Top 10

Grandes jogos da época do Velho Oeste

Enquanto a música toca no Saloon, vamos relembrar alguns bons jogos que se passam no faroeste.

Saudações, forasteiros! Com o anúncio oficial de Red Dead Redemption 2 na semana passada, temos uma boa desculpa para relembrar outros jogos que se passam no velho oeste americano. Embora não seja uma temática que receba jogos a todo momento, existe uma boa quantidade de títulos que abordam esse estilo, dos mais variados gêneros. Listei aqui dez jogos e, como sempre, a ordem é o que menos importa.

10 - Westerado: Double Barreled

Abrindo nossa lista, uma história de assassinato, vingança e pixels. Westerado, lançado em 2015, é um jogo muito interessante por trazer um mundo aberto e várias ramificações em sua narrativa, possibilitando alternativas diversas ao longo da campanha. O nível de detalhes aqui bate de frente com grandes jogos como GTA e o próprio Red Dead Redemption. Mesmo que os gráficos não te chamem a atenção, vale dar uma conferida, pois temos uma bela mina de ouro aqui.

09 - Call of Juarez: Gunslinger

A série Call of Juarez tem vários jogos que se passam no Velho Oeste. Para representá-los, escolhi Gunslinger (2013) que, até o momento, é o último jogo da série. Sendo um jogo de tiro em primeira pessoa, você vai, obviamente, atirar muito. O que é bom, já que as mecânicas de tiro de Gunslinger são muito boas.

É hora do duelo!
Algo que chama a atenção na narrativa é a participação de figuras lendárias da época, como Billy the Kid e Butch Cassidy. A história em si é bem interessante, embora o final divida algumas opiniões. Mas se seu objetivo é caçar alguns fora da lei, vá em frente!

08 - Wild Guns

Lançado originalmente em 1994 para SNES, Wild Guns mistura velho oeste, robôs e muitos, muitos tiros. Porém, em vez de ser um jogo plataforma, algo comum para a época, os personagens permaneciam no mesmo cenário, movendo-se apenas lateralmente. Algo que merece destaque também são os gráficos – muito bem detalhados – e o nível de destruição deles. Praticamente qualquer coisa poderia ser quebrada com tiros. Agora em 2016, será lançado para PS4 Wild Guns: Reloaded, que mantém os mesmos gráficos e jogabilidade da versão original, mas adiciona mais fases, inimigos e suporte para até quatro pessoas em Coop. Vale muito a pena.

Coop na versão de PS4. Note que os gráficos são praticamente iguais ao da versão 16Bit

07 - Outlaws

A LucasArts construiu um grande legado nos anos 90, com diversos jogos que marcaram a época. Embora Outlaws possa não ser um dos primeiros jogos da lista dos mais lembrados, esse título de 1997 merece atenção especial.

Hora de acertas umas contas
O jogo conta a história de James Anderson, um agente federal aposentado que tem sua casa queimada e sua esposa morta por bandidos, e parte em uma jornada em busca de sua filha raptada. Sendo um FPS competente, o atrativo fica por conta dos gráficos, mais “desenhados” e menos realistas, e das animações muito boas, considerando a época. O jogo foi lançado somente para PCs, e atualmente está disponível no serviço GoG.

06 - Oddworld: Stranger's Wrath

De todos os jogos desse top 10, aqui está aquele com a ambientação mais diferente. Isso porque não temos o velho oeste tradicional, mas sua versão adaptada para o mundo de Oddworld. Stranger’s Wrath foi lançado em 2005 para Xbox.

Olha que munição mais simpática
Na história, como um caçador de recompensa, Stranger, o herói do jogo, tem a missão de capturar procurados em troca de dinheiro. Ele então entra em uma jornada para salvar sua vida e derrotar seus piores inimigos. Mas, com certeza, o maior destaque é a besta (crossbow) de Stranger. Ou melhor, a munição da besta, que é de pequenas criaturas vivas, cada uma reagindo a sua maneira ao virar um tiro letal.

05 - Mad Dog McCree

Temos aqui um dos jogos mais inusitados da lista. Tendo estreado originalmente nos arcades, no longínquo ano de 1990, Mad Dog McCree conta uma história de um estranho (o jogador), que chega em uma cidade do velho oeste e compra uma briga com Mad Dog, o vilão da trama. Mas o grande destaque mesmo fica por conta dos “gráficos” do jogo, que é todo em Full Motion Video (FMV), recurso bem comum nos anos 90.



Esse simples fato, de ser um jogo filmado, torna Mad Dog uma pérola da antiguidade. Sim, temos atuações forçadas e altamente questionáveis, mas é tudo tão estranho que acaba ficando engraçado. E vejam bem, jogos em FMV tem um charme que não se encontra mais hoje em dia. O jogo recebeu ports para Wii, 3DS, iOS e PS3, esse último com suporte para o PS Move. Um clássico.

04 - A Fistful of Gun

O que seria do velho oeste sem os bons bang-bangs, com tiro para todos os lados? É isso que A Fistful of Gun nos traz, lançado para PCs no ano passado. O grande chamativo desse jogo é a variedade de personagens que, por sua vez, traz uma variedade de modos de disparo, apresentando uma jogabilidade bem diversificada. O fator multiplayer também é um ponto forte, com até quatro jogadores juntos atirando em tudo e em todos, na luta para manterem-se vivos.

03 - Sunset Riders

Sempre que o assunto é jogos de velho oeste, não tem como não citar um dos mais famosos do estilo: Sunset Riders, publicado pela Konami e lançado em 1991 para arcades, e em 93 para a dupla Mega Drive/SNES. Em uma época onde beat’em ups faziam muito sucesso, o terceiro colocado dessa lista se destaca por trazer personagens que, em vez de saírem na porrada, atiravam em tudo e todos que apareciam em seus caminhos.

Desde daí capitão!
Vale citar que, se você for procurar para jogar atualmente, vá atrás da versão dos fliperamas. Nos consoles, o jogo sofreu com alguns cortes para se adaptar aos sistemas de mesa. Infelizmente, Sunset Riders não está disponível em nenhum serviço digital atualmente, como PSN, Xbox Live ou Steam. Outra curiosidade é o preço altíssimo de seus cartuchos para as versões de Mega Drive e Super Nintendo, chegando a custar o preço de um console da última geração (dependendo do seu estado). São peças extremamente raras e valorizadas por colecionadores de games. Haja grana pra tudo isso!

02 - Gun

Por muito tempo, Gun (PS2/XBOX/GC/PC) carregou o título de jogo que melhor representava o velho oeste. Na pele de Colton White, um índio Apache que busca vingança pela morte de seu pai, a ação se passa nas regiões do Arizona, Colorado e Novo México. Temos um mundo aberto para explorar, com uma vasta gama de objetivos secundários e missões paralelas.

Pega aquele forasteiro!!
Quanto às mecânicas, Gun é primariamente um jogo de terceira pessoa, embora seja possível alternar para a visão em primeira pessoa. Armas variavam de rifles e escopetas até arcos e flechas. A liberdade de ação no jogo era considerável, principalmente quando pensamos em um jogo de 2005. Talvez seu maior pecado seja a trama principal, que não chega a ser tão memorável quanto a do nosso primeiro lugar.

01 - Red Dead Redemption

Tudo bem, Red Dead Redemption (PS3/X360) estar em primeiro não é surpresa para ninguém, mas vamos ser francos: qual outro jogo retratou tão bem esse período histórico americano ao mesmo tempo em que era tão divertido de jogar? Ao contrário do que alguns podem falar, ele não é só um “GTA de velho oeste”. A história de redenção de John Marston é muito bem construída ao longo da campanha, nos fazendo simpatizar pelo protagonista. Ao mesmo tempo, o mundo de RDR é vivo, repleto de acontecimentos aleatórios, os quais podemos interferir ou não, construindo um nível de imersão muito forte.

Eu poderia fazer um texto inteiro só de Red Dead Redemption, mas como o espaço aqui é curto, deixo uma pequena dica: ouça a trilha sonora do jogo. De nada.



----

E você, forasteiro, o que achou dessa lista? Concorda? Discorda? Podemos resolver isso lá fora, para ver quem é o gatilho mais rápido do oeste…..não, espera, acho que misturei as coisas...


Revisão: Arthur Maia

Flávio Augusto Priori é formado em design de jogos e tenta ganhar a vida com esse negócio chamado video game. Para ele Metal Gear é a melhor série já feita e ainda acredita na volta da SEGA. Escrevia para o saudoso Minha Tia Joga LoL e hoje pode ser achado no Facebook e no Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais