As localizações de jogos no Brasil – Uma breve história

Vamos caminhar pela história dos jogos no Brasil até os dias de hoje.

O mercado de jogos no Brasil conta com histórias curiosíssimas, se pararmos  para pensar. Trata-se de um país onde, embora os videogames tenham sido extremamente populares já há algum tempo, o acesso aos jogos na língua nativa sempre fora extremamente limitado até poucos anos atrás.
Curiosamente, olhando para o nosso cenário atual, hoje as coisas estão bem diferentes. Há pouco mais de uma semana, recebemos a notícia fantástica de que o próximo jogo de South Park será totalmente dublado em português, com as mesmas vozes da versão brasileira do desenho animado. De certa forma, embora outros lançamentos grandes já tenham sido feitos nesta mesma linha, ver uma grande franquia multimídia se expandir tanto ao ponto de conseguir estabelecer uma versão 100% adaptada para o nosso país marca um novo começo.
Por isso, neste especial do Blast daremos uma breve visão geral sobre a evolução do nosso amado português no mundo dos jogos, seja em texto ou seja por voz.
O começo – A Internet e os jogos para computadores
Foi em 1997 que o Brasil recebeu oficialmente o seu primeiro jogo verdadeiramente adaptado. Seu nome era The Outlaws, um FPS criado pela LucasArts e que fora totalmente localizado incluindo vozes brasileiras. Mas, muito antes disso, a comercialização de jogos já trazia em suas versões físicas coisas diferentes e adaptadas, como o texto nas caixas dos jogos e nos manuais. Ainda assim, foi Outlaws que conseguiu mostrar que localizações podem acontecer sim, sem grandes problemas.
Então, no âmbito dos jogos para computador, cada vez mais os títulos foram se adaptando para a nossa realidade. Em 1998, recebemos o magnífico Grim Fandango com sua adaptação para o português, que até hoje é exemplar, com o uso de sotaques e expressões bem conhecidas do nosso cotidiano.
Grim Fandango
Porém, a maioria dos jogos em português que encontramos eram disponibilizado de forma ilegal, a partir de traduções feitas por fãs na internet. Fazendo uso dos emuladores e aproveitando-se da facilidade do compartilhamento de ROMs, instaurou-se na internet brasileira uma cultura de tradução dos grandes RPGs de SNES. Um dos exemplos mais conhecidos é a tradução de Dragon Ball Z: The Legend of the Saiyans, RPG baseado no famoso anime que nunca saiu do Japão, mas que já era muito popular entre os adolescentes nos anos 2000. Essa cultura se encontra presente até hoje, principalmente em jogos de origem japonesa que nunca são lançados em outras regiões do mundo. Isso faz com que muitos fãs tenham que recorrer a estes meios alternativos.
Cabe aqui uma observação: existem outras formas além da ilegalidade que nos permitem jogar estes jogos. Muitos fãs, inclusive no Brasil, divulgam traduções de apoio ao jogo no formato dos famosos “detonados”. Com eles, torna-se possível jogar o título sem precisar recorrer à pirataria.
A era morta
Os anos 90 chegaram ao fim e o século XXI começou. Com isso, os games no Brasil foram mudando um pouco de figura. Em 2001, tivemos o lançamento de uma das melhores localizações já realizadas no país, um exemplo a ser seguido até hoje: Max Payne. Remetendo totalmente aos filmes de sessão da tarde, ainda que com uma sensação geral completamente diferente, o jogo é uma das melhores adaptações já feitas no país sem dúvida. Ao mesmo tempo que foi um dos poucos darem as caras pelos anos seguintes.
Max Payne
Com o auge da pirataria de consoles como o PS2, localizar um jogo se tornou um risco que nenhuma empresa que começava a se instalar no país queria ter. Por longos anos, tivemos que nos contentar com as raras referências à a nossa língua nativa em situações como a fase da favela de SOCOM e a presença de alguns carros brasileiros em Gran Turismo. Definitivamente, não era um cenário animador.
Até que em 2010, a Blizzard, já instalada no nosso país há alguns anos, investiu pesado em localizações em seus jogos. Starcraft II: Wings of Liberty e World of Warcraft foram totalmente adaptados e dublados para serem lançados aqui. Foi uma situação que, para muitos, mudou completamente a visão da Indústria no país.
Uma nova era de boas coisas
O sucesso de Starcraft e World of Warcraft foi enorme, o que fez com que outras empresas começassem a se interessar pelo país. A Microsoft começou a investir pesado pouco tempo depois, e em setembro daquele mesmo ano trouxe Halo Reach totalmente dublado. Alguns meses depois, em 2011, viria a notícia de que a Ubisoft estava abrindo escritórios no Brasil e, em 2012, foi a vez da Sony se instalar por aqui.
De 2012 em diante, cada vez mais as empresas passaram a investir na localização dos seus jogos. O resultado foi mudando de apenas uma adaptação precária de textos (Naruto Ultimate Ninja Storm 3, de 2013, é um bom exemplo disso) para um trabalho digno de um grande comprometimento da empresa em apresentar um produto de qualidade para os consumidores.
Stick of Truth
É difícil ver um jogo sem um mínimo de adaptação hoje em dia, embora a dublagem ainda seja o aspecto menos comum. A apresentação de South Park: A Fenda Que Abunda Força é impressionante por causa disso: eles não só usarão o mesmo elenco da série animada, como a tradução do jogo anterior é uma prova de que a Ubisoft sabe como a série foi adaptada no nosso país. Esperamos que isso seja um bom indicador para um futuro brilhante.

Revisão: Érika Honda
Dácio Augusto é estudante de Gestão Financeira na Fatec e redator no GameBlast. Cercado de jogos desde pequeno, foi crescendo e aprendendo a fazer avaliações mais lúdicas do que objetivas.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais