League of Legends (PC): A diferença entre o casual e o profissional

Alguns quesitos contam para os dois estilos, mas a diferença entre o casual e o profissional é grande.



Muitos jogos que existem atualmente possibilitam que o jogador tenha um nível de comprometimento alto, e no League não é diferente. Caso o jogador deseje ser profissional, ela leva o jogo mais a sério e com um foco e dedicação maior para alcançar seu objetivo, mas  ele também pode ser um jogador mais casual e focar apenas em um ranking alto dentro do jogo. Mas, qual a diferença?


Mesmo tendo um elo relativamente alto, não significa que não exista diferenças com um jogador profissional. Muitos fatores influenciam a partida, desde o ambiente em que você está jogando até o pensamento sobre determinadas coisas feitas dentro do jogo.

Para ser um jogador profissional é necessário sim um elo alto, já que os times profissionais representam o nível de jogo do servidor, sendo impossível um bronze entrar para um time do CBLOL (Circuito Brasileiro de League of Legends). Cada jogador profissional tem um nível de jogo diferente, mas como citado anteriormente esse não é o único fator relevante para se ter uma boa partida.

League of legends é um jogo que trabalha muito com estratégias, ou seja, pensar bastante no que pode acontecer e o que é possível realizar conta como algo muito importante. Usar a cabeça, conhecer os limites de seu campeão e do campeão inimigo, prestar atenção no mini mapa e ter uma boa noção de rotações são também fatores importantes, mas um dos mais impactantes é o fator psicológico.

O fator psicológico afeta até os mais preparados jogadores.

Por exemplo, uma final de campeonato presencial com milhares de pessoas na plateia aplaudindo e torcendo pode influenciar na jogabilidade, já que a pessoa pode ficar nervosa diante tamanha quantidade de gente e, consequentemente, jogar mal. Existem muitos casos disso ter acontecido e não apenas com jogadores novatos. A INTZ, time bastante experiente no cenário, já “tremeu” diante a torcida turca e acabou perdendo uma série que dava classificação ao Mid-Season Invitational do ano passado (2015), não sendo a única vezque isso aconteceu com a equipe. Aqui no Brasil também aconteceu isso, já que na final do CBLOL de 2016, o jogador da CNB “pbO” acabou jogando diferente do habitual devido ao nervosismo, já que essa final foi sua primeira com torcida presente.

Cada time tem sua equipe de psicólogos focados para evitar problemas como esse, podendo atuar na convivência com os jogadores. Essa atuação se dá antes dos campeonatos e entre as partidas da série em um torneio, mas mesmo assim algumas vezes certo jogador não consegue ter cabeça suficiente e acaba sendo levado pelo psicológico.

Conversa entre o time da Pain Gaming com seus psicólogos e analistas.

Em partidas casuais, as pessoas podem fechar grupos de amigos para jogar, mas quando isso não é possível, o time é completado por pessoas desconhecidas até então. Você não conhece esses players e não sabe como eles pensam, não tendo entrosamento nenhum. Sendo bem diferente, um time profissional conta com 5 pessoas que se conhecem (mesmo sendo por pouco tempo),com a convivência deles e com a criação de um hábito de jogar juntos, um entrosamento aparece e, além dele, você conhece o estilo de seus companheiros e sabe o que esperar deles.

Então, em um ambiente profissional não existe um fator mais importante que o outro. É necessário ter uma boa mecânica de jogo, boas estratégias dentro de jogo e um entrosamento com o time, sem contar o fator psicológico, onde os seus próprios companheiros podem te ajudar dentro da partida caso aconteça algum problema.

Um jogador profissional conta com muitas responsabilidades, sendo totalmente diferente de um jogador casual. Uma pessoa que apenas deseja ter um elo alto não precisa simplesmente jogar, não é igual a um que tem desejo profissional mas também tem seus macetes. Ter uma boa mecânica é crucial, já que como você normalmente está sozinho (ou jogando duo nas ranqueadas) jogar bem é o foco principal. Ter boas estratégias é bom, mas levando em conta a toxicidade do servidor brasileiro é difícil que escutem, então é sempre bom ter uma boa carta na manga, já que a realização de algumas estratégias não são obrigatoriamente necessárias para todos os jogadores.

Jogadores da CNB (com jogadores diferentes da atual) assistindo um replay de uma partida para analisar erros. 

O fator psicológico também conta e consegue atrapalhar muitas pessoas em suas partidas. Uma jogada errada já deixa o jogador “abalado”, fazendo com que ele possa errar cada vez mais Perder em sequência também consegue desestabilizar o jogador, por isso o recomendado é parar caso perca duas partidas seguidas, já que o emocional pode pesar e você pode perder mais até se afundar. Jogar estressado também é uma má ideia, já que é bem mais fácil dar
rage nos companheiros de equipe, desestabilizando a partida inteira.

Independente de onde for jogar, ter um espaço confortável é mais que recomendadoo. Um computador que consegue rodar o jogo em um bom estado, boa situação climática (jogar passando frio/calor pode influenciar na jogatina),jogar doente, com sono, com fome, com sede e até precisando fazer as necessidades (nada de segurar a urina nem o número dois) podem influenciar na concentração do jogo, atrapalhando diretamente o rendimento.

A vida de um jogador profissional funciona muito diferente da vida de um casual, já que esses são poucos dos muitos fatores que os distanciam. Não basta apenas jogar bem para ser um profissional ou um jogador de elo alto, então pense bastante e veja qual tipo de jogador você deseja ser para, no fim, você se dedicar o necessário para alcançar seus objetivos.

Revisão: Pedro Vicente
Edson Santos escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
0
Disqus
Facebook