Jogamos

Análise: Celestial Tear: Demon's Revenge (PC) mostra os dois lados da moeda

Título produzido no RPG maker aposta em diálogos inteligentes sobre temáticas complexas.

Celestial Tear: Demon’s Revenge (PC) é um jogo curioso e surpreendente. À primeira vista ele parece apenas mais um RPG indie dos que estão surgindo aos montes, mas, ao explorá-lo mais atentamente, se revela um jogo com temática e personagens bem construídos, apesar de não ser exatamente um primor técnico.

Escolhendo sua aventura

Humanos e Jehts lutam no planeta Hasphal sob a bandeira de religião e sobrevivência. Os nativos Jehts são dados como criaturas demoníacas que não possuem o direito de viver no mesmo planeta que os humanos, pois acredita-se que os Jehts tenham vindo de Remerim, um lugar amaldiçoado. A raça, então, é caçada em nome dos deuses humanos, gerando uma terrível guerra civil.

Adotando um modelo bem incomum entre RPGs, o título aposta fortemente em uma aventura episódica. Até o momento, foi lançado apenas um dos três episódios prometidos, mas em termos de narrativa ele impressiona bastante. Neste primeiro episódio, é possível escolher entre dois personagens com jornadas próprias e explorar dois lados de uma mesma história.



Um deles é um nobre humano que se apaixona e se casa com uma Jeht, até que ela é assassinada por preconceito e por ser considerada uma criatura impura. Então, o personagem sai em uma jornada para buscar respostas e procurar sua redenção ao fazer novas escolhas. A outra personagem é Sen, uma Jeht caçada por fazer parte da raça indesejada e também por ter poderes mágicos excepcionais. Sendo uma sobrevivente e sofrendo preconceito humano desde que ela consegue se lembrar, Sen é complexa e lida com problemas por quais ela jamais deveria ter passado.

Celestial Tear explora temas sombrios e polêmicos de forma muito direta e sem rodeios, fazendo reflexões sobre redenção, extermínio, preconceito, medo e religião. No episódio disponível, as histórias dos personagens principais se intercalam: enquanto certos acontecimentos estão se passando, você vê o outro lado da moeda com o outro personagem, dando uma visão completamente diferente e diversificada da narrativa. Além disso, os diálogos são bem escritos e as problemáticas bem exploradas, o que ajuda ainda mais na reflexão sobre o que está acontecendo.


Estilo retrô

Como o título foi desenvolvido utilizando-se o RPG maker, ele possui gráficos em píxels característicos de um jogo dos anos 90, bem retrô mesmo. Mas, é no sistema de batalhas que o jogo impressiona: com um combate bem parecido com Xenogears, o título aposta em batalhas de turnos e num sistema de “combos”, em que você acumula pontos de ação para desferir golpes cada vez mais letais. Quando comecei a jogar, achei que o sistema de combate seria o tradicional por turnos e fiquei realmente surpreso ao ver os modelos dos personagens e um sistema completamente diferente criado exclusivamente para o jogo.

Contudo, apesar de ser bonito de se ver, o desbalanceamento é claro (monstros dão danos com um valor alto muito variável e eles possuem muita vida, além de darem pouca experiência) e o jogo não explica muito bem como o sistema de combos funciona, deixando essa parte muito nebulosa. Um bom tutorial e um melhor balanceamento teriam ajudado bastante.


Alguns problemas

Apesar de explorar temas interessantes, o título peca em quesitos bem importantes: os textos às vezes apresentam alguns erros de escrita e faltam descrições em alguns itens, o que te deixa um pouco perdido sobre os seus benefícios. Ao que parece, a produtora teve que fazer uma mudança grande no desenvolvimento do jogo devido aos custos do projeto e teve que vender o título às pressas para poder ajudar no seu financiamento.

Então, alguns desses problemas certamente foram ocasionados por pressa e podem ser facilmente corrigidos com alguns patches e fixes, coisas que o jogo provavelmente terá no futuro. Assim, mesmo errando nesses pontos, ainda há esperanças.


Veredito

Celestial Tear: Demon’s Revenge é um título que entrega o primeiro episódio de maneira satisfatória, com uma boa história e bons personagens. O jogo traz temas e questões  bem complexas que nem sempre são exploradas nos videogames e, justamente por isso, eu o recomendaria, mesmo com seu combate um pouco quebrado e mal explicado.

O título pode ser adquirido pelo Steam e, se você quiser conferir apenas o primeiro episódio, este pode ser comprado por R$ 11,99 na página do jogo.

Prós:


  • Diálogos densos são bem trabalhados;
  • Personagens bem construídos;
  • Sistema de batalha bem interessante para o porte do título.

Contras:


  • Sistema de batalha desbalanceado;
  • Faltam descrições em certos itens;
  • Tutorial podia ser melhor.

Celestial Tear: Demon’s Revenge (episódio um) — PC — Nota 7.0

Revisão: Érika Mitie Honda
Pedro Gusmão aprecia bons jogos independente de plataforma e gênero, mas tem um apreço especial por RPGs e jogos de estratégia. Aficionado por temas fantásticos, adora passar seu tempo livre escrevendo e enfrentando seres mitológicos em videogames.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais