League of Legends (PC): Consequências dos dez banimentos em torneios profissionais

Os dez banimentos introduzidos neste ano já trouxeram muitas surpresas e atenderam diversas expectativas.



Os dez banimentos fazem parte de um sistema introduzido neste ano para todos os campeonatos oficiais e, de longe, foi uma das melhores introduções ao meio competitivo pois só conseguiu trazer benefícios, além de um pouco de desafio a mais da parte técnica de cada time. Antes disso, do começo de tudo até 2016, cada time tinha direito a três banimentos e, normalmente, personagens do meta game e boas escolhas específicas de certos times eram removidas. No antigo método, o primeiro jogador (normalmente o top laner), fazia os três banimentos, hoje, com os cinco banimentos para cada time, cada jogador faz um banimento.

Como funciona?

O começo da seleção de campeões, também chamada de picks e bans, não muda muito do antigo método. A chamada primeira fase conta com três banimentos para cada lado e logo após isso, três escolhas para ambos os times. Após isso, começa a segunda fase de banimentos, em que os dois últimos jogadores de cada lado banem mais dois personagens e logo após isso, selecionam mais dois para fechar o elenco de seu time.

Vantagens

Como a maioria das pessoas sabem, os jogos competitivos sempre contam com os personagens do meta, que são as escolhas mais poderosas no momento para cada rota. Com a entrada desse sistema de bans, mais coisas podem ser retiradas e, com isso, a variedade de personagens pode aumentar bastante.

Na nossa liga, o CBLoL, algumas escolhas inusitadas já começaram a aparecer. A pessoa que mais trouxe personagens inusitados foi o top laner da INTZ, Ayel, que trouxe Illaoi, Akali, Darius e até mesmo Gangplank, personagens que não estavam tão presentes mas que o jogador fez dar certo, apenas não tendo sucesso no jogo de Akali. Renekton também foi uma escolha que apareceu bastante, feita pelo Robo (Red Canids) e Aoshi (Operation Kino).



Fora do Brasil, as surpresas são ainda maiores. Kennen top com uma itemização voltada para dano físico, o próprio Renekton, Mordekaiser Mid sendo resposta contra a Katarina, entre outras coisas inusitadas.

Desvantagens

Em um sistema como esse, é meio difícil citar alguma desvantagem, já que tudo que ele trouxe foi uma variedade maior de escolhas, algo que é muito valorizado pelos jogadores. A única “desvantagem” é o tipo de preparação, já que nesse sistema as chances de terem surpresas são altas, os treinadores e parte técnica da equipe precisam estar bem preparadas.

Com a entrada desse sistema, os jogadores também ficam pressionados. Com um maior número de banimentos, maior será o número de personagens que o jogador terá que saber jogar em nível profissional. Normalmente, os últimos dois banimentos servem para banir personagens específicos de jogadores que ainda não selecionaram seus heróis, e sabendo disso é necessário ter um leque de campeões vasto, caso contrário, o time não conseguirá ter um bom jogo.

Por um lado, apenas benefícios aparentam aparecer no meio profissional, mas quando isso chega nas filas casuais? Até agora não houve um pronunciamento oficial da empresa sobre esse assunto, apenas uma breve explicação de benefícios para o meio profissional e o casual, além de exposição de certas ideias para esse sistema em filas normais. Não existem datas e nem nada do tipo para esse novo sistema na famosa solo queue, então por um tempo continuaremos com os três banimentos para cada lado.


Possíveis vantagens do sistema na fila solo

Nas partidas casuais, uma variedade imensa de personagens é uma realidade. De Aatrox e Galio até Volibear, meta é algo que não costuma ser lei, diferente dos jogos competitivos. Com a introdução dos dez banimentos, uma possível mudança seria que os personagens do meta fossem mais difíceis de serem escolhidos, atual situação de Camille, Leblanc e Rengar que são banidos em quase todos os jogos dos níveis mais altos. Caso não seja utilizado para retirar as escolhas mais fortes, personagens que o jogador não gosta de enfrentar com certeza seria cotado a ser banido.

Os “personagens desbalanceados”, como a sociedade costuma chamar, também desapareceriam bastante, como Riven, Yasuo, Zed, Vayne, Lee e afins, dificultando a vida dos mono heroes, jogadores que usam apenas um personagem (normalmente tendo só ele em alto nível) para subir seu ranking, que diminuiria drasticamente.


Desvantagens do sistema

Provavelmente nenhuma desvantagem aparecia para um jogador normal, apenas para os mono heroes já citados. Como a maioria deles jogam com os personagens mencionados (Riven, Yasuo, Zed, Vayne e Lee), ficaria mais difícil escolher e o número de pessoas que apenas usa um personagem iria diminuir drasticamente, mas não desaparecer, já que existem diversos mono heroes.

Em meio competitivo, esse sistema foi um dos melhores e se não o melhor já criado pela Riot. Ele já trouxe diversas surpresas nos jogos profissionais e quando chegar às filas casuais, é nítido que trará um jogo diferente e bem melhor de se jogar, já que muitas coisas que ninguém quer enfrentar estará nos campos da justiça. O que nos resta é aguardar e contemplar o sucesso do sistema no competitivo.

Revisão: Ana Krishna Peixoto
Edson Santos escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook