20 anos de Resident Evil: 20 curiosidades sobre a série

Com 20 anos na estrada, a série da Capcom tem muita história para contar.

Em 22 de março de 1996, Resident Evil foi lançado para o PlayStation, no Japão. 20 anos depois, a série ainda é uma das mais icônicas franquias de survival horror. Relembre conosco algumas das principais histórias e anedotas que permeiam essa fantástica franquia.

1 - Nome perigoso

Todo fã de Resident Evil sabe que o game se chama Biohazard no Japão. Mas por que a mudança de nome? Acontece que a marca já estava registrada no ocidente... duas vezes! Uma banda de heavy metal e um jogo de DOS possuíam o nome, o que levou a Capcom a fazer um concurso interno para escolher como deveria chamar a série nos Estados Unidos. O vencedor, claro, foi Resident Evil.

2 - Resident Evil, um FPS?

Originalmente, o primeiro Resident Evil seria em primeira pessoa. A mudança para a clássica visão em terceira pessoa veio por influência de Alone in the Dark, um dos precursores do gênero de survival horror.

3 - Dois personagens foram cortados

Segundo os documentos de design do clássico, a equipe de protagonistas seria bem diferente da atual. Gelzer, um ciborgue brutamontes, e Dewey, um personagem cômico inspirado em Eddie Murphy, acompanhariam Chris Redfield e Jill Valentine. Eles parecem ter servido como base para outros dois personagens similares que aparecem em Dino Crisis, Gail e Rick.

4 - O port cancelado para GBC

Resident Evil recebeu vários ports e remakes. Um, em especial, chama a atenção: um port para o Game Boy Color. Ele estava sendo desenvolvido pelo estúdio inglês HotGen e chegou a ser concluído, mas a Capcom reijeitou o produto final e cancelou o lançamento.

5 - A grande inspiração de Resident Evil

Resident Evil foi concebido como um remake de Sweet Home, clássico de horror para NES que nunca saiu do Japão. Vários dos elementos que marcaram a série já haviam aparecido no game de 1989, incluindo a mansão, puzzles, notas espalhadas pelos cômodos explicando a história e portas se abrindo lentamente em telas de loading.

6 - Fantasmas, não zumbis

As ameaças do jogo seriam sobrenaturais, assim como em Sweet Home. Influenciado pelos clássicos de George Romero (especialmente Despertar dos Mortos), o diretor decidiu trocá-los por zumbis, alterando a trama para uma abordagem mais "científica".

7 - A dublagem poderia ter sido pior

Uma dublagem em japonês foi gravada, mas Mikami não aprovou a qualidade — levando à infame atuação com vozes em inglês. Se o resultado final saiu com clássicos como "Jill sandwich", dá até medo de imaginar o quão ruim era a primeira versão...

8 - O compositor surdo (que não era surdo)

Mamoru Samuragochi, compositor da série, era supostamente surdo e considerado por muitos o "Beethoven japonês"... Até descobrirem que ele não era surdo coisa nenhuma e suas músicas foram compostas por outra pessoa. Que treta, hein?

9 - Resident Evil 1.5

Um mês após o lançamento de Resident Evil, a Capcom começou a trabalhar em uma sequência, planejado para sair em março de 1997. O projeto foi cancelado um mês antes do lançamento por ser similar demais ao primeiro game da série. Uma nova equipe de desenvolvimento começou a produção do zero, resultando no Resident Evil 2 que amamos. O protótipo, informalmente conhecido como Resident Evil 1.5, possuía uma direção de arte com visual mais moderno e não contava com a participação de Claire Redfield.

10 - Mikami era super fã de Queen

E ele deixou isso bem claro durante a série. Chris e Claire Redfield vestem uma jaqueta com os dizeres "Made in Heaven", nome do último álbum da banda antes da morte de Freddy Mercury. Em Code Veronica, a roupa de Claire homenageia "Let Me Live", terceira faixa do mesmo álbum. Já em Resident Evil 0, Coen tem "Mother Love" tatuado no braço — outra faixa do disco.

11 - O que aconteceu com o piloto?

O piloto do helicóptero da abertura de Resident Evil faz uma reaparição na sequência... como um zumbi! Para encontrar Brad Vickers em Resident Evil 2, é necessário selecionar a dificuldade Normal e chegar ao prédio do RPD sem pegar nenhum item ou arma no cenário. Ao matá-lo, você recebe uma chave que desbloqueia novas roupas para os personagens.

12 - George Romero dirigiu os trailers de Resident Evil 2

A influência de George Romero na série foi muito além de uma "mera" inspiração. O diretor de cinema dirigiu os trailers de Resident Evil 2. Usando atores reais, as propagandas só foram exibidas no Japão.

13 - E ele quase dirigiu o filme também!

Quando a Sony Pictures e Capcom aprovaram a adaptação de Resident Evil para os cinemas, não pensaram duas vezes em contratar o mestre de filmes de zumbi para fazer o roteiro e dirigir o filme. Infelizmente, a Capcom não gostou do script por ser muito diferente da história do game e demitiu o diretor.

14 - Nemesis e Code Veronica tiveram os nomes trocados

Resident Evil 3: Nemesis não ia ser uma sequência numerada; Code Veronica é que receberia o título de Resident Evil 3, com o jogo de PlayStation sendo apenas um spin-off. Entretanto, a Capcom tinha um acordo com a Sony de que lançaria pelo menos três Resident Evils "principais" em seu console. Assim, Code Veronica virou o spin-off e Nemesis a sequência oficial.

15 - Onimusha nasceu de uma ideia descartada de Resident Evil

Em 1997, Yoshiki Okamoto teve a ideia de fazer Sengoku Biohazard, uma versão ninja de Resident Evil ambientado numa mansão feudal japonesa cheia de armadilhas e lutas com espadas e shurikens. O projeto não foi para frente como um novo Resident Evil, mas ganhou sobrevida como Onimusha, uma nova série trazendo... uma mansão feudal japonesa cheia de armadilhas e lutas com espadas e shurikens.

16 - Assim como Devil May Cry

Resident Evil 4 teve um desenvolvimento conturbado, passando por quatro protótipos até virar o game que conhecemos. Mas o trabalho não foi em vão: o primeiro protótipo, mais focado em ação, teve sua premissa mudada e eventualmente virou Devil May Cry, outro grande clássico da Capcom.

17 - Leon e o Mercador são dublados pela mesma pessoa

"Got some rare things on sale, stranger!" Quem não se lembra do icônico mercador de Resident Evil 4? O que muitos não sabem é ele e Leon são dublados pela mesma pessoa, Paul Mercier. Então, de certa forma, é como se Leon estivesse falando consigo mesmo.

18 - O espanhol de RE4 não é da espanha

Falando em Resident Evil 4, o game supostamente se passa em um pequeno vilarejo espanhol. Entretanto, os dubladores do game usam um dialeto mexicano. Quem não fala a língua nem percebe, mas é tipo quando dublam um personagem brasileiro com um ator português.

19 - Jogando Resident Evil 5 como em 1996

Em Resident Evil 5, na missão do DLC Lost in Nightmares, se você tentar sair da mansão três vezes seguidas, a câmera volta para uma posição estática — igualzinho ao Resident Evil original. Convenhamos: se for para revisitar a mansão que fez o pesadelo de muitas crianças, tem que ser sob o ângulo certo.

20 - Sucesso absoluto

A franquia vendeu mais de 61 milhões de cópias com o decorrer dos anos e não tem previsão para parar de fazer sucesso. Que venham mais 20 anos de sustos e zumbis!

Lucas Pinheiro Silva é analista de sistemas web por profissão, gamer por vocação. Tem grande interesse em game e level design, o que o levou a escrever para o GameBlast. Em seu Facebook e Twitter também fala de outras coisas, como HQs, música e literatura.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais