Guia DLC

Fallout 4: Wasteland Workshop (Multi) é um conteúdo incompleto

Ao contrário de Automatron, novo DLC de Fallout 4 decepciona.


Menos de um mês após o lançamento de Fallout 4: Automatron (Multi), o primeiro DLC de Fallout 4, a Bethesda lança Wasteland Workshop, que se destacou principalmente por transmitir a ideia de transformar seu refúgio em uma espécie de arena Pokémon colocando todas as criaturas de Fallout para lutar entre si.


Antes do lançamento de Fallout 4: Wasteland Workshop (Multi), tinha-se a esperança de que este novo conteúdo tivesse um nível de qualidade equivalente a Automatron, no qual se disponibiliza, ao menos, algumas missões que, além de acrescentar horas de jogatina, servissem também como uma espécie de tutorial, ensinando a usar propriamente os novos recursos do DLC. Infelizmente nada próximo disso ocorreu e as novidades não foram introduzidas, mas simplesmente “jogadas”.
Não sei exatamente a razão deste lapso, se o DLC foi feito às pressas, sendo esta a causa da Bethesda não ter tido tempo de sequer fazer um tutorial ou se eles subestimaram a capacidade e o bom senso dos jogadores. Alguns inclusive estão procurando ajuda internet a fora, principalmente em vídeos online, que transmitem um conhecimento que era para ser aprendido dentro do game.


Para aqueles que ainda não compreenderam muito bem, Wasteland Workshop pode ser comparado a Elder Scrolls V: Skyrim - Hearthfire (Multi), digo isso no sentido em que ambos têm o mesmo objetivo, possibilitar a construção e a decoração de seu refúgio, inclusive ambos tinham um preço equivalente (10% do preço do jogo vanilla).

A nova política do pão e circo

O novo DLC adiciona dezenas de novos itens que vão desde itens meramente decorativos, como quadros e letreiros luminosos até alguns dispositivos mais complexos como armadilhas e Jaulas, aliás, há uma categoria totalmente dedicada a este último.
Com centenas de possibilidades de construção, muitas vezes é difícil diferenciar o novo conteúdo do restante. Caso você esteja em dúvida sobre quais são o itens novos (novidades construtivas), foi desenvolvido um modo simples e efetivo de distinguí-los: após acionar a mesa de trabalho para começar a construir, procure pelo sinal de “+” presente do lado direito do item.


Agora que os novos apetrechos já foram encontrados, se você está empolgado em caçar criaturas e capturá-las, seja para entretenimento dos habitantes ou para criar uma armadilha e proteger seu assentamento, eu tenho notícias não muito empolgantes, pois não é necessário caçar ou realizar qualquer atividade do tipo para conseguir capturar o animal desejado. Basta colocar uma armadilha, literalmente, em qualquer lugar da Comunidade, incluindo dentro do seu assentamento, que você capturará desde gatos fofos a Deathclaws raros. Tudo só depende do tamanho da jaula que foi selecionada e do tempo esperado antes de conferi-la.
Isso, todavia, tira toda emoção e diversão que a caça poderia proporcionar. Imagine a dificuldade de encontrar um Deathclaw Camaleão e ainda por cima ter de derrubá-lo sem matá-lo, seria simplesmente sensacional, mais uma oportunidade perdida pela Bethesda.


Aliado a isto, existe outra novidade no game, o Emissor de Ondas Beta, que consiste em um tipo de pacificador, deixando as criaturas próximas a ele calmas, evitando que elas ataquem você e qualquer outra pessoa.Esse recurso facilita a criação de arenas e de zoológicos ou ainda pode ser utilizado de modo estratégico para defender seu assentamento, pois uma vez que você destrua este dispositivo, o monstro se torna selvagem novamente.

Não há lugar como Texas… quero dizer como a Wasteland

Qualquer pessoa que tenha provado de Fallout 4 sabe que é apenas questão de tempo até que seu refúgio seja atacado, principalmente quando você começa a expandi-lo e atender as necessidades de seus moradores, o que melhora o seu status. Para ajudar a manter a integridade de seu refúgio e seus habitantes, Wasteland Workshop disponibiliza dezenas de armadilhas que podem ser colocadas onde desejar.

Dentre as armadilhas, destaca-se a Sawblade Trap, que consiste em um suporte com seis serras circulares que se move horizontalmente, de um lado para o outro, destroçando os invasores no processo.

Ora, mas e quanto aos vendedores ambulantes e demais moradores, não há risco de se ferirem ou serem mortos por um destes dispositivos? Por incrível que pareça, não.  Essa parte da mecânica foi desenvolvida de forma rápida, porém não muito criativa, pensando nas possíveis desvantagens que o jogador poderia sofrer, pois, com exceção dos seus companions, a morte de todos os personagens é permanente. Logo, mesmo que eles insistam em se aproximar (e isso acontece com mais frequência do que se imagina), todos saem ilesos das armadilhas, caminham como se, simplesmente, não houvesse nada lá.

Uma história metafísica

Depois da história empolgante e recheada de referências proporcionada por Automatron, muitos devem estar ansiosos pelo que Wasteland Workshop poderia nos entregar, mas, do mesmo modo que ele não acrescenta novas missões, o DLC também não adiciona narrativa alguma. Desse modo, a desenvolvedora perde a oportunidade de construir uma narrativa baseada na criação de entretenimento para a população, uma vez que não há muito que se fazer fora das grandes cidades, a não ser trabalhar e, é claro, tentar sobreviver.

Um bom exemplo de narrativas pós-apocalípticas envolvendo entretenimentos bizarros é a Arena montada pelo Governador de Woodbury na série Walking Dead, na qual zumbis e pessoas se confrontavam para o divertimento dos habitantes da cidade. Afinal de contas, nada melhor que a política do pão e circo para esquecer os males da Wasteland.

 Mesmo em um pós-apocalipse, ainda há esperança

Agora, mais do que em qualquer outro momento, seria interessante a Bethesda adicionar um modo multiplayer ao game, nem que este se resumisse a invadir e a proteger assentamentos, pois, com os recursos adicionados, não demora muito para que deter os invasores gerados pela inteligência artificial se torne uma tarefa fácil e entediante.

Poderia ser algo semelhante ao game da Ubisoft, Mighty Quest for Epic Loot (PC), no qual você cria armadilhas e coloca criaturas para defender seu castelo e proteger seus tesouros. Todavia, a oportunidade de criar um jogo à parte dentro de Fallout 4, aumentando as horas de jogatina, foi desperdiçada.

Em suma, apesar de todas as promessa e expectativas, o novo DLC não possui narrativa, quests, nem ao menos um tutorial, em outras palavras, se trata de um conteúdo incompleto que tinha um grande potencial, porém deixou os jogadores à mercê da sua imaginação e das possibilidades.

Se você gosta de jogos que envolvam crafting, Wasteland Workshop pode ser uma aquisição interessante e prazerosa, mas caso você seja um fã inveterado da série Fallout, apreciando a história e suas mecânicas RPGísticas, infelizmente, arrisco a dizer que este DLC não é para você, sendo assim recomendo-lhes aguardar por Far Harbor, expansão que será lançado em algum momento de maio.
E você, meu caro leitor, o que você mais gosta em Fallout 4? Tem alguma expectativa para o próximo DLC? Aguardo ansiosamente pelos seus comentários.

Wasteland Workshop (Fallout 4) — PC/PS4/XBO — Nota: 6.0
Versão Utilizada: PC

Revisão: Luigi Santana
Capa: Peterson Barros
Manoel Siqueira Silva é formado em Análise de Sistema e Filosofia pela UFSCar. Aprecia games de todos os gêneros, mas confessa ter uma queda por RPG e jogos de mundo aberto. Está sempre em busca de games de qualidade que foram subestimados ou são desconhecidos. Este ser pode ser encontrado no Twitter e no Facebook.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais