Guia DLC

Resident Evil 7 biohazard (Multi) tem primeiro DLC que aumenta o nível de desafio do game

Gravação Proibida Vol. 1 traz três minigames capazes de aterrorizar até mesmo os Bakers.



Resident Evil 7 biohazard acertou em cheio ao resgatar algumas das características da série que pareciam estar esquecidas no passado. A resolução de puzzles e racionamento de suprimento são exemplos de elementos que voltaram a ser bem trabalhados na jornada de Ethan para reencontrar Mia. A fórmula de misturar desafios clássicos com boas inovações, como a câmera em primeira pessoa, mostrou-se certeira e tanto público quanto crítica vem avaliando positivamente o game.


Continuando a apostar nessa estratégia, a Capcom lançou, no último dia 31, o primeiro DLC de RE7. Batizado de Gravação Proibida Vol. 1, o conteúdo adicional traz três pequenos minigames que aproveitam aquilo que deu mais certo na história principal. Temos um joguinho de ação, em que saber administrar suprimentos é fundamental; um baseado na resolução de um grande quebra-cabeça; e o último em que é preciso boa memória e reflexos para se dar bem.

Apesar de não trazer nenhuma novidade em relação ao enredo do game, apenas mostrando um pouco mais do modo como os Bakers tratam seus hóspedes, o DLC é divertido e traz um desafio bem mais intenso do que vários que foram superados por Ethan. Quem estava pensando que o terror já havia acabado, se enganou. É hora de retornar aos pântanos da Luisiana e voltar a se assustar com os mortais mofados.

Pesadelo

No primeiro dos minigames, assumimos novamente o controle de Clancy, o câmera que aparece na primeira fita coletada durante a campanha principal. Provavelmente, os fatos contados em Pesadelo ocorrem logo após aquilo que foi mostrado no vídeo. O personagem acorda no subsolo da mansão Baker e deve lutar pela sobrevivência até o amanhecer. Para isso, ele precisa ligar máquinas produtoras de sucata que estão espalhadas pela área, esperar até que os equipamentos produzam boas quantidades de material, coletar os itens e transformá-los em suprimentos. Tudo isso enquanto mofados incansáveis estão caçando o protagonista.
Máquinas que produzem sucata serão suas melhores aliadas


Esse primeiro minigame tem foco na ação, estratégia e gestão de suprimentos. Na minha experiência, foram muitas táticas erradas até que eu conseguisse elaborar uma maneira de permanecer vivo durante toda a madrugada. É bastante limitada a quantidade de sucata que pode ser coletada para criar armas, remédios ou melhorias nas condições do personagem. Quando a opção é investir tudo nos armamentos, é bem capaz que Clancy fique vulnerável a ataques inimigos e morra após receber poucos golpes. Já se o material for majoritariamente usado para melhorar a defesa, o câmera gastará muita munição e pode ficar sem balas bem antes de o sol nascer.

Depois de muitas tentativas, consegui entender o balanceamento ideal e superei o desafio. O lado positivo de repetir esse minigame por várias vezes é que a quantidade de sucata coletada em cada partida vai acumulando e liberando novos itens ou equipamentos. Por exemplo, após conseguir juntar 300 mil peças, torna-se possível criar a serra circular. De posse dessa arma, as coisas ficam muito mais fáceis.
Jack estará te caçando (de novo)

A madrugada é dividida em cinco horas, sendo que cada volta completa do relógio é uma sessão de jogo, que dura, aproximadamente, quatro minutos. Entretanto, não adianta ficar somente correndo de um lado para o outro esperando o tempo passar, pois no final de cada hora surge um desafio, que pode ser eliminar todos os inimigos ou derrubar Jack Baker (sim, até aqui ele não te deixará em paz). Sem completar essa tarefa, a sessão nunca terminará. Além disso, as máquinas produtoras de sucata param de funcionar próximo do final de cada hora e só voltam a operar na próxima, deixando seus recursos ainda mais escassos caso demore para superar os obstáculos finais.

Conforme a madrugada vai avançando, os inimigos vão ficando mais fortes e resistentes. A dificuldade do minigame é moderada, porém, ao elaborar a estratégia correta tudo fica até que bem fácil. Ao finalizar Pesadelo pela primeira vez, é liberado o modo Terror Noturno, em que as máquinas produtoras de sucata fabricam bem menos materiais e há uma quantidade maior de mofados. Esse segundo desafio é bem mais complexo e me exigiu quase um final de semana inteiro para ser completado.


Quarto

O segundo minigame esquece a ação e exige mais da inteligência do jogador. Depois de vencer o terror de Pesadelo, Clancy ainda não se salvou e continua perdido na mansão Baker. Dessa vez, ele é prisioneiro de Marguerite e está trancado no quarto da vovó da família. Algemado na cama, o câmera recebe a visita da mamãe que trouxe um jantar nada saboroso. Colocando a “comida” na mesa, ela deixa o personagem sozinho para que possa se alimentar em paz. É a oportunidade que ele precisava para encontrar a maneira de fugir daquela casa o mais rápido possível.

Porém, Marguerite deixou todas as portas e janelas trancadas. A única alternativa de Clancy é vasculhar o quarto e procurar uma maneira de escapar. Esse quebra-cabeça gigante é bem semelhante ao que precisamos desvendar na fita Feliz Aniversário, que encontramos durante a campanha principal. Um enigma resolvido acaba levando a outro mistério que precisa ser solucionado e assim sucessivamente até que a saída seja encontrada.
Como sair desse quarto?


As coisas se tornam mais complicadas porque qualquer barulhinho chamará a atenção de Marguerite, que rapidamente corre para verificar se tudo está em ordem no quarto. Como a mamãe é bastante detalhista, percebe qualquer quadro fora do lugar. Portanto, além de vasculhar o quarto em busca da salvação, Clancy tem que ter cuidado para deixar todos os itens em seus devidos lugares quando Marguerite estiver a caminho.

Se um dos problemas de RE7 eram seus puzzles fáceis, o Quarto veio para preencher tal lacuna. Esse, sem dúvidas, é o quebra-cabeça mais complicado de todo o game. O desafio é um daqueles que faz o jogador vasculhar o mesmo local por várias e várias vezes, até que quando descobre aquilo que precisava ser feito percebe que a resposta sempre esteve muito óbvia.

Confira, logo abaixo, o vídeo com o gameplay completo do capítulo Quarto. É mostrado o passo a passo para conseguir resolver o puzzle, porém está recheado de spoilers. Assista por sua conta e risco.

Ethan deve morrer

O último minigame do DLC é o mais difícil e fará o jogador passar muita, mas muita, raiva. Levando ao pé da letra o nome, Ethan morrerá dezenas de vezes. Na teoria, a missão é até que fácil: voltamos a controlar o protagonista Ethan, que está do lado de fora da mansão Baker armado somente com uma faca. O objetivo é encontrar a chave da estufa na sala principal da casa e depois derrotar Marguerite no local onde as plantas são cultivadas. Porém, facilidade é uma palavra que passa bem longe dessa tarefa.

Primeiro que a mansão estará completamente infestada por mofados e a vida do personagem será bem menor do que aquela que estamos acostumados na campanha principal. Normalmente, com dois ataques simples será game over. Segundo, os caminhos mais fáceis estão todos bloqueados, obrigando Ethan a dar a maior volta possível por dentro da mansão. Se não fossem problemas suficientes, além dos monstros, a casa também estará cheia de outras armadilhas, como bombas, plataformas que soltam gás venenoso e caixas que explodem. E olha que eu nem falei a melhor parte ainda, não tem como salvar o progresso, ou seja, morreu começa tudo de novo.
Quantidade de estrelas sobre a caixa mostra a qualidade do item que há lá dentro


Ser bom nos reflexos não é a única exigência para finalizar o minigame, ainda é preciso ter sorte. Há pelo caminho diversas caixas de itens, porém, o que existe dentro delas é completamente aleatório. Na primeira tentativa você pode encontrar um lança-granadas logo na entrada da mansão, já na segunda pode haver um fluido químico na mesma caixa. Quando Ethan morre, todos os itens que carregava se perdem, mas ele pode recuperar um dos equipamentos se chegar até o ponto onde foi derrotado e destruir seu próprio túmulo.

Além de passar raiva ao morrer repetidas vezes e ter que refazer tudo de novo, o jogador será muito trollado durante todo o caminho. Muitas das armadilhas foram bem planejadas por quem as colocou lá e Ethan cairá nelas feito um patinho. Não há como superar diversos dos obstáculos sem conhecimento prévio de onde estão, com isso, a melhor alternativa é ir morrendo e morrendo até memorizar os pontos de perigo e evitá-los. Haja paciência!


Conteúdo que vale a pena

Com o final misterioso da campanha principal, já estamos ansiosos pelo DLC que expandirá a história. Porém, enquanto esse conteúdo não chega, vale a pena experimentar Gravação Proibida Vol. 1. Trazendo um nível de dificuldade maior e explorando bem as características que deram certo em RE7, o pacote de minigames é bastante divertido e com potencial para agradar todos aqueles que gostaram do jogo.

Revisão: Ana Krishna Peixoto
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook