Jogamos

Análise: The Disney Afternoon Collection (Multi) é uma nostálgica viagem aos anos 1990

Coletânea com seis clássicos do NES prova que games antigos nunca estiveram tão em alta.



Meu envolvimento com o mundo dos videogames começou na metade da década de 1990, quando ganhei um Super Nintendo de aniversário. Passei tardes e mais tardes procurando as saídas secretas de Super Mario World ou coletando bananas em Donkey Kong Country. Aquele universo de 16-bits era tão incrível e repleto de novidades que eu pouco me interessava em conhecer títulos mais antigos. A curiosidade em explorar o passado dos jogos eletrônicos só veio quando fiquei sabendo que DuckTales, desenho que fazia parte de minhas manhãs de sábado, já havia caçado algumas aventuras no antigo NES.


Como a jornada do Tio Patinhas foi minha porta de entrada para os clássicos, a ansiedade bateu forte quando a Capcom anunciou o lançamento de The Disney Afternoon Collection e que o jogo estaria presente no pacote. Foi exatamente com ele que comecei a experimentar a coletânea e ao selecioná-lo toda a introdução se desenrolou como me recordava, com a música-tema do desenho tocando em sua versão 8-bits. Proporcionar uma sensação nostálgica é o maior trunfo dessa coleção, afinal o cenário retrô nunca esteve tão aquecido.

Reencontros e surpresas

Além do já conhecido DuckTales, The Disney Afternoon Collection traz ainda DuckTales 2, Chip ‘n Dale Rescue Rangers, Chip ‘n Dale Rescue Rangers 2, Darkwing Duck e TaleSpin. De todos os jogos, já conhecia os dois estrelados pelo Patinhas e também ambos que trazem Tico e Teco com protagonistas. Inclusive, Chip ‘n Dale tem um dos melhores modos multiplayer cooperativo de todo o NES. Vale a pena convidar o irmão ou algum amigo para assumir o controle da dupla de esquilos. Já Darkwing Duck e TaleSpin foram duas surpresas, uma boa e outra nem tanto.
Seis clássicos pelo preço de um


Darkwing Duck segue o mesmo gênero de plataforma dos demais games da coletânea. Porém, enquanto DuckTales tem a exploração não linear como elemento principal e Chip ‘n Dale é opção para jogatinas entre amigos, a aventura do pato mascarado tem fases mais verticais que abusam da habilidade do protagonista de se pendurar. Para mim foi um grande achado, pois Darkwing Duck era um dos desenhos que eu acompanhava na infância, mas que até hoje não sabia que existia o game baseado na animação.

Já TaleSpin é o mais diferente e menos interessante do conjunto. Estrelado por Baloo (sim, aquele mesmo de Mogli), o game tem como inspiração a série que mostrava o urso pilotando o famoso avião Marreco. Por se tratar de uma aventura aérea, o título deixa de lado o estilo plataforma e traz um shoot 'em up, também conhecido como jogos de navinha, que deixa a desejar. Comparado com outros representantes do gênero, TaleSpin é bastante lento e travado, características que tornam tudo muito cansativo e repetitivo.
É Baloo, não foi desta vez...

Passado e futuro

Quando soube do lançamento de The Disney Afternoon Collection, imaginei que se tratava de um remaster ou remake dos clássicos, algo semelhante ao que aconteceu recentemente com DuckTales Remastered, desenvolvido pela própria Capcom. Confesso que fiquei meio chateado ao receber a notícia de que a coletânea traria apenas os jogos originais em HD, sem grandes outras inovações. Não entendi o motivo para o estúdio lançar um pacote como este, afinal os seis games podem ser facilmente encontrados atualmente.

Relançar jogos antigos também precisa ser algo bem estudado para definição de qual o público-alvo do projeto. Essa coletânea da Disney, por exemplo, não deve chamar a atenção de crianças que começaram a jogar videogame na geração PlayStation 3 e que têm a disposição títulos com mecânicas totalmente diferentes dos clássicos. Para esse tipo de pessoas, o projeto da Capcom pode parecer totalmente obsoleto, ainda mais que os personagens que estrelam os jogos não são tão populares hoje em dia como eram no início da década de 1990.
Darkwing Duck não é tão popular como foi antigamente


Descartando os mais jovens, The Disney Afternoon Collection é mais voltado para quem viveu a época de ouro dos 8-bits ou para aqueles que têm interesse em conhecer a história da indústria dos videogames. Pode parecer um público bastante segmentado, mas não é, pois esses mesmos jogadores são que fazem com que o NES Classic Edition se transforme em um sucesso tremendo ou que comemoram quando um remake de Wonder Boy é anunciado para as atuais plataformas.

Conhecendo qual é o público-alvo do game fica mais fácil de entender a jogada da Capcom com The Disney Afternoon Collection. O estúdio resolveu entrar com tudo nessa onda retrô que está muito aquecida no mercado e nada melhor do que usar títulos tão marcantes como cartão de visitas. Não estranharia se no futuro novas coletâneas seguindo esse mesmo estilo sejam lançadas pela Capcom, até mesmo revivendo alguns personagens que estão meio que esquecidos, sim estou olhando para você Megaman.

Interessantes novidades

A grande inovação prometida nos trailers de The Disney Afternoon Collection é a definição HD. Apesar de manter o visual clássico, a imagem realmente está mais limpa e as cores contam com melhor intensidade. Esteticamente, os jogos estão mais bonitos do que os originais. Outra vantagem é que os sprites piscando, bastante comum no NES, foram resolvidos e o problema não acontece mais. Para quem sente saudades das saudosas TVs de tubo, é possível ativar filtros que trazem a sensação de que o game está rodando nos antigos aparelhos.

O tamanho da janela em que a jogatina acontece respeita as dimensões originais e o restante da tela é preenchido por uma moldura que varia em função do game escolhido. Se essa solução incomodar, o jogador tem a opção de colocar o jogo em full screen, porém, os gráficos ficam totalmente distorcidos e desfocados. Particularmente, achei que visualmente se perde muito com essa configuração.
Filtro faz parecer que o game está rodando em uma TV antiga
Novidade que estraga um pouco a experiência, mas que pode agradar aqueles que estão meio enferrujados com títulos antigos, é o botão de rebobinar. Inspirado nos save states dos emuladores, a funcionalidade faz com que as jogadas sejam retrocedidas infinitamente, criando a possibilidade de refazer algum movimento que deu errado. Com isso, ao invés de repetir toda a fase novamente depois de uma morte, basta usar o rebobinar e ficar tentando superar os obstáculos infinitamente.

Esse recurso pode ser usado indiscriminadamente e a única punição é que se perde um dos troféus/conquistas que pede que qualquer um dos seis clássicos sejam finalizados sem o macete de rebobinar. A artimanha detona completamente com qualquer nível dificuldade, pois mesmo quem não quer utilizá-la acaba sendo tentado a cada movimento executado de maneira errada. Talvez, mais interessante seria uma quantidade limitada de rebobinadas, ou então, o jogador ganharia esse recurso depois de completar qualquer um dos games pela primeira vez.

Outra alteração que poderia fazer parte de The Disney Afternoon Collection é a total localização do game para o português. Todos os menus principais e de opções estão disponíveis em nosso idioma, no entanto, os games têm apenas os textos em inglês. Já que houve a tradução de parte da coletânea, seria interessante que o trabalho fosse além e alterasse também as conversas entre os personagens.
Assim como os menus principais, games também poderiam ter sido localizados

Modo online?

The Disney Afternoon Collection não traz a possibilidade de jogatina online. O que é uma pena, pois seria bacana conectar com outras pessoas para o multiplayer de Chip ‘n Dale. Porém, a coletânea apresenta outras funcionalidades que conectam a comunidade. O primeiro é o Time Attack, em que os speedrunners mostram toda sua habilidade para finalizar os clássicos no menor tempo possível. Nesse modo, é possível comparar seu desempenho com os melhores do mundo e também assistir como os velocistas conseguiram atingir as menores marcas no relógio. No Time Attack o botão de rebobinar não funciona, o que torna a conquista de um lugar no Top 10 ainda mais complicada.

Já o segundo “online” é o Boss Rush, que é bastante semelhante ao Time Attack, mas ao invés de se aventurar pelo jogo inteiro, o desafio é derrotar todos os chefes no menor tempo possível. Novamente o rebobinar está indisponível e há uma lista com os melhores resultados do mundo. As duas novidades auxiliam a aumentar o fator replay dos jogos, já que depois de finalizá-los é possível fazer esse confronto contra o relógio, variando um pouco a maneira clássica de se jogar.
É possível assistir as jogatinas dos recordistas para conferir como os melhores tempos foram alcançados


Não chega a ser cansativo repetir toda a jornada uma segunda vez com a contagem de tempo, pois todos os games são curtos e cada um pode ser concluído em menos de uma hora. O mais demorado é Chip ‘n Dale 2, que atualmente está com o recorde de cerca de 20 minutos no Time Attack, já DuckTales é o game finalizado mais rápido, em pouco mais de sete minutos. Para quem gosta de colecionar todos os troféus e conquistas, é obrigatório terminar o Time Attack e o Boss Rush, pelo menos, uma vez.

Museu animado

The Disney Afternoon Collection apresenta alguns extras muito bons. São apresentadas artes conceituais dos games que explicam um pouco de como foi o processo de transformar desenhos animados em games, além de propagandas de marketing divulgadas na época do lançamento dos originais e as embalagens dos cartuchos. Até mesmo arquivos que estavam esquecidos na Capcom são revelados ao público pela primeira vez. Eu não sou muito de ficar observando esse tipo de material, porém o conteúdo trazido chamou a atenção pela qualidade e por contar parte da história do desenvolvimento dos títulos.
Vale a pena dedicar um tempinho para apreciar a galeria de extras

Revivendo clássicos

Quem tem o desejo de conhecer um pouco melhor os videogames antigos, um bom passaporte são esses clássicos que estão voltando ao mercado. Isso não quer dizer que DuckTales ou Chip ‘n Dale são os melhores games do NES, mas sim que eles têm potencial de despertar a curiosidade dos jogadores para que procurem conhecer outros games da plataforma. The Disney Afternoon Collection tem tudo ser o primeiro de outros projetos tornem mais atuais títulos que pareciam ter ficado apenas na história.

Prós

  • Dos seis jogos da coletânea, cinco são muito bons;
  • Melhorias gráficas em relação aos originais;
  • Modos extras e conteúdos adicionais que aumentam o tempo de vida do game.

Contras

  • Assim como o menu principal, os jogos poderiam ter sido localizados para o português;
  • Possibilidade de usar o rebobinar indiscriminadamente praticamente anula o nível de dificuldade;
  • Falta de multiplayer online.
The Disney Afternoon Collection — PS4/XBO/PC — Nota: 8.0
Plataforma utilizada para análise: PC
Revisão: Ana Krishna Peixoto
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Google+
0
Disqus
Facebook