Jogamos

Análise: Defragmented (PC) reúne nostalgia e inovação no mesmo pacote

Faça uma jornada por diversas vertentes de ficção científica nesta curiosa mistura de shooter, RPG e até mesmo visual novel.


Pouco tempo após terminar seu último jogo, a desenvolvedora Glass Knuckle Games iniciou os trabalhos de seu próximo lançamento. A ideia agora era fugir do foco investigativo com muitas conversas entre vários personagens e pouca ação do jogo anterior. A intenção aqui era inverter isso, com tiroteios selvagens, e lembrando bastante Hotline Miami (Multi). Imagine um jogo com a mesma câmera superior no personagem, e misture temas diferentes, como uma ambientação futurista dos anos 1980 utilizando um cenário de fundo cyberpunk, músicas baseadas em sintetizadores eletrônicos e mecânicas de RPGs de ação à la Diablo. Muita coisa para sua cabeça? Ou seria uma combinação perfeita?

Origens Sci-Fi

A história de Defragmented foi baseada em diversas mídias de ficção científica, e isso pode ser visto explicando alguns detalhes. A humanidade sofreu com diversas guerras e, durante um experimento científico, uma substância chamada Haze foi lançada na atmosfera, impedindo-nos de receber a luz solar na Terra. Com isso, a humanidade se viu presa a cidades subterrâneas e acabou criando maneiras de extrair o Haze para ser utilizado como uma poderosa fonte de energia (isso lembra bastante os filmes da franquia Matrix).
A história do mundo é explorada aos poucos, conforme você vai avançando no jogo

Nessas cidades, grandes corporações possuem mais poder que os governos oficiais, e implantes cibernéticos se tornaram algo comum para facilitar a vida humana. Esses temas foram bastante explorados, principalmente como no clássico de RPGs Shadowrunner ou então a franquia Deus Ex. Até mesmo semelhanças com o filme de ação O Sexto Dia, protagonizado por Arnold Schwarzenegger e que discute clonagem humana, pode ser visto como inspiração para o jogo, já que a cidade em que a história se passa possui uma tentativa de separar o joio do trigo ao clonar os cidadãos brilhantes da sociedade e tentar focá-los como o futuro da humanidade.
Também é possível lembrar de Blade Runner ao imaginar uma cidade futurista com uma pequena loja de ramen

Bem vindo a Entropia!

O protagonista da história começa como um imigrante recém-chegado na cidade de Entropolis, conhecendo quase nada desta grande cidade. Logo de cara acaba se metendo em confusão com uma gangue local, a Bitter Pills. Porém, uma misteriosa mulher lhe salva e oferece ajuda no meio da tumultuada cidade.
Entropolis é uma enorme cidade ocidental


Essa mulher é Mai Vermouth, curadora do museu da cidade. Ela lhe oferece abrigo e um trabalho para que você possa se instalar no local. O trabalho consiste em eliminar membros da Bitter Pills que estão interferindo com o trabalho de Mai em vários locais diferentes, ao passo que , você imagina estar tomando a decisão correta ao ajudá-la. Só que essas missões vão, cada vez mais, tomando um viés negativo conforme o personagem conhece mais da Via Ascencio, a organização da qual Mai faz parte. Eventualmente, você vai se questionar porque está aceitando matar essas pessoas tão facilmente. E aqui a história fica cada vez mais intrigante.
Mai é a primeira face amigável que você encontra em Entropia.


Toda a história de Defragmented é contada via imagens estáticas e caixas de texto, em um estilo bem parecido com o gênero visual novel. Porém, aqui você não tem a possibilidade de escolha das suas atitudes, e só vai assistir ao rumo que as coisas vão tomando na sua vida. Faz sentido você se juntar a Via Ascencio de Mai contra os soldados do conselho da cidade? Você deveria estar matando os pobres membros da Bitter Pills em nome de alguém que você mal conhece ou sabe os princípios por trás de suas ações? Este poderia ter sido um ponto mais bem trabalhado, já que a simples inclusão de decisões de texto e mudanças no script traria uma sensação melhor de imersão aos jogadores.

Mãos na massa

Durante as diversas missões que compõem o jogo, você enxerga seu personagem com uma visão superior, e pode mexer a câmera para visualizar o que está acontecendo ao seu redor. Cada missão possui objetivos específicos, como eliminar todos os inimigos, acessar um computador ou coletar um item. E isso é interessante para não deixar as ações muito repetitivas. Cada missão possui uma ótima trilha sonora única, composta por artistas que trabalharam em jogos como Far Cry 3: Dragon Blood, Kung Fury e Hotline Miami 2.
É possível mover a câmera para os lados ou sobre os ombros do personagem para alterar o ângulo de visão.

Planejar sua próxima ação é uma parte essencial durante as missões, já que um erro pode significar a morte em pouquíssimos segundos. Os inimigos reagem rapidamente e, se você não agir rapidamente irá morrer e ter de reiniciar o nível. Armas causam muito dano, então poucos tiros irão lhe trucidar. Sem contar que são pouquíssimas possibilidades de se curar no campo. A mira de sua arma projeta uma luz laser vermelha adiante, porém, só o ato de mirar com ela não atrai a atenção dos inimigos, assim como inimigos não ouvem seus passos à distância. Dito isto, é possível ir caminhando lentamente e alternar a câmera aos poucos para não ser surpreendido enquanto se movimenta.

Como os inimigos costumam patrulhar uma única área das fases ou ficam fixos guardando uma porta, é possível aprender o padrão de movimentação para surpreendê-los avançando por trás, além de ir derrubando-os sem sofrer maiores ameaças. Mas isso não quer dizer que você não pode invadir pela porta da frente atirando em tudo que se move. Não existe uma única maneira de jogar ou avançar em cada uma das missões. Esse é só um método para evitar correr perigo.
Entender o ambiente a sua volta é essencial para não se suicidar nas missões

O RPG está aqui

Durante as missões de Defragmented, você encontra itens como granadas, armas, munição e dinheiro. Os itens possuem graduações de raridade, e missões mais difíceis costumam apresentar materiais de qualidade e potência melhores. Esse sistema lembra jogos como Diablo ou Borderlands, onde você vai trocar sua arma de tempos em tempos. A raridade dos itens vai desde o branco, item mais comum e fraco, e varia entre as cores verde, azul, roxo ou laranja (a mais rara), que causam mais dano ou ganham efeitos adicionais. Itens também podem ser adquiridos ou vendidos via a rede de robôs Deal-EO.
Diferentes armas causam dano diferente, com efeitos melhores ou piores para tiros críticos e precisão.


O lado RPG do jogo desabrocha ainda mais ao destacar que você ganha experiência ao eliminar inimigos, eventualmente subindo de nível e liberando habilidades únicas e pontos de talentos. Cada uma das três classes disponíveis ao criar seu personagem possui árvores de habilidades diferentes, conforme seu tema:
  • Cyberzerker – Por ser um guerreiro com diversas melhorias cibernéticas, ele possui habilidades sobre-humanas voltadas para sobrevivência, como poder se curar durante as missões ou aumentar a resistência a dano durante os combates.
  • Railrunner – Um personagem ágil, que baseia suas habilidades em desviar o foco dos inimigos para suas ações. Por isso, suas habilidades se baseiam em enganar os inimigos com falsas imagens de si ou então se aproximar sem ser percebido para desferir golpes mortais.
  • Ascended – Eles são um extremo do estudo da mente humana e podem utilizar habilidades psiônicas. Portanto, conseguem misturar habilidades defensivas, como um escudo de energia para absorver dano na sua frente, com um poderoso soco seguido de uma onda de choque atingindo tudo ao seu redor.
Você personaliza seu personagem escolhendo classe, sexto e cor da pele no início do jogo.

Juntando os pedaços

Defragmented consegue misturar vários temas comuns de história de ficção científica sem parecer forçado ou exagerar na inspiração de algumas delas, criando um mundo original e bem interessante. Ele não chega a ser o melhor dos jogos de tiro ou RPG, porém, a mistura dos dois gêneros, aliada a uma boa história e jogabilidade difícil e frenética, criam uma divertida experiência que vale a pena experimentar. O jogo está disponível para computadores via Steam.
O jogo lembra bastante Hotline Miami. E é tão divertido quanto.

A ideia dos desenvolvedores para incentivar os jogadores a continuarem jogando após terminar a história principal foi incluir níveis secretos dentro de algumas missões, que possuem estilo diferenciado e lhe possibilitam coletar itens exclusivos. Uma delas é baseada em histórias noir de detetives, por exemplo, e lhe dá acesso a uma poderosa pistola. Acredito que poderiam ter incluído também alguma diferenciação com as classes do jogo, como um Cyberzerker poder invadir terminais de computadores ou Ascended ler mentes de inimigos. E também é uma pena não ser possível realizar mudanças no enredo da história principal, caso contrário, poderiam ter criado uma vontade ainda maior de refazer o jogo todo várias vezes.

Prós

  • Intrigante história misturando diversos elementos de ficção científica;
  • Extensa trilha sonora bem apropriada ao estilo do jogo;
  • Várias possibilidades de encarar as missões.

Contras

  • Sem possibilidades de interagir com a história principal;
  • Diferentes classes não alteram em nada o andamento de missões ou história.
Defragmented — PC — Nota: 7.0


Revisão: Jaime Ninice
Capa: Felipe Araujo
Vinicius Eleno é formado em Administração de Empresas pela USP, e mestre em cultura inútil pelas experiências de vida. Desde 1993 gosta de explorar o mundo dos games em seu tempo livre. Pode ser encontrado reclamando da vida no Facebook e Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais