League of legends (PC): Depois dos fracassos, a INTZ consegue sua vaga para o Mundial

Depois de tentar diversas vezes e ter um começo de campeonato complicado, a equipe brasileira consegue sua vaga para o Mundial.


Fundada em 2014 pelo empresário Rogério “Formiga”, a INTZ está novamente representando o Brasil em um campeonato internacional. Agora, porém, o campeonato é nada menos que o Campeonato Mundial, a maior competição do ano.

A INTZ é um time bastante conhecido em solo brasileiro, principalmente depois da saída de Djokovic e a entrada do Revolta (fim de 2014), que antes jogava pela Keyd. Mesmo sendo uma grande incógnita de como seria o entrosamento dele com o restante do time, a entrada do jogador não foi levada muito a sério por causa de uma péssima passagem em seu time anterior, a Keyd, onde o jogador virou alvo de piadas na internet e em todo lugar devido a seu smite.
Mesmo em uma época de muitas críticas negativas nas costas, Revolta dá a volta por cima e, junto de seu novo time, começa sua história na primeira etapa do CBLOL 2015. Já em tal etapa, a equipe conseguiu se classificar para a final contra a Keyd depois de ganhar de 3x0 contra a Pain na semifinal. Ao chegar na final, um 3x0 tranquilo contra a Keyd deu a vaga para o International Wildcard Invitational 2015, um campeonato internacional que daria vaga para o Mid-Season Invitational.
Com uma boa campanha no Wildcard, ficando em 3º lugar na fase de grupo, a INTZ em solo turco sucumbiu a torcida esmagadora e acabou perdendo para o Beşiktaş e-Sports Club, time da casa que acabou indo para o Mid-Season Invitational de 2015. Infelizmente para o time, as derrotas não acabaram. Revolta que tinha sido o destaque até então decide se desligar da organização, criando uma grande mudança na equipe com Jockster se movendo para jungle e Alocs para o suporte, substituindo o antigo papel de jockster. Após essas mudanças, a equipe mais uma vez chegou à final do campeonato brasileiro, mas perde para a Pain Gaming por 3x0, dando a vaga para o International Wildcard Qualifiers de 2015, o qual a equipe brasileira representante (Pain) venceu.
Depois da derrota para a Pain, novamente ocorreram mudanças na equipe. Alocs saiu, Jockster foi movido para a reserva, Loop (ex-Keyd) ocupou a titularidade de suporte e, para finalizar, Revolta retorna a equipe, mas não era o fim do ano de 2015. Um campeonato de pós-temporada foi organizado e na final contra a Kabum, a INTZ vence por 3x0. Após esse campeonato e uma grande polêmica envolvendo o suporte Loop, o jogador sai da equipe, dando lugar novamente a Jockster. Ou seja, o mesmo time do começo de 2015 estava unido para o começo de 2016.
Mais um ano começava, mais uma etapa do campeonato brasileiro também e a INTZ com os mesmos jogadores time do começo de 2015 consegue chegar nas finais contra exatamente o mesmo oponente de um ano atrás, Keyd. Novamente aplicando um 3x0, todos pensaram que essa seria a hora da INTZ ganhar um campeonato internacional, mas não foi isso que aconteceu. Realizado no México, o International Wildcard Invitational de 2016 era a chance de redenção dos brasileiros; no entanto, perderam de 3x0 para a Rússia nas semifinais. Na final, entre Hard Random da Rússia e SuperMassive da Turquia, os turcos acabaram levando a melhor por 3x1, e, depois dessa derrota, a inconformação dos torcedores aumentou e poucos acreditavam em algum sucesso internacional da INTZ.
Depois de voltar para o Brasil e jogar a segunda etapa do campeonato brasileiro (CBLOL), a equipe consegue jogar a quarta final seguida (sem contar pós-temporada), dessa vez enfrentando a CNB. Mesmo com a torcida bem parelha e com uma crescente absurda da CNB pelo campeonato, eles não foram capazes de vencer os intrépidos, tendo como resultado 3x1 para a INTZ, que novamente representaria o Brasil em campeonatos internacionais, fato que já desagradava uma grande parcela de amantes do jogo.
Sendo realizado no estúdio do CBLOL, o International Wildcard Qualifiers 2016 era mais um campeonato em que a INTZ precisava se provar. Tendo um começo bem complicado por conta de problemas internos, os torcedores desacreditaram e já contavam com a eliminação da equipe brasileira do campeonato sem chegar nas finais. Entretanto, os intrépidos deram a volta por cima e conseguiram se classificar para uma das finais contra a Dark Passage. Um confronto contra os turcos em um evento internacional foi algo que já aconteceu, mas, no Wildcard Invitational de 2015 a torcida turca pressionou o Brasil. Dessa vez, porém, o contrário era o esperado.
Mesmo sendo os favoritos e estando em casa, a série que aconteceu na Ópera de Arame, em Curitiba, foi extremamente difícil mesmo com gritos e pressão da torcida brasileira. Depois de horas cansativas de jogo, a INTZ finalmente vence o primeiro campeonato internacional com um 3x2 em cima da Dark Passage, se classificando para o campeonato Mundial de 2016!
Com uma vitória sofrida contra os turcos, algo mais difícil está vindo. O Mundial conta com as 16 melhores equipes do mundo, resultados bons são extremamente difíceis e um resultado ruim é completamente compreensível;  afinal, o máximo de vitórias que um time brasileiro conseguiu no Mundial foram duas (2015, com a Pain Gaming). O Mundial irá começar dia 29 de setembro em São Francisco e acaba dia 29 de outubro em Los Angeles. O time da INTZ que participará do grande evento é composto por:
Rota
Jogador
 Top
Felipe “Yang” Zhao
 Jungle
Gabriel “Revolta” Henud
Mid
Gabriel “Tockers” Claumann
Adcarry
Micael “MicaO” Rodrigues
Suport
Luan “Jockster” Cardoso
Consulta: LoLeSports
Edson Santos escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais