Hands-on

Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands nos coloca na caça aos traficantes na Bolívia

Partidas táticas colocam equipes em território boliviano em busca dos maiores criminosos dessa não tão fictícia narco nação.

Wildlands é outro título que foi apresentado na última E3, mas só na edição desse ano é que podemos ter uma visão mais completa do que o título tem a oferecer. Nele a Bolívia é retratada como uma nação comandada por traficantes, e nós somos os únicos que querem, e são capazes de, acabar com isso. Através de vários objetivos, vamos desmontando a rede criminosa que se instalou no nosso vizinho sul americano.

Ação tática

No multiplayer disponível para teste, fomos guiados por um líder, responsável por guiar a operação e comandar toda nossa equipe, instruindo de maneira a realizarmos as ações coordenadamente. Nosso objetivo, na ocasião, era capturar, vivo, um meliante responsável pelo desaparecimento de várias pessoas da região, dissolvendo-as em ácido.
Caminhamos os quatro membros do time para o vilarejo onde nosso serviço de inteligência confirma a presença do tal criminoso. Ao nos aproximarmos, usamos drones para fazer um reconhecimento do local, identificando inimigos, civis e até veículos que podem ser usados em caso de necessidade. Até o sistema de som do local pode ser identificado e inutilizado, evitando o fim do efeito surpresa.

 Após isso, a equipe se divide em duas: dois ficam responsáveis por “abrir caminho”, usando armas de longo alcance, enquanto outros dois adentram o vilarejo até o alvo. Usando de alguma furtividade, até que algum inimigo o veja e inicie um tiroteio, atingimos o alvo, que inicia uma fuga. Inicia-se uma perseguição, mas novamente nos é lembrado de que precisamos do responsável pelos desaparecimentos vivo, impedindo que seja aberto fogo diretamente contra o alvo. Após cumprir essa etapa da missão, devemos levar o criminoso até o helicóptero que nos trouxe, algo que certamente não seria tão simples, visto que seus comparsas tentam nos impedir a todo custo. Enfim, uma verdadeira guerrilha.

Mais do mesmo?

Ghost Recon Wildlands tem uma proposta similiar a alguns jogos atuais, incluindo alguns da própria Ubisoft, mas sua ambientação e jogabilidade refinados fazem dele uma experiência única e muito interessante. A tática envolvida pode atrair aqueles que não curtem atirar por atirar. Nós do GameBlast estamos ansiosos para ver o resultado final disso. E você, também está?

Revisão: João Pedro Meireles
José Carlos Alves é graduando em Construção Civil pela Fatec. Apaixonado por videogames desde que se entende por gente. É também colecionador. Escreve por influência das muitas revistas de jogos que leu (e ainda lê).

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais