30 jogos que ficamos de olho em 2016

É hora de conferir o que aconteceu com os 30 títulos que indicamos para 2016.

No começo do ano passado resolvemos fazer uma lista com 30 sugestões de jogos para os leitores ficarem de olho em 2016. Antes de publicarmos nosso lista com outros 30 títulos não muito famosos mas suficientemente instigantes para 2017, vamos ver o que aconteceu com cada um dos jogos indicados para 2016. Alguns foram lançados durante o ano, outros apenas entraram ou permaneceram em acesso antecipado, há aqueles que serão lançados no começo de 2017 e alguns outros que foram reprogramados para esse ano, mas sem data certa ainda.

Path to the Sky

Foi lançado: não.

O interessante roguelike continua em acesso antecipado no Steam. Isso quer dizer que os jogadores que compraram a versão em Early Access vêm dando sugestões e realizando críticas, e os desenvolvedores vão polindo e preparando o título para o seu lançamento. Parece razoavelmente bem encaminhado, e deve pintar em 2017.

Cryptark

Foi lançado: não.

O jogo entrou em acesso antecipado e foi testado pelo GameBlast, com boas impressões gerais: "A jogabilidade é frenética e precisa, e os estágios e desafios funcionam. Mas o jogo ainda precisa de muito polimento: a dificuldade precisa de ajustes, mais conteúdo precisa ser colocado e as características de roguelike ainda precisam ser melhor trabalhadas". É outro que deve pintar em 2017.


Kingdom Come: Deliverance


Foi lançado: não.

Atualmente com uma versão Beta, o título está sendo experimentando pelos apoiadores do projeto no Kickstarter. Sua versão de lançamento está prevista para 2017, mas ainda sem data.

Abzu

Foi lançado: sim.
Metacritic: 84
Nossa análise: 9.0

O primeiro da nossa lista que foi propriamente publicado, ABZÛ "é uma aventura imersiva e intensa, mesmo sendo fora dos padrões. É divertido controlar um misterioso mergulhador pelo oceano rico e complexo, tão bem construído que parece real. A combinação da flora e fauna, em conjunto com as reações das criaturas, traz a sensação de realmente se estar influenciando aquele incrível ambiente. Não é uma aventura tradicional e o foco é justamente se perder nesse mundo e contemplar sua beleza, por mais que exista uma história enigmática por trás. A combinação de todos esses fatores torna ABZÛ uma experiência única e impressionante".

Where the Water Tastes Like Wine

Foi lançado: não.

Com poucas informações na página oficial, não dá para saber muito bem se o projeto continua em um ritmo bom de desenvolvimento ou se ainda existe, para todos os efeitos. A data prevista para 2016 não se concretizou, e é difícil, por enquanto, apostar que ele vai chegar em 2017.

Sometimes Always Monsters

Foi lançado: não.

Agora com um site mais completo e uma página na loja do Steam, parece que o jogo não está tão longe assim, ainda que a data prevista no Steam seja 2020. A data está muito mais para uma brincadeira, e dá para apostar que o jogo vem em algum momento dos próximos dois anos.

Cosmic Star Heroine

Foi lançado: não.

Com pré-venda aberta na Humble Store e o animador "em breve" na loja do Steam, tudo leva a acreditar que o título dará as caras ao longo de 2017, já que não foi publicado no ano passado. A primeira previsão era 2014, mas o desenvolvimento foi se mostrando mais longo. De qualquer forma, o jogo tem aparecido em eventos e deve, realmente, chegar nesse ano.

The Flame in the Flood

Foi lançado: sim.
Metacritic: 73
Nossa análise: 7.5

Mesmo com boas ideias e atmosfera, o jogo acabou sendo um pouco menos empolgante do que apostávamos: "The Flame in the Flood é um título de exploração e sobrevivência competente. O visual e ambientação, aliados às mecânicas de jogo, conseguem transmitir bem a experiência de uma sobrevivente de catástrofe — é muito divertido tentar chegar cada vez mais longe. Infelizmente perde-se muito tempo nos menus confusos, e a pouca variedade no desenho dos locais pode deixar as coisas meio monótonas e repetitivas depois de algumas horas jogadas. Os inúmeros bugs também irritam e frustram, principalmente aqueles que atrapalham o progresso da aventura".

Catacomb Kids

Foi lançado: não.

O título permaneceu em acesso antecipado e produzimos um vídeo de gameplay comentado a partir dessa versão. Catacomb Kids "segue as tendências modernas do estilo, com foco na ação e plataforma, mas não se esquece de suas raízes. Com um gameplay profundo e dificuldade imperdoável, o game certamente agradará os fãs do gênero".

We Happy Few

Foi lançado: não.

Tenso sido mais amplamente divulgado, principalmente por grandes sites, o título acabou ficando bem conhecido. Entrou em acesso antecipado, e foi testado pelo GameBlast.

Ghost of a Tale

Foi lançado: não.

Mais um que entrou em acesso antecipado. Tive a oportunidade de testá-lo, mas meu computador não aguentou muito o tranco. De qualquer forma, deu para ver o grande esmero e as boas ideias que cercam o jogo. Os desenvolvedores continuam postando com frequência o estado da produção. A novidade é que o jogo deve pintar no Xbox Preview em 2017. A má é que dificilmente será lançado definitivamente esse ano.

Cuphead

Foi lançado: não.

Esse continuou sendo bastante divulgado e permanece como um dos esperados exclusivos (para console) do Xbox One. Não há muita coisa que nos faça duvidar que ele vai sim chegar em 2017, mas jogos tem sido complicados de se produzir nos últimos anos, e imprevistos podem ocorrer.

Hyper Light Drifter

Foi lançado: sim.
Metacritic: 84
Nossa análise: 9.5

Um dos poucos que foi publicado de fato em 2016, Hyper Light Drifter se tornou um dos meus preferidos do ano. Também foi um dos preferidos do Farley, que foi quem analisou o jogo aqui no Blast: "Hyper Light Drifter é um jogo construído com esmero e o resultado é ótimo. A ambientação é excelente, principalmente por conta do visual e música excepcionais. O mundo é complexo e repleto de segredos, sempre achei muito divertido vasculhar todos os cantos. Por fim, temos um combate intenso, estiloso e difícil, que exige muito do jogador sem ser injusto".

Aer

Foi lançado: não.

Outro que já está há um bom tempo em desenvolvimento, fica difícil cravar se ele realmente sai em 2017 ou se pinta apenas em 2018. De qualquer forma, a equipe tem se manifestado no twitter, e parece que há chances de ser lançado esse ano.

Skytorn

Foi lançado: não.

O desenvolvimento parece em um bom ritmo, então existem boas chances de que 2017 seja, de fato, o ano de lançamento do título. Aguardemos.

Eitr

Foi lançado: não.

Com um tumblr bem ativo, dá para ver que o desenvolvimento continua correndo bem. Em fase Alfa, parece que o jogo tem boas chances de ser publicado em 2017.

Children of Morta

Foi lançado: não.

Outro com um blog de desenvolvimento bem ativo, e também em fase Alfa. Tem boas chances de ser publicado em 2017.

The Curious Expedition

Foi lançado: sim.
Metacritic: 74

O jogo foi publicado para recepções positivas mas não muito empolgadas. Com partidas rápidas pensadas para serem rejogadas constantemente, o título é um roguelike com boas ideias.

Salt & Sanctuary

Foi lançado: sim.
Metacritic: 84
Nossa análise: 8.5

O título chegou no ano passado, e foi analisado por mim aqui no GameBlast. Na época o jogo era exclusivo de PS4, e eu afirmei que "Salt and Sanctuary é um jogo que traz claras referências e inspirações, mas que as dialoga de forma satisfatória, gerando uma obra que é coesa em suas propostas. Além disso, acaba representando algo de positivo para cada uma dessas influências. É, sobretudo, um game com ótimo ritmo, fluído na exploração e nas batalhas. Não é uma “receita” ousada e extremamente original, mas traz uma que é coesa, bem executada e com um sutil tempero diferente."

Medieval Engineers

Foi lançado: não.

Mais um que está em acesso antecipado e continua sendo constantemente atualizado pelos desenvolvedores. Não parece estar longe de sua versão final para lançamento.

1979 Revolution

Foi lançado: sim.
Metacritic: 80
Nossa análise: 6.5

Publicado como 1979 Revolution: Black Friday, o título tem aspectos realmente louváveis, mas patina em saber desenvolver suas mecânicas e sistemas de forma a confluir com a narrativa e a ambientação. Também traz um plano de fundo interessante, mas derrapa no desenvolvimento dos personagens que apresenta.

SUPERHOT

Foi lançado: sim.
Metacritic: 82
Nossa análise: 8.0

Esse foi um dos mais originais do ano, e bastante celebrado, principalmente no primeiro semestre. Em nossa análise, o redator aplaudiu as mecânicas do game e sua originalidade, mas sentiu que tudo era ainda muito experimental, no sentido de que o jogo não levava a cabo e à outras situações suas ideias, sendo curto quando a experiência pedia mais.

Vane

Foi lançado: não.

O título não foi publicado, mas agora seu site oficial afirma que chegará em 2017 para o PS4.

Moon Hunters

Foi lançado: sim.
Metacritic: 62
Nossa análise: 4.5

O título acabou não correspondendo às suas boas ideias e promessas e "é um jogo que tinha tudo para dar certo, entretanto não alcançou esse objetivo. A premissa de controlar heróis em um mundo selvagem e fazer parte da construção de lendas é interessante, mas a execução deixou a desejar. O título conta com cenários repetitivos e desinteressantes, combate raso, dificuldade baixa e partidas de curta duração. A mecânica de reputação era promissora, contudo foi mal desenvolvida e ficou subutilizada na aventura. As únicas características que se salvam são a direção de arte e a música, que não são suficientes para sustentar o jogo como um todo".

Ashen

Foi lançado: não.

Esse ficou um pouco no escuro ao longo do ano, então é difícil apostar mesmo em um lançamento para 2017. Resta aguardar.

Night in the Woods

Foi lançado: não.

Foi adiado, mas está confirmado para fevereiro de 2017. Está me fase final de produção e já está em pré-venda nas lojas virtuais.

Secrets of Grindea

Foi lançado: não.

Mais um que continua em acesso antecipado. Depois de alguns anos de produção e com atualizações constantes no blog de desenvolvimento, parece que o jogo tem boas chances de aparecer em 2017.

SpyParty

Foi lançado: não.

O jogo entrou em estágio Beta, então é bastante possível que 2017 seja o ano de seu lançamento.

Oxenfree

Foi lançado: sim.
Metacritic: 80
Nossa análise: 9.5

O título foi publicado em janeiro, e conseguiu chamar atenção por algumas inovações interessantes e pela polidez geral da obra. Em nossa análise aqui no Blast, o redator apontou que "Mesmo com transes e metalinguagem, tudo em Oxenfree é coeso e bem amarrado. É impressionante que tentar falar a respeito dos seus detalhes passe a impressão de fatiar uma flor com um sabre, tudo é conectado demais para ser separado sem deixar algo faltando nas partes. O seu andamento é suave e confortável, mas nem por isso a história consegue ser ignorada. Provavelmente por ser uma pequena injustiça histórica e aí resida o valor humano que estimula engajamento. Talvez por ser uma homenagem aos filmes adolescentes, o roteiro consegue ser casual e grandioso ao mesmo tempo. Texto, direção de arte e trilha sonora funcionam na mesma faixa, em harmonia".

Death's Gambit

Foi lançado: não.

O título foi sendo adiado, mas aparentemente está em um estágio bastante avançado de produção, com diferentes trechos jogáveis sendo apresentados nos eventos ao longo de 2016. Tem boas chances de ser, finalmente, publicado em 2017.


~

E assim terminamos nossa revisão de começo de ano. Indicamos alguns jogos no início de 2016 e é interessante ver o que aconteceu com cada um ao longo do período. A maioria não foi lançado, e fica cada vez mais latente que, também no mundo independente, os jogos estão cada vez mais complexos e difíceis de serem produzidos e finalizados. Cabe lembrar que só em 2016, 40% dos jogos que existem na biblioteca do Steam foram lançados. Esse dado nos faz pensar que em um mercado com tanta oferta, finalizar um produto bem polido é essencial, e por isso tantos jogos atrasam. Esperamos que os que não conseguiram sair em 2016 sejam publicados nesse ano e que consigam confirmar as boas expectativas que nos geraram.
Pedro Vicente é um homem sem qualidades. Para se esquecer das décadas de fracassos de sua vida real, resolveu passar parte do seu dia jogando. Iniciado nos games por Adventures e JRPGs, hoje em dia joga de tudo. Gosta muito de escrever sobre jogos, mas só dá nota 10 para games em que você pode dar Suplex em um trem.

Comentários

Google+
0
Disqus
Facebook