Hands-on

Star Trek: Bridge Crew leva você direto à Frota Estelar

Proposta um tanto quanto curiosa de VR é um deleite para os fãs da série. Quem não é fã também vai aproveitar a experiência.

Um jogo que despertou a curiosidade do público durante a conferência da Ubisoft foi Star Trek: Bridge Crew. Além de contar com um dos atores de A Nova Geração, o jogo tem uma proposta de enlouquecer qualquer fã da franquia: tranformar o jogador em um dos membros do comando de uma nave da Frota Estelar. Apesar disso, na demonstração inicial, não ficou muito claro qual seria a proposta do jogo. Sorte que a Ubisoft nos convidou para testar o jogo, que não estava disponível para o público.

Todos a bordo

O teste ocorreu em uma sala fechada, onde quatro cadeiras estavam estrategicamente posicionadas (com marcas no chão para cada um de seus pés, inclusive), para que os pads do Oculus fossem corretamente identificados. Ou seja, além de usar um óculos de realidade virtual (mais de um modelo será compatível com o jogo), nossas mãos tem sua posição espacial identificadas pelo jogo (no PS4 isso será feito pelo PS Move).
Das quatro funções disponíveis, o instrutor do voo (sim, fomos guiados em nossas funções na ponte) ocupou a função de capitão. Eu fiquei feliz em ocupar uma função tática, que consistia em cuidar dos escudos da nave, escanear objetos no espaço e cuidar das armas (carregar e disparar): torpedos e phasers. Haviam também o engenheiro, responsável por direcionar a energia da nave para cada setor, e o piloto, que devia pilotar a prima da Enterprise.

Muito mais que apenas pilotar

Ao iniciar a missão, somos apresentados a nossa nave, que está ancorada em uma doca da Frota logo após recebermos breves instruções. Já dentro da nave, cada um em seus postos, somos informados do recebimento de um pedido socorro, e por sermos a nave mais próxima, somos enviados para investigar. 
Ao chegar ao local de origem do sinal, após uma viagem em Dobra Espacial, vemos uma estrela prestes a explodir, que deve ter causado todo o estrago. Algumas naves se encontram avariadas e à deriva, além de serem visíveis vários destroços no espaço. Como responsável tático, tive que escanear as naves, enquanto a engenharia providenciava o trasporte dos tripulantes. Em meio a isso, fomos atacados. Entre levantar escudos para nos proteger e baixá-los para transporte, deveria carregar e disparar torpedos, além de atacar com o phaser da nave. Tudo isso deu a sensação de estar de fato na ponte, em uma situação crítica, como muitas vezes visto na série.
Após um esforço conjunto, a missão foi concluída com sucesso, e isso nos leva a um ponto crucial da experiênica do jogo: o multiplayer. Jogar com outras pessoas dá uma veracidade ainda maior à experiência, deixando tudo ainda mais saboroso. Infelizmente os gráficos ainda deixam a desejar, com os personagens praticamente sem textura alguma. Mas, por ainda se tratar se uma versão pré-alpha, não é algo com que devemos nos preocupar.

Um presente para os fãs

Star Trek Bridge Crew tem potencial para ser uma experiência incrível, apesar de ser um jogo para nicho muito específico. Contudo, aqueles que estiverem dispostos a dar uma chance terão uma excelente experiência. Algo que definitivamente me fez desejar um VR em casa.

Revisão: João Pedro Meireles
José Carlos Alves é graduando em Construção Civil pela Fatec. Apaixonado por videogames desde que se entende por gente. É também colecionador. Escreve por influência das muitas revistas de jogos que leu (e ainda lê).

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais