Diablo 3 (PC): Bem-vindo a Grotagris, a nova área de Santuário

O novo mapa de Diablo 3 está envolto em mistérios e perigos atrás de cada árvore.








Introduzida ao game no patch 2.4, a Ilha de Grotagris, situada a alguns quilômetros de Hésperia, esconde um grande segredo que já tirou a vida de inúmeros aventureiros curiosos. Desviando o foco do conflito eterno que assola o mundo de Santuário, a ilha nos remete a uma narrativa de pura exploração.

Um lugar esquecido



“Durante anos, muitas lendas sobre a ilha foram cantadas por bardos. Navios carregados de tesouros naufragaram em suas costas, aventureiros em busca de riquezas desaparecem em sua neblina, olhos brilhantes espreitam suas presas na densa floresta e do alto da grande torre ecoa um uivo de dor que corta o vento.

De todos que ousaram desvendar os segredos da ilha, nenhum voltou para contar o que realmente há naquele lugar. Mas nenhum mal resiste a luz de Zakarum e a cruzada está em marcha para combater o mal”.
A ilha de Grotagris é composta por uma densa floresta e sua costa rochosa é castigada severamente pelas ondas. Uma tempestade eterna castiga a ilha, sendo raros os locais iluminados pelo sol. É possível avistar dezenas de embarcações destruídas nos rochedos. A civilização que ali viveu foi extinta, restando apenas ruínas tomadas pela natureza.




O único caminho para a ilha é através dos marcos de senda no modo aventura. Mesmo que não existam caçadas disponíveis para a região, é possível visitá-la a qualquer momento. A história do lugar será contada aos poucos. Explorando o lugar você encontrará diários que irão revelar os acontecimentos da ilha.

Para desvendar todo o mistério será preciso criar várias partidas e explorar, pois graças a geração procedural de conteúdo, os diários nunca estarão no mesmo lugar. Grotagris possui vários layouts, mas sempre contendo uma entrada para a Caverna Submersa e uma entrada para a Cabana do Sobrevivente. Para poder conhecer toda a história, é preciso ter sorte e encontrar a Torre Abandonada.

Vida selvagem


“Teleportei-me através do marco de senda. Ao chegar à ilha, deparei-me com um homem agonizando, em suas últimas palavras ele disse que a lenda é real. Olhei ao meu redor e percebi olhos famintos espreitando em meio as sombras, vespas gigantes alçando voo para disputar a nova refeição com lobos saídos do inferno. Árvores tão antigas quanto a humanidade desenterrando suas raízes e vindo em minha direção, grandes bestas peludas gritando com raiva de mil anos e os fantasmas dos incautos despertando a procura de vingança. Tudo que a ilha tinha a oferecer estava contra mim. Eu gosto disso”.
Grotagris possui muita singularidade em seus MOBS, a própria natureza se armou contra os invasores, o que seriam animais selvagens tornaram-se bestas demoníacas prontas para acabar com quaisquer intrusos. A fauna ganhou poderes para poder acabar com os heróis, algumas criaturas se assemelham a árvores, enquanto outras, são as próprias árvores.

Grandes colmeias brilhantes escondem vespas do tamanho de ursos, feras bestiais — como o pé grande das histórias infantis — arrebentam o solo com tamanha força e serpentes marinhas vomitam ouriços demoníacos por toda a costa.


“Invoquei a luz sagrada de Akarat e destrocei meus inimigos, neste momento percebi que além das bestas que enfrentara, haviam seres metade homem e metade cobra me observando ao longe. Os persegui até um grande clareira, quando me deparei com um louco rezando em um dialeto antigo, ele reverenciava totens de origem desconhecida e profana, então despertei sua fúria ao arremessar meu martelo contra as estruturas.

Encontrei uma gruta perto do local onde confrontei o louco, possivelmente pertencente ao homem que estava agonizando, seu nome era Quentin Sharpe, em seu diário ele disse que sua embarcação foi atingida por um vergalhão desconhecido e arremessada contra a costa, possivelmente a grande serpente marinha que avistei. Ele e sua tripulação passaram muitos dias na ilha, muitos morreram por falta de suprimentos, outros pelas feras e alguns devido à loucura. Também está escrito que ele matou o homem louco várias vezes e este sempre retornava, acredito que ele tenha uma ligação muito forte com tudo que está acontecendo aqui”.

O mapa do tesouro


Grotagris possui a fama de atrair aventureiros em busca de tesouros e não se dá por menos, a ilha é repleta de baús. O mapa possui uma grande densidade de MOBS, chegando a 100 abates facilmente em cada pack, os elites e raros são constantes. Partes da ilha também foram introduzidas nas fendas nafalem e nas fendas maiores.

Em suas cavernas submersas também se mantêm a densidade de MOBS e os tesouros, porém os inimigos são outros. Aqui se encontram os seres abissais, metade homem e metade cobra, que manipulam os poderes da água e seres marinhos.


“Adentrei as cavernas em busca de informações, fui colhendo pistas enquanto limpava o antro do mal que ali se estabelecia. Estes seres rastejantes são inteligentes, demônios de origem desconhecida parecidos com os demônios serpentinos que seguiam Belial.

E com todas as pistas que encontrei, formei uma parcela do diário de Rayeld, um jovem cujo pai era um sacerdote de uma seita desconhecida, eles idolatravam um ser chamado Nereza e prostravam sacrifícios para tal. O jovem começou a questionar tais rituais e elaborou um plano para acabar com o rito”.

O desfecho de Grotagris

Com o lançamento do patch 2.4, muitos criticaram a nova área afirmando se tratar de um local onde a exploração não passaria de quinze minutos, porém, essas pessoas não entenderam a forma como a história estava sendo contada. Em Grotagris, você desvendará os mistérios aos poucos, buscando vários diários espalhados. Ao encontrar todos, um portal se abrirá e a verdade será revelada.


“Nas ruínas da torre encontrei a verdade, Rayeld, a fim de acabar com o culto, atacou o Alto Sacerdote, seu pai, e a criatura chamada Nereza, esta que possuía a imagem de um linda mulher era na verdade um demônio que ao morrer espalhou sua maldade por toda a ilha. Rayeld foi amaldiçoado e enlouqueceu. Hoje ele vaga pela ilha com a missão de manter o culto a Nereza ativo, criando altares e fazendo orações profanas.

Os seguidores de Nereza habitam as profundezas das cavernas e cobram do pobre Rayeld sua missão eterna. Por fim, resta a mim, como um seguidor da luz, dar cabo deste mal de uma vez por todas. Que Akarat seja louvado”.


Em seu site oficial, a Blizzard disse que os jogadores terão conclusões diferentes a respeito de Grotagris, mas essas conclusões se limitam a quem explora e a quem não explora o jogo. Quem jogar apenas para fazer fendas e caçadas, estará perdendo uma grande parte da história de Santuário.

E vocês, já desvendaram os mistérios de Grotagris? Comentem suas experiências na ilha.

Revisão: Luigi Santana
Capa: Felipe Araújo
Douglas Fubarion Marciano escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais