David Bowie e os jogos: Influências, referências e o legado do Homem que Vendeu o Mundo

Eternizado na música, David Bowie encontrou sucesso nos jogos também.



David Bowie. Entre Space Oddity e Starman, seu legado no mundo da música é enorme. E, com seu estilo quase literário nas músicas que compunha, ele conseguiu expandir sua influência para diversas outras midías. Entre elas, nossos queridos videogames.


Listaremos algumas referências e presenças do Camaleão encontradas nos videogames. Esperamos que você goste, Major.

Jogos de ritmo

A música de Bowie nunca seguiu uma linha clara. Do Glam Rock ao Europop, seu som sempre foi se modificando e metamorfoseando. Com uma amplitude tão grande de escolhas, era claro que algumas delas (entre elas as mais clássicas) encontrariam lugar em jogos de ritmo.

A fria Space Oddity, que narra a história de Major Tom e sua viagem espacial, pode ser encontrada em Rock Band (Multi). Uma das músicas mais melancólicas disponíveis no jogo, tratava-se de uma variação interessantíssima para quem estava acostumado a tocar músicas frenéticas. Mas caso esteja afim de algo mais animado, a clássica Let’s Dance embalou a história do milionário que perdeu tudo mas conseguiu dar a volta por cima em Elite Beat Agents (DS). Uma história engraçada descoberta ao som de um dos clássícos mais dançantes de Bowie. David também é jogável em uma versão Lego em Lego Rock Band.

A verdade é que quase todo jogo músical, em especial os do boom dos instrumentos-controle, quase certamente contará com algo de Bowie. Não é necessário falar sobre as influências do músico nisso, pois tal esforço seria como narrar a história da indústria musical.

Metal Gear

Hideo Kojima é um grande fã de David Bowie. A influência está clarissima por toda série Metal Gear. 

Raiden e sua aparência andrógina remetem muito a Bowie em sua fase dos anos 70 ao inicio dos anos 80. Na novelização de Metal Gear Solid 2, inclusive, o próprio Raiden comenta esse fato.

Já no jogo ambientado nos anos 60, Snake Eater, as referências são bem claras. O codenome que Zero usa durante a operação que serve como prólogo ao jogo é “Major Tom”. Isso ocasiona a repetição várias vezes de um dos versos mais famosos de Space Oddity: “Can your hear me, Major Tom?”.

The Fury, um dos chefes, é por sua vez um personagem com o mesmo passado do Major Tom da música, e o fogo que usa é uma referência ao titulo de “Ashes to Ashes”, música de Bowie que revisitava o personagem, apesar de então a mensagem não ser mais sobre oo espaço, mas sim sobre experiências alucinógicas.

E em Metal Gear Solid V: The Phanton Pain, os Diamonds Dogs, facção principal do jogador, compartilham o nome com uma música e um album do músico, lançado em 1974. Kojima originalmente queria abrir o jogo usando a música, mas acabou optando por outro clássico de Bowie: The Man Who Sold The World, em um tecnoremix produzido por Midge Ure.

The Man Who Sold the World, aliás, parece ter sido a inspiração para a história do jogo. Qualquer um que já acompanhou a letra da música e conhece a história de MGS V sabe bem o quanto o jogo conta com uma narrativa parecida.

Omikron: The Nomad Soul

Omikron é um adventure desenvolvido pela Quantic Dreams, que contou com a ajuda de Bowie tanto na construção de sua história quanto na trilha sonora. Ele compôs músicas exclusivamente para o jogo, depois reescrevendo-as para seu próximo album, “Hours…”. Também interpretou dois personagens para o game, embora que em participações bem pequenas.

Omikron é um jogo com uma distopia bem interessante, que remete bastante a cenários cyberpunk. A crítica o amou na época, mas infelizmente o resultado comercial não foi tão positivo.

O Homem que Conquistou o Mundo

Isso foi só uma pequena amostra do que David Bowie fez na indústria, mesmo que indiretamente. Se fôssemos expandir para filmes, livros, televisão ou qualquer outra mídia, a lista só aumentaria. E isso é o maior testamento e legado que um artista pode deixar; ser tão idolatrado que mesmo não participando de boa parte dessas situções, ele se torna um ponto marcante dentro delas.

Descanse em paz, Ziggy.

Revisão: Bruno Alves
Capa: Peterson Barros
Dácio Augusto é estudante de Gestão Financeira na Fatec e redator no GameBlast. Cercado de jogos desde pequeno, foi crescendo e aprendendo a fazer avaliações mais lúdicas do que objetivas.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook


Podcast

Ver mais

No Facebook

Ver mais