League of Legends (PC): A expansão dos times e investimentos inusitados

Pessoas e empresas importantes ao redor do mundo abrem os olhos para um mercado em ascensão

Com a grande crescente do e-Sport, todos os grandes investidores abriram o olho para a área dos “joguinhos de vídeogame” que, atualmente, tem uma força equivalente ou até maior que esportes tradicionais, mostrando bastante no ano passado, onde a audiência na final mundial de 2015 (36 milhões) superou a final da NBA (20 milhões).


Tanto no LoL como em outros jogos que possuemcenário competitivo, patrocínio é algo bem comum para as melhores equipes, mas, apenas grandes marcas da área costumavam apostar suas fichas nesses times. Serviços de streaming como Twitch e Azubu, marcas de todos os tipos de periféricos (Razer, Steelseries, etc), lojas gamers com Jayob, Rocketz (mais voltadas para computadores), eram os usuais patrocinadores de times profissionais, até que certo dia os padrões mudaram.

O ano de 2015 foi bem marcante para o e-Sports global, já que ocorreuuma grande ampliação graças a investimentos de times de diversos esportes. Na LCS NA, dois sócios do time de basquete Sacramento Kings, Andy Miller e Mark Mastrov, compraram a vaga do Team Coast e fundaram a NRG Esports, time que permanece na elite até os dias de hoje. A NRG não foi o único exemplo dessa expansão, já que um ex-jogador da NBA, Rick Fox, comprou a vaga da Team Gravity e fundou a Echo Fox. Outros times também foram criados por pessoas “de fora do ramo”, sendo eles:

Phoenix1: Criada por empresários de Hollywood, que compraram a vaga que pertencia ao Team Impulse em maio de 2016.

Apex: Recentemente, o time Philadelphia 76ers, que já foi três vezes campeão da NBA, comprou as organizações da Dignitas e da Apex.

Team Liquid: A organização e todos seus times foram comprados por um grupo de investimento chamado aXiomatic eSports, que conta com pessoas importantes, como o ex-jogador do Los Angeles Lakers e cinco vezes campeão da NBA, Magic Johnson.
Froggen, jogador europeu, decide jogar na América do Norte no time fundado por Rick, a Echo Fox.

Esse investimento de times de esportes tradicionais, grandes marcas ou pessoas famosas não existe apenas na América do Norte. Na Coreia o melhor exemplo é a Samsung, grande marca do ramo da tecnologia, que com seu time de LoL (
Samsung White) foi campeã em 2014 e com a Samsung Galaxy foi vice em 2016.

No caso da Europa, apenas o time de futebol FC Schalke 04 está competindo no meio virtual no momento, após a compra da vaga da Elements. O time conta com o mesmo nome na liga europeia de League of Legends. Mas o Schalke não é o único time europeu iniciando esses investimentos. O PSG (Paris Saint-Germain Football Club), grande clube de futebol francês, anunciou a criação de um setor voltado ao e-Sport, tendo como diretor o ex-suporte da Fnatic YellOwStaR. O time do PSG estreará na challenger series (segunda divisão) da Europa no lugar da Team Huma, que teve sua vaga vendida por conta de irregularidades.

No Brasil, dois clubes de esportes já investiram em uma escalação para League of Legends e outros jogos. O time do Santos assinou com a Dexterity, sendo o primeiro time de futebol a ingressar no e-Sport brasileiro. Atualmente, a Dexterity não conta mais com uma equipe de LoL, mas continua com outros jogos e também com a parceira com o Santos. Outro time que decidiu investir foi a Remo, clube de Belém que atualmente investe na Brave, time que era da segunda divisão mas que após campanha perfeita no circuito desafiante avançou para a principal liga brasileira de 2017, o CBLOL.

Ainda no Brasil, no começo de 2016, a marca Adidas, famosa pelos seus calçados, peças de roupas e de equipamentos desportivos, é anunciada pelo time do CNB e-Sports Club como patrocinadora e criadora dos uniformes a partir do começo do ano. O time, atual vice-campeão, aposentou a antiga vestimenta e passou a utilizar as peças criadas pela Adidas, personalizadas para o time como uniforme oficial. Também criando história, a FISK, pioneira no ensino de inglês, anunciou patrocínio com a Keyd Stars, inclusive lançando, meses após essa união, uma promoção em cursos da FISK caso o cliente fosse torcedor da Keyd.
Anúncio da CNB para a nova patrocinadora e criadora dos uniformes.

Além de todos esses grandes times e marcas entrando no ramo, o DJ Steve Aoki anunciou que é o novo dono do time da Organização norte-americana Rogue, que conta com equipes de Overwatch e Counter-Strike: Global Offensive.

Todos esses patrocínios de marcas e empresas com grande nome no mundo todo, só mostram que cada vez mais o e-Sport cresce e chama atenção, indicando que investimentos na área trazem grandes benefícios. A evolução da área é nítida, sendo necessário aumentar os lugares de campeonatos importantes, como o mundial, já que o número de jogadores aumenta expressivamente ano após ano.

Com a entrada de tanta gente e de várias marcas e times, o crescimento do e-Sport é uma verdade incontestável e, quem sabe, em um futuro próximo, levando em conta a quantidade de investimento e a crescente do e-Sports, Palmeiras e Corinthians marquem partidas não só nos gramados, mas também nos Campos da Justiça de League of Legends; Real Madrid e Barcelona se enfrentam na final da UEFA e da LCS EU; Golden State Warriors vs. Cleveland Cavaliers seja não só uma partida da NBA, mas uma partida em uma modalidade virtual, tudo isso pode ser possível graças à ampliação da área profissional dos “joguinhos de videogame”.


Consulta: BR LoL eSports
Revisão: Pedro Vicente
Edson Santos escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais