Empresas japonesas vencem processo contra vendedores de flashcarts

Acusados pagarão multa de centenas de milhares de dólares e venda de flashcarts continuará ilegal no Japão.

A Nintendo e outras quarenta e nove empresas como Capcom e Sega abriram em 2009 um processo contra importadores de flashcarts no Japão, que desde então entraram com diversos recursos contra a condenação. De acordo com um comunicado para a imprensa feito pela Nintendo, no dia 12 de janeiro deste ano a suprema corte japonesa condenou os acusados a pagar uma multa de cerca de 815 mil dólares, sem direito a novos recursos. Assim, a importação e venda de flashcarts continuará ilegal em território nipônico.


Os defensores dos flashcarts, cujo exemplo mais famoso foi o R4 para o Nintendo DS, dizem que o objetivo principal destes aparelhos é rodar homebrews — aplicativos não permitidos pelas fabricantes dos video games — e não rodar jogos piratas. Porém, é inegável que a esmagadora maioria dos compradores de tais dispositivos tinha como objetivo rodar jogos ilegalmente, o que prejudicou as vendas de diversos games e levou as empresas a abrir processos contra quem os comercializava.

Fonte: Reddit
Leandro Eidi Umezu Batista escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais