Blast Test

Destiny 2 (Multi): conhecendo as possibilidades de um novo destino

Uma pequena amostra da mescla de novidades com aquilo que fez Destiny ser amado.



Em 2014, aqueles que amavam shooters puderam ter uma experiência agridoce com Destiny, MMOFPS da Bungie, lançado para PlayStation 4 e Xbox One. Se por um lado a jogabilidade e ação eram boas, faltava conteúdo para dar razão aos jogadores para que voltassem ao game e aproveitassem tais aspectos positivos. Os erros foram sendo corrigidos com o passar do tempo, mas hoje há, pelo menos para a Bungie, a necessidade de uma continuação numerada para seu shooter espacial de sucesso.


A versão beta de Destiny 2 oferece a chance de experimentar uma missão do modo campanha, dois modos multijogador competitivos e uma missão de Assalto. A missão da campanha disponível, “Volta Para Casa”, é a mesma missão mostrada no vídeo de gameplay exibido durante a E3 2017. O Guardião e seu Fantasma estão fora da Torre, que acaba sendo atacada pela Legião Vermelha, grupo de elite da raça Cabal. Liderados por Ghaul, os cabais da Legião Vermelha destroem a Torre, antigo local de reunião dos Guardiões e último bastião da Luz na Terra. A dinâmica da missão é muito parecida com o que já foi visto em Destiny, com tiroteios frenéticos trocados com inimigos comuns e mini-chefes.

É possível experimentar vários dos tipos de armas presentes no game, desde os tradicionais canhões de mão até os recém-adicionados lança-granadas. Temos aqui uma novidade de Destiny 2: os tipos de armas não ficam restritos em slots primários, secundários e especiais. Podemos equipar armas da mesma categoria em slots diferentes, tendo dois fuzis automáticos equipados ao mesmo tempo (minha dúvida aqui recai sobre o fato de ainda haver certas restrições, pois as armas coletadas ficam dispostas separadamente entre os slots. Ou seja, há canhões de mão restritos ao slot primário e canhões de mão restritos ao slot secundário?).



A jogabilidade é basicamente a mesma do título original, com a adição de novas habilidades para as classes ativadas com o botão de agachar. Tais habilidades representam os fundamentos de suas classes. Os Titãs podem conjurar barreiras protetoras, pois uma defesa sólida é uma de suas características; Caçadores se esquivam com facilidade e Arcanos conjuram círculos mágicos de fortalecimento. Essas habilidades ajudam a criar uma sensação maior de cooperação, não baseando a proteção dos companheiros apenas através de tiros, granadas e socos.

As novas subclasses de cada classe principal trazem habilidades e características diferentes de Destiny, renovando a jogabilidade e levando algo realmente novo aos jogadores, mesmo que por alguns instantes muitos detalhes e características de tais subclasses possam parecer semelhantes demais entre si (a nova subclasse de Caçador, Acrobata Voltaico, é muito parecida com a antiga sublasse Dançarino Lacerante; ambas dão ao portador armas de dano elétrico para combate corpo a corpo). Talvez um dos pontos falhos da beta de Destiny 2 seja ter liberado grande parte da habilidades das novas subclasses para os jogadores sem a necessidade de evolução do personagem, que já começa em nível 20. Consumir uma novidade assim, em uma fase de testes tão pequenina, pode tirar um pouco da graça do fator novidade, mas não é algo tão prejudicial assim.

O Assalto disponível, “O Pináculo Invertido”, traz de volta exatamente as mecânicas do modo no game original, com três jogadores em modo cooperativo, pequenos objetivos dentro da missão e um chefe ao final. No Assalto disponibilizado, os jogadores visitam Nesso, um dos novos planetas incluídos em Destiny 2. O ar de novidade do local se mistura com o retorno de velhos inimigos, como os Vex.



É possível experimentar dois modos competitivos: o clássico modo Controle, no novo mapa do Crisol, chamado de Vale Sem Fim; e o modo de desarmar bombas, Countdown, em que a partida é disputada em rodadas, vencendo quem atingir a meta de pontos primeiro. Temos aqui outra novidade de Destiny 2: as partidas competitivas agora possuem dois times de quatro jogadores cada se digladiando em embates ferrenhos. O número pode parecer pequeno se comparado com o game anterior, mas funciona bem, exigindo ainda mais que os jogadores andem em grupo e cooperem entre si para vencer. O número reduzido de jogadores também evita que fiquemos cercados por todos os lados a todo momento. Há uma nova interface presente no topo da tela do modo competitivo, mostrando a disposição de classes e subclasses de todos os integrantes da partida juntamente com a pontuação dos times.

Se você jogou o modo competitivo de Destiny, sabe como era frustrante terminar em primeiro lugar, não ganhar absolutamente nada como prêmio e ainda ver que o último colocado do time, talvez de toda a partida, foi premiado com um item lendário ou até mesmo exótico. Era de partir o coração e questionar quais critérios o sistema da Bungie utilizava para escolher os prêmios dos jogadores. Se a versão completa seguir os moldes de Destiny 2, esqueça a frustração citada acima. Ao término da partida, cada jogador é recompensado com um item aleatório ainda dentro do mapa, ocorrendo antes da tela que mostra o desempenho dos jogadores.



Destiny 2 Beta oferece uma porção mínima do que podemos esperar de sua versão completa. É visível que a produtora está buscando fortalecer as fundações criadas no título original, aprimorando aspectos com base no feedback da forte e presente comunidade do jogo. Destiny 2 pode vir a ser mais um sucesso da Bungie, desde que consiga evitar as falhas de seu antecessor. É preciso oferecer uma ampla gama de conteúdos desde o dia de seu lançamento, bem como entregar ao jogador uma história rica e envolvente. Não basta convencê-lo a voltar apenas para farmar loot e conseguir os melhores equipamentos; é preciso despertar seu interesse para com aquele universo, seja com bons personagens, seja com histórias ou mesmo detalhes marcantes.

É preciso considerar também que as semelhanças com o primeiro game, embora tragam uma sensação de “lembrança” gostosa aos jogadores que já se aventuraram por esse universo, podem acabar sendo um fator que leva uma parcela do público a considerar o game uma simples repetição do primeiro. Se a Bungie conseguir cativar tanto novatos quanto veteranos, então o sucesso de Destiny 2 será uma simples questão de tempo.

A versão beta de Destiny 2 teve início no dia 18 de julho no PS4 para quem fez pré-venda do game ou adquiriu códigos promocionais. Jogadores de Xbox One poderão conferir o game a partir desta quarta-feira, 19 de julho. A versão beta entrará em fase aberta no dia 21 de julho, liberando o acesso de todos aqueles que se interessarem em testar o game (PS4 e Xbox One), e será finalizada no próximo dia 23. Jogadores de PC poderão experimentar a versão beta de Destiny 2 em agosto.

Revisão: Ana Krishna Peixoto

Francisco Camilo é formado em Serviço Social pela PUC-MG e até hoje não entende a verdadeira razão de ter feito tal curso. Apaixonado pelo mundo dos jogos eletrônicos, tem em sua mente um futuro ideal cuja existência é incerta e o leva a questionar se o que imagina é parte de um sonho ou ilusão. Pode ser encontrado aqui principalmente em análises e buscando troféus na PlayStation Network.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook