Além de Mighty No. 9: conheça as últimas produções de Keiji Inafune

Azure Striker Gunvolt, Soul Sacrifice e ReCore são alguns dos títulos com os quais o criador de Mega Man tem contribuído


Aclamado pelo público gamer em 2012, Keiji Inafune foi se tornando uma figura cada vez menos prestigiada na indústria dos jogos. Afinal o que aconteceu de lá para cá? A resposta rápida pode ser a recepção negativa a Mighty No. 9 (Multi), mas este esteve longe de ser o único projeto de Inafune. Hora de revisitar todos os jogos em que Inafune trabalhou com seu estúdio Comcept. Acredite, há muito mais do que a conturbada aventura do robozinho Beck!


Keiji Inafune

Keiji Inafune era conhecido originalmente por seu envolvimento em diversos jogos e franquias da Capcom, dentre elas, obviamente, Mega Man. Sua carreira sofreu uma drástica mudança quando decidiu deixar a empresa e fundar seu próprio estúdio, o Comcept. Supostamente injustiçado pela falta de interesse da Capcom em Mega Man, uma das promessas de Inafune em sua "carreira solo" era reviver a adorada franquia. Assim surgiu Mighty No. 9, ou pelo menos sua ideia inicial.
No entanto, desde antes da campanha no Kickstarter em 2012 pelo financiamento do sucessor espiritual do robozinho azul, Inafune tem trabalhado em vários outros games. Incluindo os mais variados gêneros e plataformas, os projetos em que esteve envolvido sofreram influências da figura em diferentes níveis. Abaixo você confere cada um deles!

Hyperdimension Neptunia Mk2 (Multi)

Não dá para dizer o quanto Keiji Inafune operou no processo de desenvolvimento de Hyperdimension Neptunia Mk2, sequência de Hyperdimension Neptunia (Multi), mas sabemos que, no mínimo, ele é uma das habilidades do jogo. Pois é, o criador de Mega Man pode ser invocado, com uma espada mágica, pelas protagonistas desse RPG. Esquisito, né? E talvez você ache ainda mais esquisito quando der uma olhada no vídeo abaixo! Próximo!

Kaio: King of Pirates (3DS)

Um dos primeiros títulos de Inafune após sua saída da Capcom, Kaio: King of Pirates foi anunciado em 2011 exclusivamente para 3DS. Após anos de sumiço, o título deu as caras em 2015 apenas para avisar o que parecia ser óbvio: havia sido cancelado. E o pior é que pouco soubemos sobre Kaio além de um vídeo pré-renderizado, ou seja, nada de gameplay ou detalhes de como o jogo efetivamente funcionava. Apesar disso, podíamos esperar por um jogo de ação envolvendo tripulações piratas de animais antropomorfizados, incluindo Sangokushi, o pinguim protagonista.
Ta aí um jogo que despertava interesse
Pessoalmente, lembro de ter ficado bem empolgado com Kaio em seu anúncio, mesmo não sendo fã dessas revelações de jogos através de pura cutscene. Um detalhe interessante do game é que ele seria uma reinterpretação de Romance dos Três Reinos, uma lenda histórica da China. Uma pena que provavelmente jamais poderemos jogar esse projeto de Inafune. E pensar que ele havia sido imaginado como uma trilogia!

Bugs vs. Tanks (3DS)

Keiji Inafune também participou de uma interessante iniciativa chamada Guild, compilações para a eShop do 3DS de pequenos jogos de desenvolvedores diferentes. O ex-membro da Capcom contribuiu para a segunda coletânea, Guild02, com o título Bugs vs. Tanks. E a premissa do jogo não poderia ser mais mais pitoresca: controlamos tanques de guerra encolhidos para enfrentar insetos! Apesar dos visuais bem fracos para um jogo de 3DS, o game conta com muita customização dos tanques de guerra e uma mecânica simples de aprender. Felizmente, muitos desses jogos foram lançados fora do Japão, embora não mais compilados.

Yaiba: Ninja Gaiden Z (Multi)

Mighty No. 9 não foi o único jogo de Inafune esculachado pela crítica. Em 2014, o lançamento de Yaiba: Ninja Gaiden Z (Multi) também foi duramente criticado. Desde então, aliás, não temos visto outros jogos da franquia do ninja da Koei Tecmo. Com um estilo gráfico mais próximo do cel shading, Ninja Gaiden Z apostou em outra direção para a franquia, e Keiji Inafune esteve presente em seu desenvolvimento como produtor. Apesar do título não ter vingado, não chegou a trazer tanta má fama a Inafune quanto Mighty No. 9 o fez.

Soul Sacrifice (PS Vita)

Quem diria que o jogo tido como um substituto de Monster Hunter no PS Vita teria como um de seus designers o próprio Keiji Inafune! Soul Sacrifice é um game de ação em terceira pessoa com diversos elementos de RPG. O objetivo do jogador é destruir gigantescas criaturas, o que fica ainda mais divertido quando feito na companhia de mais três amigos. Para tal, as diversas habilidades do jogo exploram sua atmosfera mais obscura e visceral, como sacrificar companheiros de equipe para eliminar inimigos.
A melhor maneira de aproveitar a telona do Vita: criaturas bizarras
Soul Sacrifice foi bem recebido no PS Vita, chegando a conquistar uma expansão: Soul Sacrifice Delta (PS Vita). Apesar disso, não galgou o mesmo sucesso que Monster Hunter conseguiu no PSP, algo que provavelmente frustrou as pretensões do título. No geral, não há muito de Keiji Inafune no jogo, embora ele tenha sido importante para o anúncio de sua expansão.

Azure Striker Gunvolt (Multi)

Durante o conturbado processo de desenvolvimento de Mighty No. 9, Inafune participou da produção de um título que também se encaixa no gênero de ação e plataforma em progressão lateral: Striker Gunvolt. "Coincidentemente", trata-se de um verdadeiro sucessor espiritual de Mega Man Zero, notável também pela equipe de desenvolvimento com experiência em muitos jogos da série Mega Man. Considerado superior a Mighty No. 9 em muitos aspectos, como seu enredo, polimento visual e design de fases, Azure Striker foi lançado na eShop do 3DS com uma recepção bem positiva. O título foi posteriormente lançado para PC e hoje espera o lançamento de sua sequência, Azure Striker Gunvolt 2, ainda este ano.
Azure Striker Gunvolt pode ser uma ótima pedida para quem se decepcionou com Mighty No. 9
A participação de Inafune no título não foi divulgada, porém, com tantos desenvolvedores de Mega Man Zero, ZX e os recentes Mega Man 9 e 10, é sempre emocionante ver um novo ex-desenvolvedor do robozinho azul contribuindo. Ainda mais quando esse desenvolvedor é o pai do personagem! Azure Striker Gunvolt recebeu ainda uma pequena expansão gratuita, que funcionava como um crossover com a outra produção de Inafune, Mighty No. 9. Talvez essa tenha sido sua grande contribuição com o título, na verdade.

ReCore (XBO)

Anunciado pela primeira vez na E3 2015, ReCore chegará em setembro deste ano ao XBO. O título conta a história de uma jovem que viaja por cenários inóspitos na companhia de seus ajudantes robô. Durante a aventura, é preciso superar desafios de plataforma, puzzles e enfrentar inimigos. A mecânica de combate é onde talvez esteja mais evidente a influência do criador de Mega Man, pois há um esquema de utilização de munição específica para adversários específicos, o que envolve determinadas cores. Com muita ação e um esquema de marcação dos inimigos semelhante a Gunvolt, há muito de Inafune no combate.
Se Samus e Mega Man tivessem uma filha...
Já outros aspectos do jogo receberam a influência dos desenvolvedores que não vieram apenas da Compect, mas também da Armature Studio. Conhecidos por seu trabalho na trilogia Metroid Prime (GC/Wii), trata-se de uma leva de desenvolvedores muito interessante. Aliando-os a Keiji Inafune e compositores responsáveis por apresentações orquestradas de Pokémon e Zelda, temos uma equipe de peso! Confira nossas impressões de ReCore na E3 2016.

Businessman?

Se divertindo ou não com Mighty No. 9, o fato é que ele não tem se saído bem entre o público gamer. Muito de seu resultado vem de um processo de desenvolvimento prolongado e conturbado, que foi cada vez mais desanimando quem havia contribuído com o "renascimento" de Mega Man. E é interessante notar a quantidade de outros jogos nos quais Inafune trabalhou durante a criação de Mighty No. 9. Dentre eles, há até um jogo do mesmo gênero!
Será que Hideki Kamiya, da Platinum Games, estava correto ao se referir a Inafune como um businessman? Talvez ele não seja propriamente um desenvolvedor ou game designer, mas sim um produtor. E, de fato, muitos dos jogos dessa lista não parecem ter tido participação criativa de Inafune. Contudo, não há como termos certeza desses assuntos internos da criação desses games.
E você, o que acha de Keiji Inafune e seus recentes títulos? Deixe nos comentários sua opinião!
Revisão: Vitor Tibério
Capa: Peterson Barros 


Rafael Neves é estudante de psicologia na UFBA e planeja ingressar no mundo da literatura como escritor. A paixão por videogames e a vontade de escrever unem-se na experiência como jornalista do ramo. Também trabalha em sua HQ virtual. Encontre-o no Facebook.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais