Conheça Star Conflict (PC), um excelente e gratuito MMO de naves

Entre várias pérolas gratuitas presentes no Steam, Star Conflict se destaca por sua ótima jogabilidade, desafio e vasto conteúdo.

Desenvolvido pela Gaijin Entertainment e lançado em 2012, Star Conflict é um MMO de naves espaciais muito atrativo. Com mais de 150 naves diferentes para jogar missões contra outros jogadores ou de modo cooperativo, o título também conta com exploração em mundo aberto e também com torneios, missões especiais e mecânicas de crafting que deixam a experiência de jogo muito mais rica e atrativa. Tanta qualidade em um jogo free to play chega a ser duvidosa para alguns, mas venham comigo nessa matéria especial e conheçam um pouco mais sobre o que Star Conflict tem a oferecer.

Evolução como foco da jogatina

Star Conflict é basicamente um jogo de naves espaciais focado em missões PVP e PVE que mostra a disputa entre três facções pela supremacia na galáxia. Entretanto, essas três facções acabam por conversar entre si, pois os jogadores podem ter naves e aceitar missões de todas elas, uma vez que, mesmo conflitando uma com a outra, todas se unem contra um inimigo em comum muito mais poderoso que elas, os alienígenas chamados de Biomorph.



Com isso explicado, muitos podem até achar que o jogo é muito fechado ou repetitivo, mas essa sensação de repetição acaba após superar os primeiros quatro ranques do jogo. O que acontece é que tudo do jogo funciona através da evolução da sua frota. Cada uma das quatro atuais facções do jogo (Federation, Empire, Jericho e Ellydium) possui dezenas de naves próprias com atributos característicos de cada uma. Dentre essas naves existem classes, habilidades, equipamentos e armas que são específicos de um ou outro tipo de nave.

Esse mundo de naves está distribuído através de 15 ranques em cada facção, com exceção da Ellydium, que funciona de modo diferente. Para liberar as naves de ranques superiores, é preciso alcançar um determinado nível com a nave que seria a forma mais rústica dela. Assim, para liberar naves de ranques mais altos, deve-se jogar e crescer de nível com as naves que o jogador já possui, chegando no nível máximo delas.



Esses ranques ditam tudo que você pode ou não pode fazer no jogo. Os modos Skirmish, Missões PVE e PVP contra inteligência artificial são os mais básicos do jogo. Quanto mais o jogador vai evoluindo, outros modos ficam disponíveis como a viagem através da Galáxia para missões em mundo aberto, a saída das docas com uma nave a fim de explorar e coletar recursos de forma livre, o modo conquista para disputar setores da galáxia entre guildas, os torneios com horas pré-determinadas, as missões das Operações Especiais que são praticamente um evento dentro do modo PVE e a liga de Star Conflict, para os jogadores mais experientes.

Tudo isso mantém ativo no jogador o sentimento de evolução e a consequente recompensa por seu crescimento no jogo. Tantos modos diferentes e tantas possibilidades do que fazer com cada nave, além de um sistema de missões próprio que encoraja o jogador a explorar cada modo de jogo do título, fazem da experiência de Star Conflict mais dinâmica do que se imaginaria à primeira vista.

Uma ótima variedade de naves

O que seria de um jogo de construção de uma frota de naves sem uma boa variedade de naves para se jogar, não é mesmo? Nisso Star Conflict passeia com maestria, uma vez que atualmente possui disponíveis 235 naves no total, sendo que apenas 68 dessas são naves consideradas premium, as quais o jogador precisa pagar com dinheiro real para usá-las. Ainda assim, mesmo entre essas naves pagas, algumas podem ser obtidas dentro do próprio jogo através de missões específicas, tirando um pouco da exclusividade delas.



Entre universo de naves para se escolher está organizado através de classes que delimitam a função básica de cada tipo de nave no jogo. Cada classe possui vantagens e desvantagens, além de um vasto número de representantes dela. Confira as quatro atuais classes de nave do jogo:

  • Interceptors: As naves mais rápidas de todas. Pequenas e ágeis, essa classe de nave pode ser uma dor de cabeça para inimigos mais lentos. Seu dano pode ser pequeno, mas sua taxa de tiro compensa isso com muita agilidade. Entretanto, sua defesa é quase nula, sendo destruída com alguns poucos tiros.

  • Fighters: As naves dessa classe são as mais versáteis de todas. Com agilidade mediana, dano mediano e tamanho mediano, não é de se surpreender que essa classe de nave consiga encarar tanto naves maiores como também se igualar em uma perseguição com as Interceptors. O problema de ser o meio termo entre todas é exatamente seu ponto fraco: ela não possui agilidade, defesa ou dano superiores a nenhuma das outras classes de nave.

  • Frigates: As fragatas de Star Conflict são conhecidas por sua altíssima defesa de escudos e de casco. Sua lentidão, um dos seus maiores pontos fracos, assim como o seu tamanho avantajado são compensados com habilidades de atirar a distância, acertar vários inimigos ao mesmo tempo e, nos ranques mais altos, criar escudos. Possuem função de suporte e variam entre linha de frente e cobertura.

  • Destroyers: As monstruosidades que dominam quase sempre os combates PVP do jogo. A maior classe de nave é a mais nova lançada e também a com a maior quantidade de controle das batalhas. Podendo acertar e se defender de múltiplos inimigos, essa classe de naves também possui grande quantidade de vida e defesa. Entretanto, pode perder seu dano aos poucos através da destruição de partes específicas de seu casco além de ser a classe mais vulnerável a controles de status e danos térmicos. Assim como as fragatas, também é bastante lenta.

Pagar não garante muita coisa

Outro artifício muito comum em jogos gratuitos é o que os jogadores chamam de “Pay to Win” (pagar para ganhar, em tradução livre). Pelo fato do jogo ser gratuito, a empresa muitas vezes deixa dentro do jogo atalhos ou facilidades para que os jogadores fiquem tentados a gastar dinheiro real enquanto joga. O problema muitas vezes é que essas facilidades acabam por desbalancear o jogo e tornam a experiência daqueles que jogam sem gastar nada com isso muito limitada. Felizmente, Star Conflict encontrou um meio termo muito gratificante nesse quesito.

Existe no jogo sim o dinheiro premium (comprado com dinheiro real) que possibilita a compra de naves premium, baús com diversos itens sortidos que podem ajudar bastante ao equipar suas naves, a possibilidade de mudar a cor e estilizar sua nave, mudar foto de perfil, acrescentar falas ao matar inimigos entre outras coisas. Entretanto, mesmo com tudo isso, o jogo não se torna desbalanceado entre jogadores gratuitos e pagos.



Um dos motivos é o fato de, através do Steam, as conquistas do jogo garantirem algumas boas moedas premium, mesmo que de modo mais trabalhoso. As naves premium, entre as quais algumas podem ser liberadas através de missões gratuitas, não são super poderosas ao ponto de um jogador gratuito não conseguir vencê-las. A única vantagem delas, além do design criativo e das armas diferentes, é o fato de já virem com o nível máximo. Mas nem a metade das naves do jogo são premium, o que não atrapalha nem um pouco a experiência de jogo.

As DLCs do jogo disponíveis no Steam compensam por conta das vantagens de ganho de experiência e o recebimento de naves exclusivas e grandes quantias de dinheiro premium para usar da forma que desejar. Mas um jogador dedicado consegue chegar sem problemas nos maiores ranques do jogo e chegar ao nível máximo com as 167 naves gratuitas atuais que o jogo disponibiliza. Para garantir a honra entre jogadores, Star Conflict ainda conta com diversas listas com a pontuação global do jogo atualizada, permitindo que os jogadores reconheçam o quão bom eles se encontram em relação a toda a comunidade de jogadores.


Construindo para jogar do seu jeito

Outro ponto muito interessante desse jogo são suas possibilidades de crafting. Além do tradicional mercado e da evolução através dos pontos distribuídos na tripulação, o jogo também apresenta uma oficina que permite que o jogador fabrique seus próprios equipamentos e armas para as suas naves. Cada classe de nave, dependendo do seu ranque, pode utilizar uma gama de armas diferentes. O modo de jogo de cada jogador vai ditar como ele vai preferir equipar suas naves e até se ele vai preferir repetir combinações antigas em naves novas ou se vai preferir variar e aprender a jogar com todas.

A oficina permite a construção de equipamentos, armas, munições, armas secundárias e também a classe de naves Destroyer, a qual só pode ser adquirida através de manufatura. Para construir essas gigantescas naves é preciso montar cada uma de suas peças, as quais precisam de itens que são fabricados na oficina também, através de minérios e matérias primas adquiridas ao final de cada missão ou então nas explorações e minerações em mundo aberto.


Acima de tudo, gratuito

Star Conflict está disponível no Steam e, mesmo com servidores somente na Rússia e nos EUA, o lag é quase nulo por aqui, o que garante que a experiência de jogo não seja prejudicada pelo fato de não termos um servidor nacional do título. A comunidade ativa de jogadores é bem prestativa e se você entra em uma das maiores guildas pode até acompanhar o seu nível de aproveitamento dentro da guilda vendo se seus companheiros jogam mais ou tanto quanto você.

O jogo possui excelentes gráficos e uma trilha sonora mais que animadora. Possui atualizações constantes e ótimas formas de recompensar os jogadores com bonificações diárias, missões que dão acesso a conteúdos que originalmente seriam pagos e promoções que acompanham o calendário do Steam. Por algum motivo o jogo não é tão conhecido por aqui e é por isso que essa matéria existe, para divulgá-lo! Afinal, não é todo dia que a gente encontra um material de tão boa qualidade livre de taxas e prontinho para ser explorado por nós assim. Encontro vocês online!

Nesse momento meu ranque mais alto é 10, mas consegui alcançar o nível máximo com todas as minhas naves de ranque 4 ou menos. Tenho mais de 180 horas de jogo e ocupo atualmente a posição 27.550 de um total de 982.200 jogadores.
Revisão: Luigi Santana
Gilson Peres é Psicólogo e Mestrando em Comunicação pela UFJF. Está no Blast desde 2014, mas começou sua vida gamer bem cedo, no NES. Pode ser visto por aqui sempre escrevendo algum texto polêmico, instrutivo ou nostálgico.

Comentários

Google+
0
Disqus
Facebook