que foi introduzido primeiramente em Sonic 2, trazido de volta ao Mania e que coloca dois jogadores em tela dividida para apostar uma corrida ao longo das fases do jogo. São contados quantos pontos cada um faz e os anéis coletados, mas quem chega primeiro ao final da fase é que ganha o ponto.

Mesmo que a tela dividida pareça muita poluição visual à primeira vista, o modo é divertido e dá bastante liberdade para os jogadores correrem o cenário da forma que preferirem. Entretanto, é uma pena que o outro modo multiplayer não siga o nível desse e acabe deixando a experiência de jogar em equipe um tanto quanto falha.



O modo Mania utilizando Sonic e Tails  em conjunto é passível de ser multiplayer no formato cooperativo, mas é bastante frustrante para quem está no comando da raposa voadora. Isso porque ao mesmo tempo em que a tela é sempre focada em Sonic, Tails  pode ficar para trás ou sair andando para frente sem nenhuma ligação com o ouriço controlado pelo player 1.

Isso sem contar o fato dele ter vidas infinitas e não pegar qualquer power up presente nas fases. A sensação que dá é de que a função do segundo jogador é a daquele irmão mais novo que você empresta o controle desplugado para ele pensar que está jogando e, na verdade, não tem relevância nenhuma durante a partida.


Um jogo com público específico

Sonic Mania é sensacional em vários pontos e apela descaradamente para o seu público nostálgico que jogou os primeiros jogos da franquia lá nos anos 90. Sua nostalgia é dosada na quantidade certa para que o jogo não se torne “mais do mesmo” e traga novos elementos para a franquia. Tudo no jogo foi feito pensando nisso, com desafios, colecionáveis, chefes de fase e jogabilidade toda voltada para esse equilíbrio entre o antigo e o novo.

Entretanto, tudo aquilo que é novo em Sonic Mania é pensado para seu público de jogadores fiéis. Nada é exatamente convidativo para jogadores novatos ou que não haviam experimentado a franquia antes do 3D (sim, eles existem por aí). Isso não é exatamente um problema, mas precisa ser levado em consideração, pois não são todos que vão se divertir com o jogo da mesma forma.



Porém, Mania cumpre o que promete e é feito para seus fãs, um ato corajoso e honroso que pode ser o pontapé que a franquia precisava para voltar com tudo.

Prós

  • Visuais retrô muito bonitos;
  • Fases complexas e cheias de conteúdo;
  • Alto nível de dificuldade pode agradar fãs antigos;
  • Variação de personagens dinamiza o jogo;
  • Colecionáveis desafiadores;
  • Trilha sonora nostálgica e muito boa;
  • Excelente fator replay;
  • Senso de continuidade entre fases;
  • Multiplayer competitivo divertido.

Contras

  • Nível de dificuldade muito elevado pode afastar alguns jogadores;
  • Alguns designs de fases são punitivos demais;
  • Falta de um multiplayer cooperativo digno.
Sonic Mania — PS4 / XBO / PC / Switch — Nota: 9.5
Versão utilizada para análise: PS4

Revisão: João Paulo Benevides
Gilson Peres é Psicólogo e Mestrando em Comunicação pela UFJF. Está no Blast desde 2014, onde é Redator e Diretor. Começou sua vida gamer bem cedo no NES e hoje divide seu tempo entre games antigos e novos. Pode ser visto por aqui sempre escrevendo algum texto polêmico, instrutivo ou nostálgico. Geralmente é visto em alguma discussão no Facebook ou no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook