Jogatina de FDS

O que estamos jogando: caças, lutas e aventuras portáteis

Confira o que a equipe do site jogará no final de semana.

Quando chega o fim de semana, é hora de perguntarmos à nossa equipe o que eles irão jogar por esses dias.

Vitor Tibério

Explorador de templos estranhos, caçador de tesouros escondidos em tumbas e longe de ser um grande ladrão de automóveis

Há um bom tempo iniciei o The Legend of Zelda: Phantom Houglass, do Nintendo DS, e até então não terminei. Não que o jogo seja longo, ou difícil. O game é, inclusive, ótimo, mas conta com um templo que, além de ser bem chato (com limitação de tempo para concluí-lo), é recorrente. Felizmente só falta passar por ele uma última vez e, depois de algum tempo protelando, resolvi que este seria o final de semana que eu finalizaria o jogo. Afinal, não vejo a hora de começar a outra aventura hyruleana do DS: Spirit Tracks.

Mas antes de um novo Zelda, decidi que era hora de sair um pouco do lado Nintendo da vida. Finalmente com um PC que não explode junto das minas de Campo Minado, resolvi tirar a poeira virtual que se acumulava na minha pequena biblioteca da Steam. Infelizmente a decepção foi grande quando não consegui rodar GTA IV satisfatoriamente. Por algum motivo o computador não consegue renderizar uma simples parede, deixando a jogatina bem comprometida.

No entanto, outro game empolgante está funcionando perfeitamente: Tomb Raider. Chegou a hora (estou meio atrasado, eu sei) de ver o que o pessoal da Crystal Dynamics preparou para a volta de Lara Croft aos ambientes virtuais.
Nessas horas eu lembro que só joguei o maravilhoso Skyward Sword.

Alberto Canen

Lutando ao lado dos meus nakamas

Vou jogar One Piece: Burning Blood no PlayStation 4. O anime é o melhor dos shonens, na minha opinião, e os jogos baseados na série não decepcionam. Burning Blood é o mais recente título lançado da franquia e está bem atualizado com o momento do anime. Sábado podem aguardar pela análise, mas já adianto que está bem divertido.

Pokémon Alpha Sapphire também está nos meus planos, mas pretendo dedicar meu tempo a aprender mais sobre o competitivo. Claro que para isso irei recorrer às aulas do Competitivo 101. Essa é uma série de aulas dando várias dicas importantes para aqueles que estão iniciando no cenário competitivo, que é bem o meu caso.

Por fim, se os meus fregueses do Blast resolverem se animar, devo deixá-los comendo poeira em algumas partidas online de Mario Kart 8 — isso se eles já tiverem se recuperado do trauma das últimas corridas.
As matérias do Competitivo 101 foram iniciativas de ex-Blasters
e dão uma ótima noção desse cenário no mundo Pokémon.

Leandro Alves

Caçando a lenda em Londres

Este final de semana irei desvendar um dos maiores mistérios que o mundo já vivenciou: um serial killer lendário, cujo feitos chocaram a humanidade por agir com tamanha frieza e brutalidade em uma das cidades mais modernas da época. Sim, ele mesmo: Jack, o Estripador — aliás, temos a análise deste belíssimo DLC de Assassin’s Creed Syndicate na revista GameBlast #18. Tudo se passa na cidade de Whitechapel, e estou super animado com este capítulo. Vamos ver se conseguirei prender Jack! A irmandade precisa superar mais este desafio, que acontece 20 anos após a trama principal. Então, partiu caçar o monstro!
Boa sorte, Leandro!

Renan Greca 

Borda do Espelho: Catalisador

Nas vésperas da minha viagem para a E3, fiquei encarregado de jogar e analisar Mirror's Edge: Catalyst, continuação do cult hit da DICE da geração passada. Quando estiver deixando a Faith de lado, quero encontrar meus amigos para jogar jogos de tabuleiro.

No feriado da semana passada, comecei a jogar Bloodborne com dois amigos (no tradicional formato “morre, passa o controle”)... Jogamos mais de 20 horas dele entre 15h da quinta-feira e 18h da sexta-feira. Estive revisitando o jogo aos poucos esta semana, então é possível que eu jogue mais uma sessão no sábado ou domingo.

No mais, all aboard the hype train.
Um pouco de ação-aventura logo antes da E3, ein?

Flávio Priori 

Em time que ganha, não se mexe

Nos últimos tempos tenho tido pouco tempo para jogar. Por isso, tenho preferido me manter em coisas que já tenho há um certo tempo do que começar algo novo. Isso significa que Dark Souls 3 continua firme e forte na minha lista. O pior é que nem acabei minha campanha com o personagem baseado em destreza, e já estou estudando como farei com o mago, meu próximo boneco a ser criado.

Mas tenho outras opções também. Vou tentar aproveitar para jogar Heroes of the Storm. O jogo está na semana de aniversário e, devido a isso, com bônus de experiência. Boa hora para investir um tempo no MOBA da Blizzard. Por fim, Bastion do PS Vita está sendo um bom passatempo durante as viagens de ônibus e metro.
Belíssimo...

Ana Krishna Peixoto

Dedicação ao portátil

Depois da compra do PlayStation 4, em fevereiro, pouco joguei em meu Nintendo 3DS e, nos últimos dias, tenho tentado me dedicar um pouco mais a ele. Estava com bastante saudade de jogos como Pokémon Omega Ruby (3DS) e Monster Hunter 4 Ultimate (3DS). Meu final de semana, mais uma vez, será repleto de caçadas e capturas. Quem sabe eu não me anime e dê uma olhada em o que rola na minha cidade em Animal Crossing: New Leaf (3DS)? Será que todos os meus moradores já foram embora?
Quem ficou esperando não deve estar muito contente...
E você, leitor? Que jogos vão entretê-lo no fim de semana?
Robson Júnior é graduando em Ciência da Computação pela UFCG. No Blast, atua como diretor de redação e revisor. Reserva algum tempo para jogar, ler e escrever, algumas de suas paixões. Você pode encontrá-lo no Twitter e no Alvanista.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais