Jogamos

Análise: Layers of Fear (Multi) é um quadro de loucura e terror

Entre na mente de um artista atormentado pela busca da perfeição.


Ninguém poderia esperar que depois de lançar o péssimo Basement Crawl (até o momento, o game de pior avaliação no PS4), a desenvolvedora Blooper Team iria se redimir. Mas eis que surge uma luz no fim do túnel com um game que contém os melhores elementos de uma história de terror. Layers of Fear foi lançado simultaneamente para PC e PS4 e trouxe uma boa dose de sustos para seus jogadores.

Pesadelo artístico

Para quem já teve a oportunidade de jogar o excelente P.T., irá se sentir familiarizado com a mecânica de Layers of Fear. Aqui, o princípio também é o da exploração através de uma residência, em busca de pistas e imaginando o que você irá encontrar ao dobrar o corredor. O ambiente é uma casa inglesa, do final do século XIX. O protagonista da trama é uma ótima escolha para desenvolver um enredo de loucura e terror: um pintor atormentado por não conseguir terminar sua obra-prima.
Como cores tão vivas e brilhantes podem guardar um segredo tão macabro?

Logo no começo, tudo parece muito tranquilo e aparentemente o único problema a ser resolvido é descobrir como ajudar o artista a terminar seu quadro. Nada de mais, não é mesmo? Afinal, encontrar inspiração não é algo assustador. Quem dera… Assim que o jogador começa a explorar os outros cômodos da residência, a história começa a dar voltas e voltas e a sensação de terror começa a crescer.

O título provoca uma confusão constante, não por conta do enredo em si, mas pelo principal elemento da história: a casa. Em Layers of Fear, seu principal inimigo não é algum fantasma ou aparições do outro mundo, mas a residência que constantemente está mudando de forma. São corredores infinitos, portas que aparecem do nada e situações que deixariam até mesmo M. C. Esher (o pintor surrealista dos quadros de dimensões impossíveis) de cabelo em pé.
Esqueça a lógica. Ela não tem lugar nesse game.

É incrível a rapidez com que, ao mesmo tempo, a mente do pintor e sua casa perdem qualquer sentido de sanidade. Em um momento você está apenas andando por sua residência, no meio de um temporal e, no instante seguinte, as paredes estão vazando tinta, vozes sussurram pelos objetos e uma história macabra começa a se revelar. É altamente recomendável experimentar o game com fones de ouvido pois, além de aumentar a imersão nesse ambiente de horror, a qualidade sonora é impecável (mesmo que ela assuste).
Esse é apenas uma das coisas feias que você vai encontrar na casa.

Faltou tinta

Mas nem tudo é um mar de horrores (no bom sentindo) em Layers of Fear. O game cria uma ótima experiência para seu jogador, digna dos melhores filmes de terror. No entanto, a duração da jornada do pintor é curta. Vale ressaltar que pela metade do gameplay (em torno de umas duas horas) o jogador já sabe qual a verdade por trás dessa história de loucura. Portanto, a ideia poderia ter sido mais explorada. O clima tenso que Layers of Fear cria tem potencial para ir muito mais longe do que foi.
Você daria sua vida (ou de outra pessoa) em nome da arte?

A interação que existe em Layers of Fear se resume a tocar em objetos para descobrir seus segredos, investigar desenhos e abrir portas. Isso é ótimo para um jogo de terror, pois o ambiente e o clima se encarregam de criar toda a atmosfera necessária para instaurar o clima de horror. Acredite, não faltam momentos de susto no game. Entretanto, a maioria é previsível. São aqueles sustos repentinos de ver algo desaparecer na sua frente ou ser jogado, mas nem mesmo o velho susto de se virar para trás existe. A única coisa com a qual o jogador pode se surpreender é olhar para trás e ver que a porta por onde tinha entrado se transformou em um corredor.

Layers of Fear é aquele tipo de game para verdadeiros amantes do gênero do terror. Se você quer algo assustador, mas que não parece tão devagar em seu compasso, o game é uma ótima pedida. São poucos sustos para te surpreender, mas eles estão lá. Você não pode morrer, o que não deixa a experiência frustrante. Mesmo assim, tome cuidado com algumas peças que a casa confusa pode te pregar ao criar corredores em loop ou portas trancadas com chaves escondidas. Nada é o que parece ser.
Dizem que o sangue produz a mais bela das cores...

Prós

  • Design e ambiente bem elaborados;
  • Boa (e macabra) história.

Contras

  • Poucos sustos (mas bons);
  • Curta duração.

Layers of Fear - PC/PS4 - Nota: 7.5
Versão utilizada na análise: PS4

Revisão: Gabriel Verbena
Luís Antônio Costa é graudado em Ciência da Computação pela UFRGS. Apaixonado por games desde que ganhou seu primeiro Master System e conheceu Sonic, também é amante da ciência e um devorador de livros. Além do GameBlast, também faz alguns textos para o Medium e pode ser encontrado no Facebook e Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais