Jogamos

Análise: Nice Slice (Multi) e a “incrível” rotina de ser uma faca de cozinha

Jogo é até divertido no início, mas acaba se tornando repetitivo e cansativo.



Videogames são meios de entretenimento realmente incríveis. Em uma mesma tarde, o jogador pode se aventurar em reinos distantes, marcar gols durante a final da Copa do Mundo e viajar pela galáxia para enfrentar seres extraterrestres. A lista de opções tende ao infinito e entre tantas possibilidades duvido que alguém já desejou assumir o papel de uma faca. Não uma faca mágica ou ultrapoderosa, mas uma simples faca de cozinha que diariamente usamos em nossas refeições. Pode parecer algo estranho, mas essa é exatamente a premissa de Nice Slice, jogo desenvolvido pelo estúdio Kool2Play e lançado para PC, via Steam, e dispositivos mobile.


Enquanto fazia o download, fui ler um pouco sobre o título e fiquei totalmente confuso e sem saber o que esperar do jogo. Afinal, como um “simulador de faca” poderia ser interessante? Para minha surpresa, o game tem um conceito simples, porém que é bem executado. Seu personagem cortador fica deslizando sozinho pela tela e ao receber um clique se movimenta para baixo, fatiando os alimentos colocados sobre caixotes. Quanto mais as comidas ficarem picadinhas, melhor será a pontuação. Ao errar o alvo, a faca permanece imóvel por alguns segundos. A partida termina quando a barra de tempo se esgota e o objetivo é marcar a maior quantidade de pontos, ao melhor estilo arcade.

Não há a necessidade de passar de fase, já que os cenários são gerados aleatoriamente. Depois de umas duas ou três partidas, minha sensação era de que se tratava de um jogo simples demais. Porém, com o passar do tempo (e executando cortes cada vez mais precisos) fui entendendo que o título, em nenhum momento, se propõe a ser algo muito elaborado ou complexo. Na verdade, Nice Slice cumpre o papel de funcionar como um passatempo simples e que tem a capacidade de divertir por alguns minutos.
Cortando um pãozinho

Corte, corte e recorte

O game até consegue ser um pouco viciante através da coleta de moedas que são usadas para liberar novas facas. Depois de cada partida, o jogador recebe uma pequena quantidade de ouro e pode trocá-lo na loja por diferentes personagens. Visitar esse comércio rende algumas risadas com os trocadilhos e referências. Temos desde Keira Knifeley (junção do nome da atriz Keira Knightley com a palavra knife – faca em inglês) até o Obi-Knife Kenobi, que tem sua lâmina substituída pelo sabre de luz.

No total, são 18 novos personagens que precisam ser desbloqueados. Para isso, é necessário reunir cerca de 30 mil moedas. O ouro serve também para disponibilizar um segundo mundo, onde as fases se passam dentro de um navio pirata e o balanço do mar torna mais complicado acertar os movimentos de corte.

Além de juntar dinheiro, outro fator que me incentivou a continuar a jogatina foi alcançar os achievements. O jogo tem algumas tarefas que são recompensadas com maiores quantidades de moedas, por exemplo, colorir o cenário com os pedaços de alimento que saem voando ou acertar os ratinhos com os restos das guloseimas.
Keira Knifeley e Obi-Knife Kenobi

Estilo mobile

Minha experiência com Nice Slice foi no PC e o grande problema é que depois de algum tempo o jogo começa a ficar repetitivo e cansativo. Mesmo o desafio de liberar as facas extras ou o cenário do navio não foi suficiente para motivar que minha jogatina durasse mais do que meia hora.

Porém, o mesmo não deve acontecer nos dispositivos mobile. Games para celulares ou tablets precisam proporcionar sessões curtas de jogo para atrair o grande público, que normalmente usa o aparelho como videogames em momentos em que não há muitas opções de entretenimento, como na fila do banco ou dentro de trens e ônibus.

No cenário mobile, o título tem tudo para chamar mais atenção do que no PC. Prova disso é que Fruit Ninja, game com premissa bastante similar a de Nice Slice, é um sucesso de downloads nas lojas de aplicativos e, inclusive, deve ganhar um filme nos próximos anos.
Navio e cozinha, os dois únicos cenários disponíveis

Nem tão afiada assim

Apesar de até ser divertido no começo, a existência de somente dois cenários me fez perder o interesse pelo jogo em pouco tempo. A promessa dos desenvolvedores é que novos mundos serão adicionados em breve. A existência de personagens para desbloquear até incentiva o fator replay, porém não é o bastante para fazer as sessões durarem mais do que meia hora. Sem impressionar no PC, Nice Slice acaba sendo apenas uma boa opção para se ter no celular quando o ônibus fica preso no congestionamento.

Prós

  • Estilo arcade que funciona como passatempo, principalmente em dispositivos mobile;
  • Trocadilhos engraçados com os nomes dos personagens;
  • Coletar moedas para liberar conteúdo extra é um incentivo para continuar jogando.

Contras

  • Fica cansativo e repetitivo após poucos minutos;
  • Quantidade mínima de cenários;
  • Poderia ter um pouco mais de conteúdo.
Nice Slice – PC / Android / iOS – Nota: 5.0
Plataforma utilizada para análise: PC
Revisão: Ana Krishna Peixoto
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Google+
0
Disqus
Facebook