Jogatina de FDS

O que estamos jogando: South Park, Metroid, Assassin's Creed, Crash Bandicoot e muito mais

Confira o que a equipe do site jogará no final de semana.

Entramos no mês de julho. Não parece, mas já percorremos a metade de 2017 até aqui. Um bom ano para os amantes do jogos e videogames. Dando prosseguimento à nossa coluna semanal, perguntamos para a nossa equipe: o que vocês irão jogar neste final de semana?


Ana Krishna Peixoto

Explodindo tudo em partidas rápidas

Eu nunca passei perto de ser a jogadora casual que apenas procura partidas rápidas para jogar no celular, mas durante a semana descobri o mais novo game mobile da Ubisoft: South Park Phone Destroyer (Android/iOS), que será ideal para o meu final de semana sem tempo para jogatinas longas. Como todo e qualquer outro jogo para esse tipo de plataforma, é capaz de eu enjoar em pouco tempo, desta forma, pretendo aproveitar os próximos dias para me distrair entre um estudo e outro com esse novo título.

O game mistura elementos de RPG e card game e tem um sistema muito interessante de progressão, em que cada fase pode ser jogada em até 15 níveis de dificuldade diferente. Isso dá uma longevidade maior ao game, além de fazer com que o jogador sempre tenha vontade de voltar em fases anteriores e descobrir se já consegue derrotar um chefe em uma dificuldade maior com suas cartas um pouco mais evoluídas. É bem bacana, fica como recomendação se ainda não o conhecem.

Renan Greca

Metroids e zumbis

Todo esse papo de Metroid na E3 me deixou empolgado para jogar... adivinhem? Metroid, claro. Como eu já joguei e rejoguei a maioria deles, estou tirando a ocasião para completar a campanha de Metroid Prime Hunters, o spin-off da série para DS. O foco em combate e os controles desconfortáveis sempre me repeliram dele, mas, superando o choque inicial, estou me divertindo mais do que eu esperava.

Além disso, vou jogar o shooter de zumbis Arizona Sunshine no PlayStation VR. É um estilo de jogo meio cansado, mas quero ver o que a realidade virtual pode adicionar a esse game. Esperem uma análise semana que vem.

Flávio Priori

Construindo florestas e assassinos

Nada como uma grande promoção para nos fazer colocar alguns jogos em dia. Atualmente estou jogando Ori and The Blind Forest, que estava a tempos enrolado para pegar. E admito que o hype gerado pela sequência anunciada na E3 ajudou a finalmente jogar Ori. Além dele, devo continuar com Assassin's Creed Syndicate que, pelo menos no começo, parece promissor. Não jogo nada da série desde o Black Flag, vai ser um bom aquecimento até o lançamento de Origins. Por fim, meu grande companheiro das últimas semanas, Dragon Quest Builders, na versão de PS Vita, continua firme forte.

Eduardo Chamma

Férias + Summer Sale = Alegria Plena

Depois de um bom tempo ausente das jogatinas por conta de faculdade e trabalho, eu vou poder aproveitar as comprinhas da Summer Sale e já digo logo que coloquei 150 reais na Wallet Steam justamente pra isso haha! Esse fim de semana eu irei zerar The Walking Dead: New Frontier (Multi) que é a continuação da história da Clementine (e na minha opinião é muito melhor que a série de TV), e nos momentos que eu não estarei jogando (dormindo ou comendo) estarei baixando Middle-Earth: Shadow of Mordor (Multi) e Batman da Telltale (Multi). Já tem algum tempo também que eu venho querendo jogar Skyrim (Multi), já tentei jogar ele 2 vezes e não me empolguei, mas esse fim de semana eu vou tentar ir mais longe com ele e tentar gostar desse jogo que muitos amam. O desafio maior nisso tudo é arranjar tempo parar jogar um pouco de cada mas acho que consigo!

Renan Rossi

O reencontro com um velho amigo

Sabe aquelas pessoas que se deixam levar pela nostalgia? Eu sou uma delas e, com o anúncio do Super NES Classic Edition, resolvi curtir o fim de semana ao lado do meu bom, velho e amarelado SNES. Para começar, uma volta por Super Mario World, alguns tiros em Mega Man X e altas macacadas na trilogia Donkey Kong Country. A cereja do bolo ficará por conta de Demon’s Crest, um dos meus preferidos da era 16-bits. A ambientação, a dificuldade e a trilha sonora de arrepiar o braço certamente me deixarão mergulhado no jogo por horas. Se eu estivesse na reunião dos funcionários da Nintendo que decidiram quais seriam os 21 títulos inclusos no Mini SNES, com certeza não deixaria a aventura de Firebrand de fora.

Ivanir Ignacchitti

3 x Fate = Diversão

Infelizmente estou sem grana e não consigo aproveitar bem a promoção do Steam. De todas as opções, comprei Portal 2 (Multi), um jogo que meu PC não roda, mas tenho certeza que será fantástico. Apesar disso, ao contrário dos últimos fins de semana em que estive em uma espécie de loop de tristeza sem nenhum jogo, pretendo aproveitar este fim de semana bastante.

Estou jogando três jogos da série Fate em paralelo: a visual novel Fate/Stay Night –Realta Nua– (Multi) e os RPGs Fate/Extra (PSP) e Fate/Grand Order (Android/iOS). Tudo isso porque um amigo meu me perguntou sobre o plot de Fate/Extella (Multi) e decidi que assim que terminasse a rota Akiha de Tsukihime (PC) deveria rejogar Fate/Extra para relembrar sua história, desta vez acompanhado de outro servo (Archer ao invés da Saber vermelha). Enquanto Extra é uma jornada bastante familiar, conhecia Stay Night apenas de forma mais superficial e o jogo tem me surpreendido positivamente.

Alexandre Galvão

Nostalgia remasterizada

O fim de semana será dedicado ao reencontro com um velho amigo de infância/adolescência. E não me refiro à “darkness, my old friend”, mas sim à Crash Bandicoot! Graças a Crash Bandicoot N. Sane Trilogy (PS4), terei três oportunidades. Jogar o primeiro jogo, algo que não foi possível na época e pra mim é novidade; jogar melhor o segundo, pois foi o que menos joguei na época; rejogar o terceiro, que foi sim minha experiência mais, digamos, decente com o marsupial até então.

Aquela “obrigação” em coletar tudo vai tomar conta do meu ser neste fim de semana. Além dos rages que te dão vontade de jogar o controle voando pela janela. Mas claro q não farei isso… controles são caros a beça hoje em dia! HAHAHA!!!

Francisco Camilo

Questionando códigos morais

Minha última aventura com a Irmandade dos Assassinos foi com Assassin’s Creed Unity (Multi). Gostei absurdamente do game, principalmente por ter jogado ele bem depois de seu lançamento conturbado e cheio de bugs. Depois de um tempo de descanso, decidi voltar à franquia através de Assassin’s Creed Rogue (Multi), e o game se provou deveras interessante para mim. Acompanhar o ponto de vista de um Templário sobre as ações dos Assassinos oferece um panorama diferenciado. Shay Patrick Cormac, o protagonista, tem se mostrado sensato em suas decisões, e traz o questionamento: tudo deve mesmo ser permitido? O gameplay é sólido, divertido e as batalhas navais são a cereja do bolo para mim. Quero ressaltar aqui o trabalho do dublador Alexandre Moreno, que fez um excelente trabalho dando voz a Shay Cormac na versão dublada em português brasileiro.

Felipe Fabricio

Salvando princesas e fazendas

Ah, Summer Sale! Depois de comprar alguns jogos, andei me aventurando muito em Long Live the Princess (PC), tentando salvar a pequena Elodie da morte certa em várias ocasiões. Mas isso não é provavelmente a única coisa que eu irei jogar, pois planejo começar Stardew Valley (PC), mais um que veio da Sale, e continuar, como sempre, upando minhas units e fazendo summons aleatórios em Fire Emblem Heroes (Android), para ver se eu finalmente consigo algo bom… Dá uma ajuda aí, RNG!

E você, caro leitor, o que irá jogar durante os próximos dias? Compartilhe com a gente nos comentários!
Ana Krishna Peixoto é formanda em Ciências Econômicas pela UERJ. No Blast, é redatora e revisora. Suas paixões são os esportes (sobretudo o futebol e o jiu-jitsu), os livros, a escrita e os videogames. Fã de PlayStation, não nega sua queda pela Nintendo. Pode ser encontrada no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook