Blast from the Past

NBA JAM (Multi): O melhor basquete do mundo está em quadra

Levantem-se todos, a hora da batida é agora. Nós temos uma partida bem aqui. Bem-vindos ao NBA JAM!

Bem, amigos do esporte, nesse próximo final de semana, entre os dias 12 e 14 de fevereiro, ocorrerá mais um NBA All-Stars, jogo que reúne as principais estrelas da liga de basquete norte-americana. Como sou um fã da arte da bola ao cesto, vi nessa oportunidade uma grande deixa para falar de um dos mais amados e icônicos jogos de basquete já lançados, o NBA JAM.



Boom Shaka-Laka

NBA JAM foi lançado originalmente em 1993 para arcades pela Midway. Usando a mesma tecnologia de digitalização vista em Mortal Kombat, a desenvolvedora resolveu arriscar no campo dos jogos de esporte.

A ideia de um jogo de basquete 2x2 não era exatamente nova, já que, em 1989, a empresa já havia lançado Arch Rivals, que segue o mesmo estilo. Porém, pela primeira vez, um jogo de videogame teria a marca da NBA licenciada, trazendo todas as estrelas da liga.

Além de usar jogadores reais, a jogabilidade arcade do título ajudou muito NBA JAM a conquistar um grande sucesso bem rápido. Exceto pela regra dos 24 segundos e pelo famigerado “Goal Tending”, não havia faltas e a bola sequer saia da quadra. Era tudo muito rápido, com a diversão sendo priorizada acima de qualquer aspecto.

Consegue adivinhar quem são os times?
Enterradas que quebravam algumas leis da física e as famosas bolas de fogo, acionadas quando um jogador conseguia três cestas consecutivas eram o grande destaque. Some a isso os truques escondidos que poderiam ser habilitados. Barra de corrida ilimitada, bola de fogo infinita e até mesmo um power-up que derrubava todos os jogadores. Se uma partida normal já era uma zona, com os códigos ela virava uma zoeira sem limites.

Um jogo de ação frenética, jogabilidade simples e enterradas poderosas. Esses três pilares foram essenciais para o sucesso de NBA JAM.

He's heating up

Tanto graficamente quanto pela parte sonora, NBA Jam é bem competente. Dadas as limitações da época, os modelos de jogadores até que são bem fiéis. Só a torcida ao fundo que não é muito empolgada durante as partidas, mas isso é algo que pode ser tolerado.

Sua jogabilidade era simples, com apenas três comandos: passe, arremesso e corrida. Dentro da quadra, o segundo jogador do seu time era controlado pela inteligencia artificial, mas também era possível ordenar o NPC para que ele arremessasse ou passasse a bola de volta para você.

Ação rápida
Quanto aos modos de jogo, havia duelos simples e um modo campeonato, que funcionava via password. No quesito multiplayer, o jogo contava com suporte para até quatro jogadores simultâneos.

He is on fire!

Claro que um sucesso como esse não ficaria só nas casas de fliperama. Foi assim que, no fim do primeiro trimestre de 1994, o jogo ganhou conversões para Super Nintendo, Mega Drive e Game Gear. Mais para o fim do ano, Sega CD e Game Boy também receberam uma versão do título.

É interessante notar que na ida do jogo para os consoles, os jogadores e times foram atualizados, usando como referência a temporada 1993/1994 da NBA. A versão arcade usou como base a temporada 1992/1993.

Clássica máquina de NBA JAM
Grandes nomes como Scottie Pippen, Karl Malone, Patrick Ewing e Hakeem Olajuwon estão presentes, o que foi um grande chamativo para o título. Porém, não tem como não reparar na ausência do maior de todos, Michael Jordan. Por falta de um acordo com Jordan, que era dono dos seus próprios direitos de imagem, não foi possível incluí-lo. Outra estrela que curiosamente só aparece na versão arcade é Shaquile O’Neal, na época jogador do Orlando Magic.

Vale dizer que havia alguns personagens secretos, habilitados via código, como desenvolvedores da Midway e até, vejam só, Bill Clinton, então presidente dos Estados Unidos.

Tournament Edition

Dois anos após o lançamento do primeiro jogo, entrou em quadra NBA JAM: Tournament Edition, que é praticamente uma expansão do game original, mas com pequenas alterações e polimentos. A principal mudança dessa versão foi a inclusão de mais jogadores ao plantel de cada equipe. Todos os times ganharam um terceiro jogador, possibilitando variações de duplas, que poderiam ser alteradas mesmo nos intervalos das partidas.

E não foi somente o número de jogadores convencionais que aumentou. Os personagens secretos também receberam vários reforços. Desde estrelas aposentadas como Larry Bird, os mascotes de Chicago Bulls e Charlote Hornets, até personalidades como Hillary Clinton, Príncipe Charles e Will Smith (como o Fresh Prince of Bell-Air).

NBA JAM: T.E. foi lançado para Super Nintendo, Mega Drive, Game Boy, Game Gear, PlayStation, Saturn e Jaguar (!!).
Now this is a story, all about how...

Buzzer Beater

NBA JAM foi um clássico instantâneo dos anos 1990, que rendeu muitas enterradas e roubadas de bola desonestas, ou seja, muitas horas de diversão.

O remake feito pela Eletronic Arts há alguns anos é bem competente e faz juz à fama do original. Mas, ainda assim, jogar as versões dos anos 1990 continua sendo válido, pois os jogos envelheceram bem. Para quem é da época, vale pela nostalgia, mas para quem nunca jogou, vale para conhecer as origens de um dos melhores jogos de esporte já lançados.

Revisão: Jaime Ninice

Flávio Augusto Priori é formado em design de jogos e tenta ganhar a vida com esse negócio chamado video game. Para ele Metal Gear é a melhor série já feita e ainda acredita na volta da SEGA. Escrevia para o saudoso Minha Tia Joga LoL e hoje pode ser achado no Facebook e no Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais