Blast Test

O que Platinum Demo tem a dizer sobre Final Fantasy XV?

Conferimos a nova demo de Final Fantasy XV e falamos sobre como ela demonstra um pouco do que virá em setembro.

Não restam dúvidas de que o evento de ontem foi pensado minuciosamente para deixar fãs e jogadores extremamente pilhados com Final Fantasy XV (e todos as outras obras e produtos relacionados a ele). Dá para ver que o investimento está muito alto, e que tudo que foi apresentado ontem vai deixar o game em evidência. A ideia da Square-Enix é a seguinte: vocês vão falar bastante de Final Fantasy XV hoje, amanhã e até ele ser lançado. O resultado foi tão imediato que para comprar a edição Ultimate Collector's já existe uma fila de espera. Mas em meio a obras de outras mídias, atores famosos de séries famosas e diferentes trailers do jogo, uma nova demonstração foi disponibilizada.


Platinum Demo mostra uma breve história na qual controlamos o jovem Noctis em um mundo de sonhos. Existem quatro áreas diferentes na demonstração e mesmo explorando tudo você vai levar cerca de uma hora para terminar, ainda que seja possível repetir as batalhas dos dois últimos cenários. Mas isso você pode descobrir baixando a demo caso possua um Xbox One ou PS4, a ideia desse post é discutir o que foi apresentado em Platinum Demo e o que podemos esperar de Final Fantasy XV.


A principal novidade que vemos na primeira área, e que se estende por toda a demo, são os painéis. Mesmo com um cenário pequeno nessa parte inicial, a ideia de brincar com o ambiente é agradável. Por um lado, é uma forma de demonstrar mais de Final Fantasy XV, já que podemos mudar o horário do dia, assim como alternar entre um dia de sol, nublado ou chuvoso. Tem outras coisas bacanas, como ver um Leviathan surgir do distante horizonte e cair na lagoa próxima. Em contrapartida, não existe nada nos trailers até agora que demonstre que esses painéis serão mecânicas do game. E eu acho bom que não sejam mesmo, pelo menos não diretamente.

Seria interessante no sentido de impelir à exploração, já que colecionar as gemas faz com que os painéis possam ser utilizados. Mas iria poluir muito os ambientes e, convenhamos, existem formas muito mais interessantes de fazer o jogador se interessar pelos cenários e querer explorar cada canto. Os lugares mostrados nos trailers de Final Fantasy XV são, além de muito bonitos, potencialmente bem interessantes. Existem diferentes tipos de lugares e cidades, mas ainda não obtive uma resposta definitiva de como essas áreas serão povoadas. Porém, a segunda área da demonstração me deixou mais tranquilo.
Já que tá nessa de lançar tudo que é produto, que tal uma pelúcia do Carbuncle?
Aqui o ambiente é mais aberto, com grandes espaços no meio da sala para que nós possamos experimentar um pouco o esquema dos carros do game. Novamente, um desses painéis transforma o pequeno Noct em um veículo. A direção não está excelente, mas também está longe de ser horrorosa. De qualquer forma, a proposta do carro (e eventual airship) em Final Fantasy XV não é ser um simulador de corrida.

Nessa segunda parte de Platinum Demo podemos procurar mais cantos escondidos pelo cenários e ver como o game está sendo construído com uma baita atenção. Tanto a demonstração quanto os trailers mostram que há uma enorme preocupação em construir um mundo único, mas bem apresentado e explorado. Não que seja nada demais, mas existem revistas de viagem e sobre a fauna local pela sala. Isso é só um pequeno exemplo, mas a sensação que tive com a demo e o material mostrado sobre o jogo final é que esse mundo está diverso, mas com uma identidade que une tudo, e amplo, mas ao mesmo tempo criado em cada detalhe.


Já a terceira área traz mais combates e diferentes tipos de magias. Já que é aqui que brigamos mais, nada melhor que comentar um pouco o sistema de batalha. Ele está bem mais fluído em relação ao Episode Duscae, o que efetivamente quer dizer que é mais bem executada a forma pela qual alternamos os equipamentos para fazer "combos". A câmera também está melhor, e as mecânicas de desviar e bloquear ataques aparentemente bem polidas. As magias são um espetáculo visual, mas até o momento elas meio que funcionam da mesma maneira (Noctis as lança como granadas em uma área que é atingida pelo ataque). Espero que em Final Fantasy XV existam diferentes formas de usá-las. O bacana é que há uma promessa de que as magias tenham grande influência sobre o cenário e os inimigos.

Nessa área existe a possibilidade de transformar Noctis em um monstro. Não sei se isso foi apena uma forma para apresentar uma fauna diferente (já que existem apenas dois tipos de inimigos, fora o chefe, em Platinum Demo) ou se há alguma ideia de transformar em uma mecânica do game final. Os monstros funcionam de uma maneira meio travada, mas é bacana brincar um pouco como um deles, e é algo que poderia ser usado de formas interessantes.


No geral, a batalha como apresentada em Platinum Demo é bem executada e fluída. É fato que nessa demo a coisa acaba se tornando um pouco repetitiva contra os inimigos normais, mas aparentemente isso não é uma questão para se preocupar muito, já que haverão mais equipamentos e possibilidades em Final Fantasy XV.

A cidade que aparece nessa terceira parte é bem pequena, então não existem muitos indicativos de como serão as grandes cidades do jogo final. Se for apenas um pequeno aperitivo, podemos entender que a ideia é criar ambientes integrados.

A quarta área da demonstração já havia aparecido em alguns trailers mais antigos. Aqui, Noctis se transforma em adulto e tem que enfrentar um Iron Giant. É divertido batalhar, sobretudo na segunda vez, na qual Carbuncle habilita o poder de warp e armiger para Noct. Existe algo de muito catártico em ficar lá no alto enquanto o coro come abaixo. Isso tem uma função de repor o MP e o HP. É o tipo de mecânica interessante já que dialoga com aspectos centrais da experiência: poder se recuperar para retornar à batalha, ver os vastos cenários e se transportar rapidamente.
Nois tá suave no final de semana.
Os pontos de vida, aliás, vão sendo diminuídos conforme recebemos grandes danos sem nos curar, que é um sistema que eu gosto, já que faz com que exista consequência em ficar perdendo muita vida em contrapartida à possibilidade de fugir e se recuperar. Parece que será essencial administrar bem tanto o MP quanto o HP, o que é bem-vindo para a batalha.

Além de garantir Carbuncle como summon em Final Fantasy XV, Platinum Demo ainda reforça algumas questões do enredo que estão ficando cada vez mais claras. O rei Regis tem uma relação muito próxima com seu filho, Noctis, que será a peça central na crise que será contada em FF XV. Enquanto Regis faz de tudo para proteger seu filho, até mesmo lhe dando um amuleto para lhe proteger nos sonhos (o Carbuncle), alguém quer fazer com que o jovem não acorde, e por isso envia os inimigos e o Iron Giant ao sonho de Noct.


Platinum Demo cumpre bem seu papel de apresentar alguns conceitos e aspectos de Final Fantasy XV, além de compor a proposta da Square Enix em fazer com que os personagens sejam familiares aos jogadores antes do lançamento no dia 30 de setembro. Também demonstra que o titulo está no caminho certo dentro de sua proposta, e que muita coisa já foi refinada em relação ao Episode Duscae. Há muito mais a se falar das possibilidades de Final Fantasy XV, mas isso a gente deixa para outra oportunidade. Por enquanto, esse breve sonho foi suficiente para mostrar como as coisas estão. E elas estão bem, aparentemente. Hora de acordar.
Pedro Vicente é um homem sem qualidades. Para se esquecer das décadas de fracassos de sua vida real, resolveu passar parte do seu dia jogando. Iniciado nos games por Adventures e JRPGs, hoje em dia joga de tudo. Gosta muito de escrever sobre jogos, mas só dá nota 10 para games em que você pode dar Suplex em um trem.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais