França analisa lei contra games que degradam a figura feminina

Jogos sexistas deverão perder incentivos fiscais.



No último dia 16 de janeiro, o parlamento francês começou a analisar o texto de uma nova lei que visa punir jogos considerados sexistas. Com autoria de Catherine Coutelle, presidente da Delegação para os Direitos da Mulher e Igualdade de Oportunidades entre Homem e Mulher, o documento sugere sanções fiscais aos games que representam mulheres de forma degradante.


Na França, equipes de desenvolvimento compostas, na sua maioria, por profissionais franceses ou de outros países da União Europeia têm descontos nos impostos quando a criação do jogo apresenta valores superiores a 100 mil euros. As isenções chegam a até 20% do custo total do projeto. A nova lei pretende tirar esse incentivo quando os títulos apresentarem conteúdo que rebaixe a imagem feminina.

O texto de Catherine Coutelle também pede a alteração do termo "pornografia" para "representação degradante contra as mulheres", o que tornará mais ampla a interpretação da lei.

Os estúdios franceses reagiram de maneira muito positiva a essa notícia e afirmam que é uma atitude louvável, porém que será difícil de ser implementada. Os produtores daquele país consideram que já são cuidadosos com a maneira como representam as mulheres em seu jogos.

Fonte: Eurogamer
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais