Top 10

Além do processamento: conheça os consoles mais bonitos

Aliar engenharia de hardware com design industrial não é uma tarefa simples.


Não só pelo número de bits ou pela quantidade de teraflops que julgamos os consoles. Idealmente, queremos algo que, além de poderoso, visualmente apresentável para podermos esbanjá-los nas nossas prateleiras. Muitos consoles fracassaram nisso, mas alguns são exemplos de como aliar engenharia e design.

10. Dreamcast


O Dreamcast não é muito diferente do PlayStation, que foi lançado alguns anos antes. A Sega deu seu próprio charme ao visual usando o contraste entre o quadrado da base, o círculo da tampa e o triângulo formado entre a tampa e o LED de energia. Essa ideia se estende ao controle, que tem um círculo no meio, o quadrado do VMU e o triângulo do botão Start. O controle, inclusive, é o antepassado direto do que hoje vemos nos consoles Xbox, apesar do fio que sai de baixo dele, que ninguém nunca entendeu.

9. PlayStation 2 slimline

O PS2 slim (ou PStwo) não é tanto um exemplo de design como é um milagre de engenharia. O console original, que contava com leitor de DVD "gaveta", espaço para um disco rígido de 3.5" (os consoles atuais usam 2.5", como laptops) e fonte interna, não era exatamente discreto. O slim se livrou de tudo isso para se tornar muito mais fino e leve, assemelhando-se a um livrinho. Muitos anos depois, a Sony aprimoraria suas técnicas ocultas orientais e mesmo o slim passou a vir com fonte interna.

8. Atari 2600

A Atari não foi a primeira empresa a vender o que conhecemos hoje como consoles, mas é inegável que o 2600 foi o primeiro console a ser vendido em massa e ter uma indústria ativa de software por trás. Na época, videogames eram vistos como entretenimento para adultos, então o design do 2600 é sóbrio, para combinar com a TV da sala — com tela de tubo, corpo de madeira e rodinhas para trocar de canal.

7. Wii


O console mais popular da Nintendo conquistou as massas com sua simplicidade, que ia desde o conceito até o design. Pequeno, vertical e o mais minimalista possível, o Wii chama a atenção quando seu leitor de discos se ilumina em azul. O console em si é um retângulo com um canto cortado — esse formato também está presente na fonte, nos conectores de vídeo e força, na base prateada e até nos cartões SD. Seu sucessor, o Wii U, tentou replicar essa simplicidade, mas acabou apenas gerando confusão pela similaridade.

6. PlayStation Vita

O primeiro dos dois portáteis nesta lista é o PS Vita, que teve sua vida encurtada por um mercado em transição e pelo pouco suporte de software da Sony. O Vita não tem vergonha de ser o sucessor direto do PSP, utilizando o mesmo formato geral. No entanto, o portátil mais moderno conta com proporções mais harmoniosas, laterais arredondadas, um melhor posicionamento de seus botões e um par de alavancas analógicas, algo único em um portátil. Dois anos após seu lançamento, o Vita recebeu uma atualização para ser mais fino e leve, mas com isso perdeu o design que integrava a tela à face do portátil e ficou com uma aparência mais barata.

5. Super Famicom


Você já deve ter visto um Super Nintendo. Esqueça dele. O Super Famicom, versão japonesa do console, é o que há. Quase nenhum eletrônico dos anos 1990 é legitimamente bonito, mas o Super Famicom se destaca por seus cantos arredondados, que está presente nos botões, cartuchos, conectores e controle, pelo uso dos cinzas e pelo sutil logo colorido. O controle, aliás, contava com botões coloridos, na mesma combinação que o icônico logo do console, que o deixava muito mais interessante do que a versão "mais roxo e menos roxo" ocidental. Os botões coloridos orientariam controles da Sega e da Microsoft, e a combinação de cores finalmente fez seu retorno à Nintendo no New 3DS. O SNES europeu usa o mesmo design do japonês, então só as Américas levaram a pior nessa.

4. Nintendo DS lite


A fase minimalista da Nintendo iniciou antes do Wii, com o lançamento do Nintendo DS lite. O primeiro modelo do portátil era excelente, mas era um tanto grande, pesado, suas telas não tinham tanto brilho, sua bateria não durava muito, e o design como um todo parecia uma relíquia do início dos anos 2000. A atualização veio para corrigir todos esses problemas, sendo muitas vezes considerado o melhor portátil já criado (não por acaso, também é o mais vendido). Alguns de seus aspectos chegam a surpreender: sua stylus era maior e melhor posicionada, e a retrocompatibilidade com o Game Boy Advance permaneceu inalterada (apesar de os cartuchos não ficarem completamente encaixados). O próximo portátil da Nintendo a se aproximar à beleza simplista do DS lite foi apenas o New 3DS pequeno.

3. PlayStation 4


Na época ele até parecia legal, mas hoje temos que admitir que o PlayStation 3, com sua fonte homem-aranha, ímã de poeira e impressões digitais e um tamanho capaz de gerar um campo gravitacional próprio, não era tão bonito assim. Portanto, a Sony impressionou o público gamer em 2013 com o design moderno e com o equilíbrio certo entre sóbrio e chamativo do PlayStation 4. As regras de design do PS4 são os ângulos agudos e obtusos que dão a ele uma aparência itálica, o formato dividido tanto tanto em sua altura quanto em sua grossura, a combinação entre pretos fosco e brilhoso, e as faixas de luz coloridas no console e no controle. Seus sucessores, o PS4 slim e o PS4 Pro, seguem com o "design de camadas", mas perderam parte do que tornava o original tão interessante.

2. Xbox One S

Várias das críticas que citei acima sobre o PlayStation 3 original também se aplicam ao primeiro Xbox One. Se o PS4 é itálico, o Xbone é negrito — por bom motivo, o console foi comparado a tocadores de VHS do século passado. Na sexta iteração de design do Xbox, desde o original até o 360 e o One, podemos dizer que a Microsoft finalmente fez um console realmente bonito. O Xbox One S incorpora tudo de melhor do design dos anos 2010, mantendo a genealogia visual do Xbox One mas se tornando muito menor, incluindo uma fonte interna e provavelmente perdendo o campo gravitacional no processo. O controle de Xbox One — que já era, na minha opinião, um dos mais bonitos já feitos — também foi atualizado para reforçar a pureza do contraste entre branco e preto do console.

1. Nintendo GameCube

Tem como não amar a lancheirinha roxa simpática da Nintendo? Gosto de imaginar que toda criança que foi a uma loja comprar o console com seus pais o tirou da caixa e o carregou até sua casa segurando-o pela alça. O cubinho também era um exemplo de engenharia, sendo muito mais poderoso do que o PlayStation 2 e comparável ao Xbox em um corpo muito menor. Seu controle, apesar de esteticamente um pouco bizarro, completava a experiência com uma excelente ergonomia, cores vibrantes e funcionalidades, até então inovadoras, como gatilhos analógicos.

Revisão: Bruno Alves
Renan Greca Quando não está ocupado sendo diretor, redator, newsposter, podcaster e RP do GameBlast, Renan Greca gosta de jogar videogames. Às vezes, lembra de focar em seu mestrado também.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais