Sega e Tectoy: uma fiel parceria de 30 anos

Para comemorar os 30 anos da parceria entre Sega e Tectoy, o velho amigo Mega Drive está de volta com a cara já conhecida, mas com um coração novo.



Com seu sucesso intenso durante a geração 16-bits, era de se esperar que (um dia) o console favorito dos amantes da Sega fosse relançado. Em outubro de 2016, a Tectoy anunciou que o Mega Drive voltaria à ativa no ano de 2017, em comemoração ao trigésimo aniversário da aliança entre a Sega e a Tectoy. A distribuidora brasileira sediou nesta quinta-feira, 04 de maio, um evento para apresentação do console reformulado e algumas novidades ainda então não divulgadas, na presença ilustre do apresentador Luciano Amaral e de alguns dos grandes nomes das empresas.


Fidelidade nipo-brasileira

Já se passaram 30 anos desde que as primeiras palavras entre a então distribuidora de brinquedos Tectoy e a produtora de jogos Sega foram trocadas, no início de um relacionamento que começou com um pouco de desconfiança por parte da empresa japonesa. A Sega, que fabricava consoles para competir com a Nintendo e outras empresas no mercado de games da época, tentou estabelecer negócios além-mar por meio de parcerias, porém obteve pouco sucesso. 

Um dos casos mais famosos foi de uma parceria com a Tonka, empresa americana de brinquedos. A má administração e distribuição dos consoles, seguidas de outros problemas, culminaram no fim do contrato após algum tempo, e deixaram a Sega com receio de negociar com estrangeiros. Após muita insistência por parte da Tectoy, prometendo conquistar o público brasileiro mesmo com a ameaça do sucesso dos concorrentes, a Sega cedeu e finalmente assinou o contrato que permitia que a Tectoy fosse a distribuidora oficial da Sega no Brasil. E, como dizem por aí, o resto é história.





Durante o evento, Stefano Arnhold, presidente do conselho da Tectoy, afirmou que a parceria com a Sega sempre foi baseada no comprometimento e fidelidade para com a outra. Relembrando um pouco da história da empresa e das oportunidades que surgiram para que o contrato fosse rompido, comentou até sobre uma ocasião em que a Sony tentou fechar contrato com a Tectoy para a distribuição de jogos no Brasil, porém a Tectoy recusou, afirmando mais uma vez sua consideração pelo contrato com a Sega.

O grande astro voltou

A Sega e a Tectoy não anunciaram um console totalmente novo para esse momento especial na história das duas empresas, porém optaram por reviver um console que marcou uma época com muitos jogos icônicos e inesquecíveis. O Sega Mega Drive, conhecido na América do Norte como Sega Genesis, teve como principal rival o Super Nintendo, que também foi um sucesso. Em uma épica batalha, as opiniões na época eram bem divididas, bem como a quantidade e qualidade dos jogos nos dois consoles. 



O Mega Drive, que contava com muitos ports de jogos direto dos arcades tradicionais, fez muito sucesso no Brasil. Stefano comentou também, durante o bate-papo com a imprensa, que escolher esse console como forma de presentear os fãs da época de ouro da Sega foi difícil, já que o Master System também teve uma aceitação muito positiva em terras tupiniquins.

Com a mesma cara do primeiro modelo, mas agora com um "coração" mais desenvolvido, o Mega Drive voltou com o preço de R$ 399,00 para sua pré-venda, que já foi encerrada. Os primeiros exemplares adquiridos durante esse período ganharam uma estilização própria com nome sob encomenda, e já estão sendo enviados aos compradores. O primeiro de todos foi entregue a ninguém menos que Naoya Tsurumi, vice-presidente da Sega Sammy Holdings Inc., que veio a São Paulo especialmente para o evento comemorativo.

O novo aparelho conta com um controle clássico de três botões, assim como aqueles lançados inicialmente para o Mega Drive original. O slot de cartuchos, algo tão cobiçado pelos colecionadores de cartuchos, tem compatibilidade com muitos dos jogos originais de Mega Drive. O console conta também com um leitor de cartões mini SD, o que possibilita jogar aqueles jogos que você não encontra mais em cartuchos, e até montar uma coletânea que vai além dos 22 jogos que já vêm incluídos de fábrica. Falando neles, é bom adiantar aos fãs da Sega que jogos como Sonic The Hedgehog 3 (Mega Drive), Altered Beast (Mega Drive) e jogos das série Golden Axe e Alex Kidd são alguns dos clássicos já definidos para esse relançamento inesquecível.

Os obstáculos e a volta por cima

Não é só o Sonic que lida com obstáculos em sua progressiva jornada. A Tectoy e sua dedicada equipe de desenvolvimento enfrentaram, segundo seus representantes presentes no evento, muitas dificuldades técnicas para reviver o Mega Drive. Foram inúmeras as tentativas de adaptar a imagem e som a uma saída HDMI, porém sem muito sucesso. Com um tempo limitado e visando à redução do custo do produto final, a equipe optou pelas tradicionais saídas de áudio e vídeo independentes. Todos os componentes eletrônicos foram também substituídos por equivalentes comercialmente disponíveis nos dias de hoje, de modo a viabilizar a produção de novas remessas de consoles.

Com relação ao relançamento de novos cartuchos para comercialização nos dias de hoje, Stefano afirmou ter tentado incessantemente convencer as partes envolvidas em diversos jogos produzidos anteriormente para Mega Drive a resgatar o espírito desses clássicos com relançamentos. Infelizmente, muitas portas foram fechadas quando a Tectoy investiu seu tempo e expectativas acreditando que poderiam reviver essa nostalgia. Mas a esperança é a última que morre, ainda mais para uma equipe que fez e ainda faz a alegria de muitos brasileiros.




Há alguns dias, a Maurício de Sousa Produções autorizou a produção de novos cartuchos do jogo Turma da Mônica na Terra dos Monstros (Mega Drive), jogo brasileiro que tinha como inspiração direta Wonder Boy in Monster World (Mega Drive). A Sega e a detentora dos direitos de Wonder Boy, Westone Bit Entertainment, também aprovaram a ideia, que já está sendo concretizada e foi divulgada também durante o evento.

Com um encerramento caloroso, com perguntas diversas e muitos aplausos, os representantes da Tectoy e da Sega marcaram mais um dia na história dos games no Brasil, falando sobre a importância da fidelidade entre companhias e resgatando memoráveis momentos que envolvem os consoles e jogos que conhecemos. Esperamos que o novo Mega Drive, feito da dedicação de cada funcionário da empresa, seja novamente um marco para a história dos consoles, assim como foi nos anos 90.



Arthur Maia escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook